quarta-feira, 29 de abril de 2020

SOB A LUZ DE VELAS



"Viver é uma coisa maravilhosa, mas quase não está dando para perceber "

Millôr

Viver é Perigoso

INEVITÁVEIS MUDANÇAS


Depois desse sufoco muita coisa coisa irá mudar no Brasil. Uma das mudanças, sem dúvida, será nos restaurantes self-service.  Creio que não veremos mais as pessoas se servindo direto. Será coisa do passado.

Como foi comentado hoje no jornal "Folha de São Paulo", voltaremos a era do PF (calma, não se trata de polícia federal). Para os que estão chegando agora, do Prato-Feito. Aliás, a guisa de curiosidade, pelo que me lembro, todo o PF vinha em prato fundo.

Funcionaria assim: Disposição das travessas habituais, com os alimentos, separadas do clientes por um painel transparente de acrílico ou de vidro. Uma funcionaria, na parte interna, devidamente trajada, com máscaras luvas, etc, seguiria o cliente, que iria apontando sobre a composição do prato. O freguês iria indicando positivo ou negativo e com gestos, as quantidades a serem depositadas no prato.

Serão necessários diversos funcionários acompanhantes e servidores. 

No final da linha, após servir-se de uma garrafinha de água ou refrigerante, também devidamente resguardado, um funcionário controlaria o recebimento, sempre com cartão e nunca com dinheiro vivo. No caminho, o cliente teria acesso a um jogo de talheres devidamente embalado em plástico. As mesas, sempre com possibilidade de acolher duas pessoas, ficarão distanciadas dois metros uma da outra.

Sentados, os almoçantes poderão afastar ligeiramente as máscaras.

Fuçar na comida para localizar e fisgar os pedaços mais desejados, já era.

É a vida...

Viver é Perigoso  

SPOILER


Seguindo uma indicação do Dr. Aldo fui assistir a série "Isabel" no Amazon Prime. Desde os bons tempos das aulas de história, no Colégio de Itajubá, dadas pelo saudoso Prof. Júlio dos Santos, tinha uma boa impressão da Rainha Isabel de Castela. Isso devido ela ter bancado a viagem do genovês Cristovam Colombo, que culminou com a descoberta da América.

Isabel e o marido Fernando II, ficaram conhecidos como "os reis católicos".

Pouco tempo atrás, as autoridades espanholas abriram as portas para legalizar a situação dos descendentes dos judeus sefarditas, dispersos em 1492, após a assinatura pela Rainha Isabel, do Decreto de Alhambra, que ordenou a expulsão e/ou conversão forçada da população judaica de Castela e Aragão.

Ficou conhecida a mudança de sobrenomes usadas para escapar da perseguição. Segundo informações, Riera e Gonçalves, estão entre eles. 

Meio que sem paciência, assisti o primeiro capítulo (a série é boa) e fui buscar literatura a respeito. Li a história e me desinteressei pelo filme.

Minha atenção foi chamada ao comparar, inevitavelmente, a beleza da atriz do seriado (Isabel) e as pinturas existentes da rainha original. A diferença me pareceu enorme.

Mas, assistam. É interessante.

Viver é Perigoso

NUVENS PASSAGEIRAS


Sei lá...mas o Ministro Nelson Teich denota estar mais perdido do que cego em tiroteio. Deve comentar com a família "o que estou fazendo aqui ? ". Da mesma forma a Regina Duarte deve comentar: "Onde fui amarrar o meu burro ? "

Viver é Perigoso

RAMAGEM

Viver é Perigoso

AGORA VAI !

Viver é Perigoso