quinta-feira, 13 de fevereiro de 2020

CANTINHO DA SALA

Paul Cézanne - O Jardineiro Vallier - Museu Tate - Londres. 
Viver é Perigoso

AGENDA DO PLANALTO


O general Walter Braga Netto, chefe do Estado Maior do Exército e que comandou a intervenção federal no Rio de Janeiro em 2018, assumirá a Chefia da Casa Civil, substituindo Onyx no cargo. 

Com a formalização da mudança, todos os ministros com assento no Palácio do Planalto terão origem militar. Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo), Jorge Oliveira (Secretaria-Geral) e Walter Braga Netto (Casa Civil).

Lembrando, que Bolsonaro ainda tem outros seis militares no primeiro escalão de seu governo: Hamilton Mourão (vice-presidente), Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia), Bento Albuquerque (Minas e Energia), Fernando Azevedo (Defesa), Wagner Rosário (Controladoria-Geral da União) e Tarcísio Freitas (Infraestrutura).

Blog: A imprensa inimiga, não demorará para sugerir uma agenda diária:

06:00 horas - Toque de Alvorada
06:30/07:00 horas - Rancho - Café
07:30 horas - Formatura/Ordem do dia/ Hasteamento da Bandeira e Hino Nacional
08:00/09:00 horas - Ordem Unida
09:30/10:30 horas - Educação Física
11:00/12:00 horas - Expediente
12:30/13:30 horas - Rancho - Almoço
14:00/17:00 horas - Expediente
17:00 horas - Formatura /Leitura do Boletim
17:30 - Dispensa

Viver é Perigoso

TUDO SOB CONTROLE


O anel já foi localizado.

Viver é Perigoso

A MARCHA DA INSENSATEZ


"A Marcha da Insensatez", da maior historiadora americana Barbara W. Tuchman, foi publicado em 1984. Para ler, reler e assustar-se. Em tempo, a autora foi laureada com o Prêmio Pulitzer por duas vezes.

Obra para ser lida e relida, dedicada aos que se interessam pelos caminhos da humanidade e procuram explicações para a insensata adoção, por muitos governantes, de políticas contrárias aos seus próprios interesses.

Como entender que, com poder de decisão política, alguns ajam tão frequentemente de forma contrária àquela apontada pela razão e pelos próprios interesses em jogo? Por que o processo mental dessas inteligências, também tão frequentemente, parece não funcionar ?

O último capítulo do livro oferece ao leitor conclusões bastante melancólicas sobre os relatos e feitos analisados. Uma dessas conclusões sustenta a tese de que, entre as causas que mais contribuem para a insensatez política, a principal é a ambição do poder.

A ambição do poder é definida por Tácito como sendo a "mais flagrante de todas as paixões". Ela só se satisfaz quando exerce o poder sobre os demais seres humanos. Governar acaba sendo a melhor forma de exercer o poder sobre as pessoas.

Ganhar muito dinheiro, ou conseguir muita fama, também oferece satisfação de poder.  Embora o dinheiro lhes propicie alta posição social e luzes de fama, fica faltando o domínio sobre os demais. O real domínio, que só o ato de governar lhes oferece! O domínio sobre os outros significa, para os governantes, o verdadeiro poder que ambicionavam. Por isso desejam-no ardentemente e conquistam-no a duras penas. Depois, lamentavelmente, se revelam incapazes de exercê-lo sobre si mesmos.

Nenhuma alma, segundo Platão, consegue resistir ao excesso de poder. Para livrá-la da insensatez, só a garantia das leis. Sem essas garantias, o excesso de poder conduz à desordem e à injustiça. Toda a insensatez começa assim...

No mundo de hoje, qualquer titular de governo enfrenta muitíssimos problemas. Às vezes, fica difícil a compreensão clara e sólida de muitos deles.  Além disso, o grupo que cerca o chefe só age em função de decisões que possam lhe garantir prestígio político e força eleitoral. E, dizia Maquiavel, "se ele fica à mercê do grupo que o cerca, ele abre caminho para uma situação que alguns estudiosos definem como "estupidez protetora".

A estupidez protetora é a responsável pelo fato do titular do governo não fazer muitas perguntas, não escutar pacientemente as respostas e não ficar irado quando verifica que lhe ocultaram a verdade.

Misteriosas e oportunas pesquisas de opinião dão a entender que o povo está feliz, achando que tudo vai bem. 

De onde vem, então, essa apregoada visão positiva de um governo tão vulnerável ?

Vem da força da propaganda. (e do silêncio imposto aos poucos questionadores)
 
(trechos de artigo da Sandra Cavalcanti)

Viver é Perigoso

MORRO ABAIXO


Sei não, mas não tenho conhecimento na história do País de uma queda tão abrupta e, aparentemente definitiva, politicamente falando, como a do Aécio Neves.

Sumiu.

Volta as manchetes dos jornais as informações sobre a tentativa do empresário Eike Batista de celebrar um acordo de colaboração premiada e a possível participação do Aécio Neves em nebulosas transações.

Mencionado um contrato celebrado entre Eike Batista e a empresa Aalu Participações e Investimentos S/A, que pertence a Alexandre Accioly, que seria  a prova que o empresário levou aos procuradores para sustentar a informação de que pagou R$ 20 milhões ao ex-governador de Minas, Aécio Neves, em 20110.

O repasse seria em troca de favores em atos do governo de Minas, que estava sob influência do tucano.  Foi apurado que o pagamento de fato ocorreu no mesmo período de um outro aporte feito pela empreiteira mineira Andrade Gutierrez para a mesma empresa de Accioly, no valor de R$ 35 milhões.

Assim como fez Eike, executivos da empreiteira mineira sustentaram que o repasse era propina para Aécio. Eles já prestaram depoimento à Polícia Federal. 

Sócio da rede de academias Bodytech, Accioly é amigo de juventude do tucano mineiro. A Aalu é sua holding para investimentos e participações.

Logicamente, por meio de nota, Alexandre Accioly e sua empresa, negaram com veemência ter recebido qualquer recurso em nome de Aécio Neves por parte de Eike Batista, de suas empresas, prepostos ou quem quer que seja a qualquer tempo.

Também por meio de nota, a assessoria de Aécio, que hoje é deputado federal, declarou que "a acusação é falsa e absurda". 

Situação complicada. Por esse e  outros fatos divulgados, politicamente, o Aécio definhou-se.

Viver é Perigoso

AQUI, ALI E EM QUALQUER LUGAR


Em Belo Horizonte, o governo Kalil, buscando a reeleição, assinou no início deste mês, através da Secretaria Municipal de Assuntos Institucionais e Comunicação Social, contrato de R$ 46 milhões com a agência Perfil para prestação de serviços de publicidade nos próximos 12 meses. 

No triênio de 2017 a 2019, os gastos ficaram em torno de R$ 30 milhões. Ou seja, o aumento da verba neste ano eleitoral está sendo de 50%.

Com a sua nova verba publicitária o governo da capital mineira promete uma avalanche de propagandas da prefeitura nos veículos de mídia da capital. 

O investimento deverá ser concentrado no primeiro semestre já que a legislação proíbe publicidade de governos durante a campanha eleitoral, a partir de julho.

Viver é Perigoso

OPÇÃO


Ouvido agora de manhã nas proximidades da Igreja São José, na Boa Vista, é claro:

- Sinceramente, prefiro um membro do governo competente, mesmo, vez por outra dizendo besteiras, do que um incompetente cuidadoso nas falas.

Viver é Perigoso