quinta-feira, 27 de fevereiro de 2020

NOSSOS HERÓIS


Assisti no Cine Paratodos, na Boa Vista, é claro, entre 1965 e 1966. Fiquei encantado com o personagem Joaquin Murieta (ou seria Murrieta). Depois de anos, passei a procurar informações e ler sobre a sua vida real e agitada.

Murieta nasceu em 1829, em Sonora - México. No Chile, dizem que ele nasceu ou viveu por lá.

Pouco se sabe da vida de Joaquín Murieta, transformada em lenda pela cultura popular mexicana e chilena. Foi enaltecida por versos, contos, livros, brochuras e canções. 

Ficou a lenda que Murieta foi um homem amante da paz, levado a buscar vingança quando ele e seu irmão foram falsamente acusados de roubar um cavalo. Seu irmão foi enforcado e Joaquin chicoteado. Sua jovem esposa foi estuprada por bandidos. 

Jurando vingar-se, Joaquin perseguiu todos os que haviam violado sua amada. Ele embarcou em uma curta mas violenta carreira (teria sido morto em 1853) que levou a morte a seus torturadores americanos. O Estado da Califórnia ofereceu então uma recompensa de até US$ 5.000,00 por Joaquin "morto ou vivo". 

Dependendo do ponto de vista, era um bandido ou um patriota mexicano. De qualquer maneira, para alguns ativistas políticos o seu nome tem simbolizado resistência latino-americana perante a dominação econômica e cultural americana.

'Fulgor e morte de Joaquín Murieta' é a única peça teatral escrita pelo poeta chileno Pablo Neruda. Surgido em forma de poesia na juventude do autor, foi posteriormente adaptado para os palcos. É a história trágica de Joaquín Murieta, visto como herói pelo Chile e pelo México, reivindicadores ambos de ser o local de seu nascimento.

Viver é Perigoso

IMPERDÍVEL


Lá pelas tantas, lidando com outros estudos, estacionei, usando o computador, na Reunião da Comissão Permanente de Educação, Cultura, Turismo, Desporto e Lazer, da Câmara Municipal de Itajubá.

Vez por outra atentava na discussão e vez por outra entendia. Na maioria, desentendia.

Já passando das 17 horas e com outros compromissos, atentei para os finalmente, que não ocorreram. Fiquei quase certo que os Senhores Vereadores participantes e diretores da casa assessorando-os, saíram sem saber ao certo o que aconteceu.

Vão ter que ver e rever o vídeo.

Pelo nervosismo e exaltação demonstrados, já na retirada, ficou a impressão que o Vereador Molina não teve contemplada a posição que defendia. Só.

Não entendo muito e tão pouco aprecio o célebre escritor Franz Kafka, mas creio que, mesmo dentro do seu estilo, teria dificuldade para relatar o ocorrido.

Buscando socorro no Google:
  
"A escrita de Kafka inspirou a criação do termo "kafkiano", usado tanto em português como em outras línguas para descrever conceitos e situações que remetem à sua obra., Entre os exemplos de situações usadas estão momentos quando a burocracia subjuga as pessoas, geralmente de forma surreal, evocando distorção, falta de sentido e impossibilidade de ajuda. Personagens em uma cena kafkiana geralmente carecem de autossuficiência para escapar das situações labirínticas. Elementos kafkianos muitas vezes aparecem em obras existencialistas, mas o termo ultrapassou o meio literário e também é usado em ocorrências reais que são incompreensíveis, complexas, bizarras ou ilógicas"

Viver é Perigoso

FALOU E DISSE :


A livre discussão, a ampla participação política e o princípio democrático estão interligados com a liberdade de expressão, tendo por objeto não somente a proteção de pensamentos e ideias, mas também opiniões, crenças, realização de juízo de valor e críticas a agentes públicos, no sentido de garantir a real participação dos cidadãos na vida coletiva.

Tanto a liberdade de expressão quanto a participação política em uma Democracia representativa somente se fortalecem em um ambiente de total visibilidade e possibilidade de exposição crítica das mais variadas opiniões sobre os governantes. 

O direito fundamental à liberdade de expressão não se direciona somente a proteger as opiniões supostamente verdadeiras, admiráveis ou convencionais, mas também aquelas que são duvidosas, exageradas, condenáveis, satíricas, humorísticas, bem como as não compartilhadas pelas maiorias. 

Ressalte-se que, mesmo as declarações errôneas, estão sob a guarda dessa garantia constitucional. 

(Ministro do STF - Alexandre de Moraes, em 2018, no julgamento que derrubou proibição de críticas humorísticas durante o período eleitoral - Jurisprudência formada) - O Antagonista

Viver é Perigoso

O QUE ESTÁ FALTANDO ?


No princípio, a praça principal da terrinha era chamada de Largo dos Passos.

No dia 25 de setembro de 1891, numa daquelas bobeiras que acontecem até hoje, rebatizaram-na para Praça José Cesário de Faria Alvim. 
O homenageado, passava pela cidade, quando da inauguração da Estrada de Ferro do Sapucaí. Registre-se, que o Sr. Cesário Alvim era o Governador do Estado.

Assim permaneceu até o dia 20 de agosto de 1963, quando um dos grandes homens da história de Itajubá, o Ilustre vereador Sebastião Simões, que também foi um grande presbiteriano e funcionário da Imbel, apresentou o projeto de lei que mudaria o nome da Praça Cesário Alvim para Praça Theodomiro Santiago.

O projeto foi aprovado por unanimidade, sendo sancionado pelo Prefeito José Maria da Silveira Campos, em 23 de novembro de 1963, dia em que era comemorado o cinquentenário da nossa Escola de Engenharia. Theodomiro Santiago: uma referência.

Pois bem, Um jovem médico aporta na cidade no início dos anos 60. Dedica-se de corpo e alma no atendimento das pessoas. Dr. Rosemburgo Romano. 

Prefeito Municipal de Itajubá de 1973 até 1977. Novamente, de 1988 até 1992. Homem de grandes realizações. Distrito Industrial, Hospital de Itajubá, Faculdade de Medicina.

Deputado Federal em 1978 a 1982. Presidente da Comissão de Saúde. Participação ativa.

Responsável pela abertura e construção da importante Avenida dos Ferroviários, que une os Bairros da Boa Vista e Morro Chic, onde namorou, casou e tomou o barco.

O que falta para a Câmara Municipal dar o nome de Avenida Dr. Rosemburgo Romano a tão importante via. Médico que passou grande parte da sua vida atendendo os próprios ferroviários e familiares, da Rede Mineira Viação e depois Rede Ferroviária Federal ?

Com todo o respeito e lembranças deixadas, principalmente, na Boa Vista e Morro Chic, pelos cidadãos ferroviários, creio que aqueles que continuam entre nós e seus familiares, concordariam com a justíssima homenagem.

Dr. Rosemburgo Romano: uma referência.

Um dia ainda nos encontraremos na Av. Dr. Rosemburgo.

Viver é Perigoso  

DETONARO

Viver é Perigoso

OH ! MINAS GERAIS


Sei não. Primeiro foi o Cruzeiro, num vexame sem precedentes, caiu para a segunda divisão. Divulgado que a dívida do clube é quase impagável.

Vem o Zema, recém alçado à primeira divisão da política e cai na armadilha de propor um reajuste de 42% para o setor de segurança. O Legislativo, que de bobo não tem nada, estendeu o impagável aumento para todo o funcionalismo. Beco sem saída. Vetar ou não vetar ?

Agora vem o Atlético Mineiro. Outro dia o clube foi eliminado da Copa Sul-Americana pelo Unión Santa Fé. Ontem, pasmem ! foi eliminado da Taça Brasil pelo Afogados de Pernambuco. Toda a comissão técnica foi demitida.

Querem mais ?

Viver é Perigoso

CRISES DIÁRIAS


“Bolsonaro e sua prole ainda não notaram. Mas a imprensa não é parte da crise, apenas se alimenta dela. Os repórteres levam à gôndola a mercadoria que o presidente fabrica. Se o inquilino do Planalto mudar de ramo, substituindo crises por soluções, os repórteres mudarão de assunto instantaneamente.”

Josias de Souza

Viver é Perigoso

ESCOLAS CÍVICO - MILITARES


O ministro da Educação, Abraham Weintraub, divulgou a relação de escolas selecionadas para participar do programa de escolas cívico-militares. São 54 escolas de 22 estados e do Distrito Federal. Os Estados que mais terão escolas cívico-militares são Rio Grande do Sul e Pará, ambos com cinco escolas.

A implementação do modelo ocorrerá ao longo do ano, em edição piloto.

Minas Gerais terá três escolas: Belo Horizonte, Ibirité e Barbacena.

Viver é Perigoso