terça-feira, 3 de março de 2020

DIA DA CRIANÇA


Em 1924, o deputado federal Galdino do Valle Filho lançou a ideia do Dia da Criança. Os deputados aprovaram e o dia 12 de outubro foi oficializado pelo presidente Arthur Bernardes, por meio do decreto nº 4867, de 5 de novembro de 1924.

Em 1940, Getúlio Vargas instituiu um novo decreto, que criava uma nova data de comemoração, conforme o Artigo 17 do Capítulo VI: "Será comemorado em todo o país, a 25 de março de cada ano, o Dia da Criança. Por alguma razão, a data de 25 de março ficou apenas "no papel".

Somente em 1960, quando a Fábrica de Brinquedos Estrela fez uma promoção conjunta com a Johnson & Johnson para lançar a "Semana do Bebê Robusto" e aumentar suas vendas, é que a data de 12 de outubro passou a integrar o calendário das festas comerciais.

Em Portugal, comemora-se no dia 1 de junho. A ONU registra o dia 20/11. Nos EUA no dia 1º domingo de junho.

Triste é saber a razão do Dia da Criança no Paraguai ser comemorado no dia 16 de agosto. No dia 16 de agosto de 1869, quando acontecia a trágica Guerra do Paraguai, na célebre batalha de Campo Grande (hoje como distrito Eusébio Ayala), ou como os paraguaios chamam, "Acosta Ñu" cerca de 20.000 soldados brasileiros lutaram contra aproximadamente 3.500 menores paraguaios.
A maioria eram crianças de no máximo 15 anos. A batalha durou 8 horas. A batalha, do lado brasileiro, foi comandada por Conde d´Eu, marido da Princesa Isabel.

Viver é Perigoso

SÓ DE IDA

Viver é Perigoso

OUTDOOR 2020


O pessoal há séculos na Administração da Cidade não brinca em serviço. São especialistas, com mestrado, doutorado e pós-doutorado em campanhas eleitorais.

Imagino, digo imagino porque certezas advindas do poder público local são privativas para os parceiros próximos.

Foi publicado hoje (3/3) o assinado entre a PMI e a empresa Pavidez Engenharia Ltda,  de Muzambinho, o contrato nº 010/2020, para prestação de serviços de obras de qualificação viária no município, no valor de R$ 11.785.336,44.

O vice-prefeito Christian (pré - candidato a prefeito pela situação) confirmou o investimento total no asfaltamento, de R$ 35 milhões.

Pelo visto, com financiamento com juros de 2% mais TJLP, com carência de 5 anos e prazo de 20 anos para pagar.   

Segundo comentários da internet, possivelmente, dentro de tal contrato, deverão ser asfaltadas 111 ruas na terrinha.

Isso mesmo. Cento e onze ruas, desde a histórica Felipe Pizzuto, na Boa Vista, é claro, até a Avenida BPS.

Onde está o "outdoor" ? Exposto durante a vigência do contrato de 7 meses, iniciando-se em março/2020 e terminando em outubro/2020. Coincidentemente, em ano eleitoral.

Todo, repetindo, todo o eleitor itajubense irá assistir obras impossíveis de passarem desapercebidas  e  sei não se não aproveitam para colocar placas " Desculpem o incômodo. Estamos realizando". Logicamente, constando com logo da administração.

Em priscas eras, quando o então Prefeito Rosemburgo Romano providenciou o asfaltamento do centro da cidade, os políticos de oposição diziam à boca pequena : " estão colocando um manto negro sobre a cidade".

Bom, tudo bem, desde que não venham só com a tradicional capinha asfáltica.

Ah ! recomenda-se que os candidatos à vereança, durante a campanha, portem uma caderneta para anotar os pedidos de quebra-mola.

É a vida...  

Viver é Perigoso

ESPANHOLA

Viver é Perigoso

CANTINHO DA SALA



Viver é Perigoso

VEREADOR EM ITAJUBÁ


Vereador na primeira Câmara Municipal de Itajubá instalada em 1848. Com apenas 24 anos, juiz e formado pela Faculdade de Direito do Largo São Francisco.

Dr. Joaquim Delfino Ribeiro da Luz.

Nasceu em Espírito Santo dos Cunquibus, que por iniciativa dele mesmo, em 1850, passou a se chamar Cristina.

Filho da Dona Felicidade Perpétua da Luz (sobrinha do Padre José Dutra da Luz – considerado o fundador de Cristina).

Ingressou no Partido Conservado e teve carreira política rápida e destacada, elegendo-se deputado por várias legislaturas. Foi também presidente da Província de Minas Gerais, Ministro do Exército, da Marinha, da Justiça, até ser elevado ao cargo de Conselheiro do Império, destacando-se – da mesma forma – como Senador.

Foi por sua iniciativa que a, então, Vila do Espírito Santo dos Cumquibus passou a se chamar Vila Cristina, em uma homenagem à Imperatriz do Brasil, Tereza Cristina de Bourbon Orleans e Bragança.

Amigo pessoal do Imperador D. Pedro II, Com a queda da Monarquia, em 1889, retirou-se da vida pública, permanecendo definitivamente em Cristina – na época já município – até o seu falecimento, em 2 de Junho de 1903.

Viver é Perigoso