sexta-feira, 17 de julho de 2020

LARGA A MÃO


Continua sendo uma expressão fortíssima e definitiva usada nos "antigamente" na Boa Vista, é claro.

Não se trata de xingamento, ofensa ou algo parecido.

Trata-se do temido "larga a mão ".

Muito próximo e repetitivo no uso da cachaça. Apegado ao extremo em carteado valendo dinheiro, mulherengo, instável, não cumpridor de compromissos, religioso de "meia tigela" e por aí afora.

Quando repeitado senhor morador, se consultado sobre alguém, após analisar toda a situação, com a sabedoria e experiência de sempre, cofiando a barba grisalha,  dizia:

- Larga a mão.

Sai de baixo. Significava um afastamento educado.

Hoje, numa conversa rápida no Supermercado, um velho guerreiro opinou sobre o Presidente;

- Larga Mão.

Viver é Perigoso    
   

XÔ !!!!


Viver é Perigoso

PEDREIRA


Pois bem, desde a última segunda-feira o dia passou a ser dividido em três partes. Parte da manhã: aguardar as aulas online do Luc e do Tito. Parte da tarde, lutar com denodo e muita paciência. Internet caindo e Tias exigindo. Noite, descansar a cabeça.

Fico imaginando se pandemia como esta acontecesse no início dos anos 60 e tivéssemos internet e quarentena. Meu Pai, com onze filhos, onze Ipads, um instalado em cada cômodo da casa, correndo com tesoura para recortes, cola e o inglês. 

Aliás, os meninos tem mais aulas de inglês do que de outras matérias.   

No primeiro dia a Tia pediu para abrirem a apostila na página 64 e orientou o Tito a responder a primeira das dez questões. Ele simplesmente disse: Tudo bem. O meu Avô já respondeu todas.

Fui convidado a me afastar.

Viver é Perigoso