segunda-feira, 20 de abril de 2020

CANTINHO DA SALA

Cândido Portinari
Viver é Perigoso

POIS É...


Viver é Perigoso

OPERAÇÃO DE GUERRA


As autoridades não estão por aí dizendo que estamos numa situação de guerra ?  Desta forma compreende-se a ação promovida pelo Governador (comunista) do Maranhão, Sr. Flávio Dino.

Mais ou menos na calada da noite, o Maranhão comprou 107 respiradores na China e para não correr risco de apreensão dos equipamentos, a operação foi via Etiópia e o desembaraço foi feito em São Luís, com fretamento de avião para o voo São Paulo-São Luís.

A Receita Federal ficou a ver navios (ou seriam aviões ?). A operação foi feita sem o licenciamento da Anvisa e os trâmites legais da legislação aduaneira. A Infraero registrou Boletim de Ocorrência e a Receita Federal, que considerou a importação ilegal, está tomando as providências fiscais.

O Governo Dino, lamentou os protestos da Receita Federal, mas confirmou que  continuará pensando em estratégias para cuidar da população de seu estado durante a pandemia do novo coronavírus. Segundo ele, a operação nada teve de ilegal. "As mercadorias existem, foram compradas legalmente, pagas e transportadas em voos legais. Os respiradores estão sendo usados em um serviço inadiável, salvando vidas. Não temos preocupação com ameaças de nenhum tipo, pois proteger vidas é a nossa missão"

Blog: Guerra é guerra. O Governador, pela sua filiação partidária (PC do B) e imaginando que atender o Maranhão não seria enquadrado como prioridade pelo governo federal, tomou as providências. Sei não, mas faríamos o mesmo.

Viver é Perigoso  

POR FAVOR, MEUS SAIS !


A gente chega a conclusão que está na hora de ir embora, quando a esquerda se apega nas besteiras de Glenn Greenwald e a direita nas do Roberto Jefferson.

John Chair

Viver é Perigoso

HEI, PSSSIUUUU !

Viver é Perigoso

POIS É...AGORA, SEGURA PEÃO !


Bolsonaro já falou besteiras e praticou atos questionáveis pelas leis ou pelo bom senso como nenhum outro presidente em eras recentes. Mas ele não pode ser acusado de dois pecados usuais dos políticos nacionais: incoerência e hipocrisia. 

Até o seu mais empedernido crítico haverá de reconhecer que ele se mantém fiel às suas ideias e posturas como candidato. Transcorridos mais de 15 meses de mandato, Bolsonaro ainda não cometeu o crime político mais comum no país: o de estelionato eleitoral.

Na presidência, Bolsonaro está sendo e fazendo exatamente o que prometia na campanha e era de se esperar. Ele corresponde 100% às expectativas não só dos eleitores, que lhe permanecem fieis em sua maioria, como também dos opositores que seguem lhe dirigindo as mesmas críticas de antes. Bolsonaro não mudou após ser eleito. Continua o mesmo, para o bem ou para o mal.

O eleitor de Bolsonaro pode se arrepender, mudar de lado e de opinião, renegar o passado, xingar o presidente e bater panela. Pode falar e fazer o que bem entender, até pedir impeachment. Só não pode dizer que votou enganado. Vai ter que conviver com essa escolha em sua consciência.

Raquel Faria

Viver é Perigoso