segunda-feira, 22 de junho de 2020

SEGUNDONA À NOITE NA QUARENTENA



Viver é Perigoso

ESTANTE DOS SONHOS


Ruy Castro escreveu:

Transmissões online abundam agora na programação, e todo mundo aparece com uma estante ao fundo razoavelmente suprida de livros. Ou as pessoas leem mais do que imaginávamos ou descobriu-se que a estante é o móvel mais nobre da casa, donde ser o cenário ideal. Não vi até agora ninguém se postar na frente da geladeira ou do armário das panelas. Não que não sejam também móveis da maior dignidade —mas talvez uma parede com caçarolas não tenha o mesmo appeal de uma prateleira de livros.

Devido à alta incidência de estantes no vídeo, eu próprio passei a tentar decifrar os títulos nas lombadas e, pelo que já vi, cada entrevistado está bem servido de livros sobre sua especialidade. Os comentaristas políticos têm biografias de políticos; os esportivos têm histórias sobre futebol; os economistas, teorias econômicas.

Blog: Curiosidade é que também estou com mania de buscar identificar o conteúdo das estantes do pessoal que participa das lives na televisão. Às vezes nem coloco atenção no que a pessoa está falando.

Viver é Perigoso

VENTOS DE GUERRA


O presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, reconheceu que as mudanças em razão da pandemia da Covid-19 poderão acabar favorecendo prefeitos em busca de reeleição.

“É muito possível que as circunstâncias favoreçam quem já esteja no cargo. Mas, para isso, não há solução na farmacologia jurídica. Estamos em uma pandemia.”

Blog: Não é o caso aqui na terrinha, uma vez que o atual prefeito já está no seu segundo mandato. Não será fácil eleger os seus candidatos. Será difícil eles falarem de criação de empregos, de saúde, com a "virada de costas" para a Santa Casa, transparência total e atendimento às solicitações de informações de vereadores independentes, liberdade para os secretários se expressarem, trevo da Piedade, aeroporto, laboratório. 
Deverão focar o parque, cinema e teatro, o que já estaria bom. Só terão chances de levar a "rapadura" se a oposição se manter dividida, como se pronuncia.

Viver é Perigoso    

NOVA FAIXA DE IDADE


Se observamos com cuidado, podemos detectar a aparição de uma faixa social que não existia antes: pessoas que hoje têm entre setenta e oitenta anos.
A esse grupo pertence uma geração que expulsou da terminologia a palavra envelhecer, porque simplesmente não tem em seus planos atuais a possibilidade de fazê-lo.
É uma verdadeira novidade demográfica semelhante à aparência da adolescência; na época, que também era uma nova faixa social que surgiu em meados do século XX para dar identidade a uma massa de crianças desabrochando, em corpos adultos, que não sabiam até então, para onde ir ou como se vestir.
Este novo grupo humano que hoje tem cerca de sessenta, setenta ou 80 anos, levou uma vida razoavelmente satisfatória.
São homens e mulheres independentes que trabalham durante muito tempo e conseguiram mudar o significado sombrio que tanta literatura latino-americana deu por décadas ao conceito de trabalho.
Longe dos tristes escritórios, muitos deles procuraram e encontraram, há muito tempo, a atividade que mais gostavam e da qual ganham a vida.
Supostamente é por isso que eles se sentem plenos; alguns nem sonham em se aposentar.
Aqueles que já se aposentaram desfrutam plenamente de seus dias sem medo do ócio ou solidão, crescem internamente. Eles desfrutam do ócio, porque depois de anos de trabalho, criação do filhos, carências, esforços e eventos fortuitos, vale bem a pena contemplar o mar. 
Mas algumas coisas já sabemos que por exemplo, não são pessoas paradas no tempo; pessoas de cinquenta, sessenta ou setenta; , homens e mulheres, operam o computador como se tivessem feito isso durante toda a vida.
Eles escrevem e veem os filhos que estão longe e até esquecem o antigo telefone para entrar em contato com seus amigos a quais escrevem um e-mail ou um whatsapp.
Hoje, pessoas de 60, 70 ou 80 anos, como é seu costume, estão lançando uma idade que ainda NÃO TENHA NOME, antes os que tinham essa idade eram velhos e hoje não são mais, hoje estão fisicamente e intelectualmente plenos, lembram-se da sua juventude , mas sem nostalgia, porque a juventude também é cheia de quedas e nostalgias e eles bem sabem disso. 
Hoje, as pessoas de 60, 70 e 80 anos celebram o Sol todas as manhãs e sorriem para si mesmas com muita frequência ... elas fazem planos para suas próprias vidas, não com as dos demais.
Talvez por algum motivo secreto que apenas os do século XXI conheçam e saberão. A juventude é carregada internamente.
A diferença entre uma criança e um adulto; é simplesmente o preço de seus brinquedos.

Sandra Pujol ( dica do amigo Prof. Sérgio Roberto Costa )

Viver é Perigoso

AGORA VAI !


Comentado na praça a possibilidade da nomeação do Renato Feder como novo Ministro da Educação.  Feder é de uma família com tradição no meio empresarial (Elgin, Dismac, Multilaser). Atualmente é Secretário da Educação do Paraná.

Primeiro passo positivo: O pessoal dos sindicatos não gosta dele.

Junto com o seu sócio, Alexandre Ostrowiecki, escreveu o livro "Carregando o Elefante - Como transformar o Brasil no país mais rico do mundo " - o livro, em versão digital, está disponível na internet. Bom de ler.

"Alguma vez você já teve a sensação de que existe algo profundamente errado com o Brasil? Sob as camadas de corrupção, miséria e violência, estampadas nos jornais, já se perguntou se não existe uma solução para tudo isso? Já tentou imaginar o País se as coisas fossem diferentes? É essa avaliação que Alexandre e Renato fazem sobre as engrenagens que movimentam o Brasil. Carregando o Elefante é uma jornada para o entendimento dessas engrenagens, para compreender realmente como funciona o Brasil e quais são os verdadeiros problemas que devem ser resolvidos. Carregando o Elefante desafia cada leitor a mudar a sua forma de ver a política, a economia e o seu próprio papel na sociedade"

Caso alguém da cúpula do governo Bolsonaro leia três das frases que constam do início do livro, com certeza, o nome do Renato Feder será descartado.

"As palavras mais aterrorizantes que existem "eu sou do governo" e estou aqui para ajudar". (Ronald Reagan).

"O governo deve educar, informar e inspirar, mas não pode ter a palavra final sobre o que é melhor para mim". John Stuart Mill.

"Se puserem o governo federal para administrar o Saara, em cinco anos faltará areia." Milton Friedman

Viver é Perigoso