sábado, 23 de maio de 2020

SÓ O VENTO SABE A RESPOSTA



Viver é Perigoso

PASQUIM


Pasquino é uma famosa estátua de Roma. Aos pés da estátua e, geralmente, no pescoço eram colados, em épocas passadas, as pasquinadas, folhetos com conteúdo satírico, freqüentemente em versos, dirigidos a personagens públicos importantes, inclusive ao Papa.

Segundo a história, Pasquino era um barbeiro conhecido por seus versos satíricos. 

Papa Adriano VI, em 1522, foi o único holandês até agora a se tornar papa.

Pois é.

Incomodado com as críticas, o papa Adriano VI deu ordens para que fosse jogado no rio Tibre a estátua do Pasquino. Um assessor, porém, o demoveu da ideia com o argumento:

"Senhor, o pasquim é da espécie das rãs, que debaixo da água coaxam mais"

Blog: Não nos joguem no rio.

Viver é Perigoso

CANTINHO DA SALA

Joan Mitchell - 1961–62.
Viver é Perigoso

TEORIA DO CAOS

Retrato do Momento

A Teoria do Caos não apresenta soluções para o problema de previsão, mas mostra os limites de sua tratabilidade. Assim, a teoria traz novas perspectivas para a modelação de sistemas não lineares, que constituem a regra no mundo real. Em si é o estudo de um conjunto de objetos inter-relacionados, chamados de sistema, essa teoria estuda o comportamento aleatório e imprevisível do sistema. Tais comportamentos aleatórios e imprevisíveis, tornando tais resultados do sistema caótico.

A interpretação da Teoria do Caos em diversas áreas pode ser abordada como uma ruptura de um princípio racional. Em certos casos, como a incerteza dos fatos. 

Tomando como base a linha de raciocínio da teoria do caos, onde é apresentada a impossibilidade imediata de previsões de longo prazo, e aplicando-a na política brasileira, esta apresentará um quadro de incertezas e obviamente imprevisões no cenário tanto político quanto econômico.

Viver é Perigoso

ACERTOU O TOM


"Se o vídeo da reunião ministerial mostrasse uma equipe altamente focada em combater a epidemia e na união do país, Bolsonaro hoje estaria sem qualquer base de apoio. Ele teria sérios problemas para explicar a seus eleitores que eles acabaram votando em alguém que trabalha pelo Brasil."

Márcio Reis

Viver é Perigoso

PEDINDO A PALAVRA

Viver é Perigoso

BLACK FRIDAY


Sexta-feira, 23 de maio de 2020. Dia com acontecimentos que deveriam ser apagados da história política do País.

Estapafúrdia a nota publicada pelo porta-voz do presidente Bolsonaro, general Augusto Heleno, em resposta a um encaminhamento normal para análise, feito pelo ministro do Supremo Tribunal de Justiça a Procuradoria Geral da República.

"se o pedido inconcebível e inacreditável for aceito poderá ter consequências imprevisíveis para a instabilidade nacional "

Demonstração de total despreparo. 

Depois, numa sessão de final de tarde, vem a exibição de um filme impróprio para pessoas educadas. A triste reunião do Conselho de Ministros "cometida" no dia 22 de abril de 2020, que diferentemente do dia 22/4/1500, quando se comemora o descobrimento do Brasil, ficará conhecido como o dia do encobrimento do Brasil.

Com todo respeito aos botequins do País,  aconteceu na ocasião no Planalto, uma reunião com estilo, comportamento e palavreado, próprio de botequins de segunda linha, em horários avançados.

Ridículo.

Para completar, mais a noite, vem o "grand finale" com a "desgraceira" do discurso com duração de 1 hora feito pelo Sr. Jair Bolsonaro. Sem pé e sem cabeça, misturando sogra, pandemia, polícia federal, facada, taxímetro, Moro, Celso de Melo, filhos, amigos, quarentena, cloroquina e capim.  

O que fazer ? Nenhuma solução à vista, exceto contritas orações.

Cenário de mortes, perdas, insegurança, medo, entubações, tentativas de remédios, perspectivas de desemprego, falências, compra e venda de cargos, judiciário e legislativo, atônitos e executivo perdido.

Pessimismo ? Mais para realismo.

Viver é Perigoso