sexta-feira, 12 de junho de 2020

SOB A LUZ DE VELAS



... o comandante ferido
chuta cadáveres no convés
e olha o céu,
pedindo o resto da tempestade
(a tempestade desse barco
é o seu próprio comandante).

Alberto da Cunha Mello

Viver é Perigoso

CANTINHO DA SALA

Alexander Calder - 1976.
Viver é Perigoso

NA MAIOR CARA DE PAU !


"São duas coisas diferentes. O Fundo Partidário é para manutenção e subsistência dos partidos políticos, então eles recebem dinheiro público para se manter."

"O fundo especial de financiamento de campanha (fundo eleitoral) tem outro pressuposto, é o de poder fazer campanha eleitoral.

Para as eleições municipais, ainda sem saber se serão adiadas ou não, os recursos, acintosamente, considerando o momento vivido pelo País, já estão definidos.

Os 33 partidos (????) receberão um total de R$ 2,03 bilhões. Tocando para os mais aquinhoados :

PT - R$ 200,9 Milhões
PSL - 193,7
PSD - 157,2
MDB - 154,9
PP - 140,2
PSDB - 126,0
PL - 123,3
DEM - 114,6
PSB - 109,5
Republicanos - 104,4

Os outros 23 (PDT, Podemos, PSOL, PROS, NOVO, SD, Cidadania, PTB, PSC, Patriota, PC do B, Avante, PV, Rede, PMM, PTC, DC, PRTB, PSTU, PCB, PCO e PMB, ficarão com uns R$ 600 milhões.  

Já a migalha de R$ 959 milhões do chamado Fundo Partidário é dividido por somente 23 partidos. Outros 10 não atenderam as exigências.

Viver é Perigoso

MELHOR ASSIM


Na certa os nomeados iriam carregar o "biônico" nos nomes.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, decidiu devolver na manhã de hoje (12/06) a Medida Provisória 979, editada pelo Presidente Jair, que dava ao ministro da educação Weintraub, o poder de nomear reitores para universidades e institutos federais durante a pandemia do novo coronavírus no País.

As eleições internas deverão acontecer (mesmo pela internet) e lista dos três mais votados irão para a definição dos senhores ministro e presidente.

Claro e lógico que decidirão pelos nomes já escolhidos.

Por estas bandas, tudo seguirá como previsto. Alterações? só se o governo federal cair.

Viver é Perigoso    

NA BOA VISTA, É CLARO


Aproveitar a pandemia e fazer uma "baciada" de alterações e "passar a boiada".

Ricardo Salles - Ministro do Meio Ambiente

Viver é Perigoso

SEI NÃO...

Viver é Perigoso

BUSQUEM UM AFRÂNIO

Funeral de Delfim Moreira - Santa Rita do Sapucaí -1920
Alguém já deve ter ouvido ou lido, face as indas e vindas estranhas do presidente Jair Bolsonaro, o chamamento: " Busquem um Afrânio".

Para os que estão chegando agora, deve-se ao seguinte.

Delfim Moreira da Costa Ribeiro, que nasceu em Cristina (na Fazenda da Pedra - 1868) e terminou os seus dias em Santa Rita do Sapucaí (1920), era primo do presidente Wenceslau. Caminharam juntos na política. Enquanto Wenceslau Braz estava na presidência de 1914/1918, Delfim Moreira governava o Estado de Minas Gerais.

Em 1º de março de 1918, Delfim Moreira foi eleito Vice-Presidente de Rodrigues Alves. Em 15/11/1919, Delfim Moreira assumiu o governo, devido a doença do presidente eleito, Rodrigues Alves (era de Guaratinguetá), que tomaria o barco em 16 de janeiro/1919 (gripe espanhola).

Como previa a Constituição da época, nova eleição para presidente foi marcada.

Delfim Moreira esteve como presidente, de 15/11/1918 até 28/7/1919, quando assumiu o eleito Arthur Bernardes.

Em que pesem as realizações de sua curta gestão, Delfim Moreira pouco participou delas. 

Vítima de uma esclerose precoce, que o levava a alternar períodos de lucidez com atitudes fora do controle, manteve-se afastado das principais deliberações de seu governo. 

Todos sabiam que Devido à doença que acometeu o presidente, Afrânio de Melo Franco, Ministro de Viação e mineiro de Paracatu, tornou-se responsável pela decisão de muitas questões governamentais, vindo mesmo a ser chamado de “primeiro-ministro do Brasil”. O período foi qualificado pelos contemporâneos como o da “regência republicana”, em alusão ao período regencial monárquico.

Resumindo, com a situação complicada vivida atualmente no Brasil, melhor seria chamarem um Afrânio.

Curiosidade: Quase todos os citados foram colegas na Faculdade de Direito do Largo de São Francisco, em São Paulo.

Viver é Perigoso