sexta-feira, 10 de julho de 2020

MOMENTOS MÁGICOS



Viver é Perigoso

TOMOU O BARCO


Conheci e passei a admirar o Alfredo Syrkis em 1980 (já lá vão 40 anos) quando li o seu livro "Os Carbonários", sobre o período ditatorial no Brasil e seu envolvimento direto na luta armada. Muito bom de ler e ficou na memória (ainda tenho o exemplar).

Syrkis, tomou o barco hoje em Nova Iguaçu, num terrível acidente de carro. Estaria prestes a completar 70 anos de idade.

Vereador no Rio de Janeiro, cidade onde nasceu, por quatro mandatos e deputado federal no período (2011/2015). Foi um dos fundadores do Partido Verde.

Esteve no por quase nove anos. Passou pelo Chile, Argentina, França e Portugal. Escreveu outros oito livros. Além de escritor e político, foi jornalista e roteirista de TV e cinema.

Sirkis, posteriormente, se envolveu de corpo e alma nas questões ambientais e era respeitado por isso.

Leia "Os Carbonários". Vale a pena.

Viver é Perigoso

HABEMUS MINISTRO


Já foi publicado no Diário Oficial (o que não é muito garantido), que o Ministro da Educação é o Pastor Presbiteriano, Doutor em Educação, Mestre em Direito, Bacharel em Teologia, Milton Ribeiro.

Nascido em Santos e com 52 anos. Pastor da Igreja Presbiteriana Jardim de Oração, em Santos. Ex-Vice Reitor da Universidade Mackenzie.

Não por essa razão, mas por méritos próprios, podemos acreditar estar definido o nome do novo Reitor da nossa Escola.

Sinceramente, creio que agora vai.

Aguardamos a substituições dos ministros de Relações Exteriores e o do Meio Ambiente.

Viver é Perigoso     

CONSULTANDO OS UNIVERSITÁRIOS


Considerada muito estranha a decisão do presidente do STJ, Otávio de Noronha, de conceder prisão domiciliar a Márcia Oliveira de Aguiar, mulher foragida do ex-assessor parlamentar Fabrício Queiroz, inclusive antecipando que a foragida terá que usar tornozeleira eletrônica. 
Segundo os seus colegas de STJ (reservadamente) foi uma medida "Absurda", "teratológica", "uma vergonha", "muito rara" e "disparate" .

Lembrando que o ministro é da nossa região e formado pela Faculdade de Direito de Pouso Alegre, onde também se formaram grandes profissionais e grandes amigos. 

Como, com muito orgulho, temos camaradas do "viver é perigoso", também formados na área por outras bem referenciadas Escolas do País, considerem a pergunta de um engenheiro curioso: 

Pode isso ? 

Viver é Perigoso

ESCLARECENDO


Escreveu e publicou o Pedro Gama

Nova decisão judicial impede a reabertura de bares, restaurantes, academias, clubes e clínicas de estética em Itajubá, a menos que a cidade aceite aderir ao programa Minas Consciente e cumpra os seus protocolos.

Entendendo:

1. Em março de 2020, o governo de Minas Gerais editou uma deliberação com uma série de restrições sanitárias a serem obedecidas por todas as cidades do estado (Deliberação n° 17). Dentre tais restrições, encontra-se a proibição de abertura de bares, restaurantes, academias, clubes, clínicas de estética, dentre outros. Foi com base nessa deliberação que a Prefeitura de Itajubá celebrou o TAC com o Ministério Público.


2. Como alternativa, o governo estadual criou, no final de abril, o programa Minas Consciente, estabelecendo uma série de protocolos de segurança para a flexibilização e reabertura de serviços não essenciais. Itajubá decidiu não aderir ao programa, alegando que seria prejudicial à cidade.

3. A Prefeitura tentou forçar a reabertura mesmo assim, descumprindo o TAC e a Resolução. Foi quando a justiça determinou que tal reabertura não poderia ser feita desta forma.

4. Desde então a Prefeitura passou a negociar com o Ministério Público uma alteração do TAC.

5. Contudo, diante do grande aumento de casos de covid-19 no estado, ontem o TJ-MG decidiu liminarmente que todas as cidades de Minas Gerais estão obrigadas a obedecer a Deliberação n° 17, a menos que decidam aderir ao programa Minas Consciente. A decisão deve atingir também cidades vizinhas de Itajubá que reabriram bares, restaurantes e academias.

Ação Declaratória de Constitucionalidade n° 1.0000.20.459246-3/000

Pedro Gama

Viver é Perigoso

10 DE JULHO - DIA DA PIZZA

Viver é Perigoso

PAZ E AMOR


Entendendo a filosofia do "Gabinete de Ódio "

Quando era deputado federal, Jair Bolsonaro transformou o fuzilamento do então presidente Fernando Henrique Cardoso em verdadeira obsessão. 
Algumas das frases de Jair Bolsonaro: 

“O governo militar deveria matar pelo menos 30 mil, a começar por Fernando Henrique”, 

“o erro do governo militar foi não fuzilar o Fernando Henrique”, “defendo o fuzilamento do presidente”.

A mesma atitude pôde ser observada em entrevista de setembro de 2015. 

Questionado se a então presidente Dilma Rousseff concluiria o segundo mandato, até o final de 2018, Jair Bolsonaro respondeu:

“Espero que o mandato dela acabe hoje, infartada ou com câncer, ou de qualquer maneira”.

Mais recentemente, em relação a dezenas de milhares de óbitos pelo covid-19 :

"E daí ? "

Em tempo:

O Facebook anunciou ontem (8/7), que derrubou uma rede de contas e perfis falsos ligados a integrantes do gabinete do presidente Jair Bolsonaro, seus filhos, ao PSL e aliados. Foram identificadas e removidas 35 contas, 14 páginas e 1 grupo no Facebook e 38 contas no Instagram. O material investigado pela plataforma identificou pelo menos cinco funcionários e ex-auxiliares que disseminavam ataques a adversários políticos da “famiglia”. Nessa lista está Tércio Arnaud Thomaz, que é assessor do presidente e integra o chamado “gabinete do ódio”, núcleo instalado no terceiro andar do Palácio do Planalto.

Viver é Perigoso

FALOU E DISSE:


A vida, o vírus e a política

"Não se comemora doença de ninguém, por pior que possa ser seu desempenho público. Não se torce pelo falecimento de ninguém, por mais deletéria que seja sua conduta. São princípios básicos de civilidade e de respeito à dignidade humana, que não precisariam ser lembrados. São pressupostos mínimos da vida em sociedade, sobre os quais não deve haver nenhuma dúvida...
Por mais que causem repugnância, as atitudes de Jair Bolsonaro em relação à vida, ao vírus e à política não autorizam outra expectativa que o imediato restabelecimento da saúde do presidente da República. 
Fazer oposição política não inclui adotar as atitudes do adversário. 
Se o bolsonarismo manifesta, com estonteante clareza, seus antivalores, a reação contrária não pode ser mero sinal invertido. Não se combate autoritarismo com desumanidade.
Num país civilizado, não se enfrenta barbárie pregando a barbárie."

Opinião - O Estado de São Paulo

Blog: A última coisa que se poderia dizer é que o jornal "Estadão" tem um viés de esquerda. 

Viver é Perigoso