sexta-feira, 18 de setembro de 2020

CUIDADO COM DIGITAIS


Levantamento feito pela Controladoria-Geral da União (CGU) aponta que o governo estadual do Rio de Janeiro contratou, durante a pandemia do novo coronavírus, R$ 155,3 milhões apenas para a compra de luvas.

A mediana do valor contratado pelo Rio de Janeiro para a aquisição de luvas é de R$ 0,98 a unidade (um par), com contratos a preços de até R$ 3,70. O valor da mediana é mais do que o dobro do registrado em todos os demais estados e o DF.

Segundo a Controladoria Geral da União, os Estados destinaram, na mediana, R$ 0,40 por par de luvas. No total, as 27 unidades federativas teriam contratado R$ 294,2 milhões em luvas durante a crise da pandemia do novo coronavírus.

Viver é Perigoso

DANÇANDO NA CHUVA


Lá pelo final dos anos 70, mais precisamente, em 1978, lutava com muita dificuldade para instalar o escritório regional da Abinee - Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica, na época, muito mal vista na Zona Franca de Manaus e tida, erroneamente, como contra ao Projeto da Zona Franca de Manaus.

Estava por lá sozinho e com dificuldades incríveis de toda a sorte.

Todos sabem que, em Manaus, a pancada forte de chuva vem forte todas às tardes. As reuniões eram marcadas para antes ou depois da chuva.

Um início de tarde, ali pelas 13 horas, deparei-me com uma dificuldade, aparentemente, insuperável. Deu um baixo astral e uma vontade de voltar para o sul. Estava de paletó e gravata, fantasia dispensada com o correr dos dias.

Deixei o escritório na Av. Eduardo Ribeiro e dei de encontro com o dilúvio da tarde. O carro estava estacionado longe. Sai caminhando, para surpresa das pessoas, caminhando lentamente pela calçada. A chuva lavava até a alma. Segui por uns mil metros ensopado. Deu para torcer a gravata.

Maravilha. No meu pensamento as coisas foram se ajeitando e me senti flutuando, como se todas as dificuldades estivessem sendo levadas pela enxurrada.

Fez um bem danado.

Hoje, ando sonhando com uma chuva daquelas. Sairei caminhando pela Boa Vista, é claro, deixando todas essas preocupações diferentes de 2020 serem levadas para a calha do Rio Sapucaí.

Viver é Perigoso     

NO APAGAR DAS LUZES, NOTÍCIA QUE GOSTEI DE LER


DECRETO Nº 8032 - 

Nomeia os membros do Conselho Municipal de Políticas Culturais (CMPC) O Prefeito do Município de Itajubá, no uso das suas atribuições que lhe confere o inciso VI do art. 68 da Lei Orgânica Municipal, e nos termos do art. 39 da Lei Municipal nº 3006/2013; com redação dada pelo artigo 1º da Lei nº 3188/2017; DECRETA: 

Art. 1º Ficam nomeados os membros titulares e suplentes para comporem o Conselho Municipal de Políticas Culturais (CMPC), para o biênio 2020/2022. 

Representantes da Sociedade Civil

V – Fórum Setorial de Literatura, Juventude e Coletivos Culturais

Titular: Célia Maria Morais Rennó Brochetto 
Suplente: Flávio Scofano

Art.4º Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação. 

Itajubá - MG, aos 14 de Setembro de 2020

Viver é Perigoso

VALE A PENA LER DE NOVO

 


Pois é...li hoje na página do meu amigo Roberto Mendes. Muito justo.

Viver é Perigoso

PHOTOGRAPHIA NA PAREDE


Há 50 anos (18/9/1970), com a idade de 27, tomava o barco em Londres, Johnny Allen Hendrix, simplesmente, Jimi Hendrix.

Dizia que a sua vontade era fazer com sua guitarra, uma Fender Stratocaster, o que Little Richards fazia com a voz.

Conhecemos Hendrix em 1969, quando ele apresentou no Festival de Woodstock (18/8/1969) a sua versão do hino "The Star Spangled Banner".

Viver é Perigoso


MELHOR ASSIM !

 

Viver é Perigoso

CINE BRASIL


 Filmes de terror em cartaz:

1 - O BONECO ASSASSINO

“É inadmissível, perdemos o ano letivo. Por outro lado, fica vendo sindicato dos professores –esse pessoal deve saber como é a ideologia de quase todos os sindicatos do Brasil. É um pessoal de esquerda radical. Para eles, está muito bom ficar em casa por dois motivos. Primeiro que, para eles, não trabalham, ficam em casa. E outra: colaboram para que a garotada não aprenda mais coisas, não volte a aprender e se instruir.”

2 - NA NATUREZA SELVAGEM

O Brasil é o país que mais preserva o meio ambiente. E alguns não entendem como, é o país que mais sofre ataques vindo de fora no tocante ao seu meio ambiente. O Brasil está de parabéns da maneira como preserva esse seu meio ambiente”.

Viver é Perigoso

O MEIO É A MENSAGEM *



Já lá vão alguns anos que fui apresentado Sr. Robin Gunningham, ou seria Sr. Robert Del Naja,
ou ainda Robert Banks. Com certeza, Sr. Banksy. A apresentação foi feita pelo meu grande amigo Marquinhos Carvalho, que com antecedência inexplicável já tomou o barco.

Quase certo, um artista de rua inglês nascido em Bristol ali por 1973 ou 1974. 

Como, imagino que todos saibam, Banksy é o pseudônimo de um artista pintor de graffiti, pintor de telas, ativista político e diretor de cinema britânico.

A sua arte de rua satírica e subversiva combina humor negro e graffiti feito com uma distinta técnica de estêncial. Seus trabalhos de comentários sociais e políticos podem ser encontrados em ruas, muros e pontes de cidades por todo o mundo. 

Conhecido pelo seu desprezo pelo governo que rotula graffiti como vandalismo, Banksy expõe sua arte em locais públicos como paredes e ruas, e chega a usar objetos para expô-la.

Banksy não vende seus trabalhos diretamente, mas sabe-se que leiloeiros de arte tentaram vender alguns de seus graffitis nos locais em que foram feitos e deixaram o problema de como remover o desenho nas mãos dos compradores. 

Suas obras são carregadas de conteúdo social expondo claramente uma total aversão aos conceitos de autoridade e poder. O misterioso artista, cujas obras aparecem da noite para o dia em edifícios de todo o mundo, obteve em 2014 a marca registrada da União Europeia para esta imagem.

Hoje, notícias dão conta que Banksy perdeu uma batalha legal de dois anos com uma empresa de cartões comemorativos por seu grafite "The Flower Thrower", depois que o escritório europeu competente determinou que seu anonimato significa que ele não pode ser identificado como proprietário intelectual.

A decisão do Escritório de Propriedade Intelectual da União Europeia (EUIPO), com sede na cidade espanhola de Alicante, diz respeito a uma das obras mais famosas de Banksy, na qual um homem de boca coberta lança flores como se fossem coquetéis molotov. A obra apareceu pela primeira vez em um muro em Jerusalém em 2005.

Há dois anos, a empresa Full Color Black, que fabrica cartões comemorativos e que queria usar a mesma imagem, lançou uma batalha judicial argumentando que a marca registrada foi obtida de má-fé, já que o artista nunca pretendeu usá-la aplicada a bens ou serviços. Uma justificativa com a qual as autoridades europeias competentes em matéria de propriedade intelectual já concordaram.

* Marshall McLuhan.

Viver é Perigoso

70 ANOS

 

Viver é Perigoso