sexta-feira, 10 de janeiro de 2020

MOMENTOS MÁGICOS



Viver é Perigoso

CONTATOS IMEDIATOS DE TERCEIRO GRAU




Casa com frente direta para a rua, sem ter a frente murada e com campainha acessível.

Tipo de moradia que deveria ser obrigatória para aqueles que exercem mandatos, levando-os ao contato direto com as pessoas normais.

Você conhece algum político que, em assumindo um mandato não tome a iniciativa de se encastelar ? Vão morar em condomínios com rigorosa e seletiva portaria, controle eletrônico nos portões e sonham com a construção de fossos habitados por jacarés famintos.

Deixam de viver a realidade dos pedidos de ajuda para conseguir emprego, de receitas de remédios para aviamento, do desespero na busca de auxílio para aceleração de exames médicos e por aí afora.

Em sua grande maioria, gente de bem. Sofrida. Com o orgulho próprio derrubado.

Para os encastelados, tudo vai bem. Estão, ou parecem estar alheios aos acontecimentos do dia a dia.

A cada quatro anos, por uns dois meses, descem e atravessam a passagem do fosso de seus castelos, vestem o famoso sorrisinho simpático e saem para os cumprimentos, claro, consultando sempre o assessor encarregado de portar a garrafinha de álcool gel.
Viver é Perigoso

O CINEMA NÃO VAI ACABAR


Interessante a entrevista concedida ao "Valor" pelo Valmir Fernandes, brasileiro que é presidente da Cinemark (global) uma das maiores redes de salas do mundo. Formado em engenharia química, no Instituto Mauá de Tecnologia, e em administração de empresas, com especialização em finanças e marketing, na Fundação Getúlio Vargas.

Fernandes não teme pelo futuro do cinema, que muitos acreditam estar ameaçado pelo avanço do streaming. 

- O cinema não vai acabar. Não necessariamente. O impacto das novas tecnologias ainda não está definido. Pela qualidade e pelas inovações no setor, sabemos que o cinema pode sofrer algumas mudanças significativas, mas não vai acabar. A sofisticação das salas será sempre um atrativo.

No Brasil, são 625 salas, o que faz da Cinemark a líder no mercado, apesar da expansão acelerada da empresa mexicana Cinépolis, atualmente com 422 salas. O faturamento anual da Cinemark é de US$ 305 milhões no Brasil e US$ 2,5 bilhões nos EUA.

Fernandes reconhece que o preço do ingresso é alto para a maioria dos brasileiros. No Cinemark Pátio Paulista, por exemplo, a inteira sai por R$ 46, para sessões 2D. Nos EUA, como ele mesmo destaca, o americano precisa trabalhar uma hora, ganhando o salário mínimo, para comprar uma entrada de cinema. Já o brasileiro precisa de um dia inteiro de trabalho para pagar por um ingresso. 

Também são frequentes as reclamações sobre os preços dos produtos do “snack bar”, como os do balde de pipoca salgada, vendido a R$ 27, e o do refrigerante grande, a R$ 17. Em média, a rede vende 900 mil sacos de pipoca por mês no Brasil - onde quase 30% do faturamento da Cinemark é proveniente de alimentos e bebidas, um número que sobe para 36%, no nos cinemas da companhia nos EUA.

O executivo afirma que não poderia colocar o ingresso a preço mais acessível no país. “O público geralmente só vai ao cinema aos sábados e aos domingos, quando estamos lotados. Ninguém vai às segundas à tarde, para ver o cinema às moscas, e mesmo assim com tudo funcionando”. O setor exibidor já faz uma proeza, conseguir funcionar com taxa de ocupação de 20%. 

Viver é Perigoso

PORTA DOS FUNDOS

Viver é Perigoso

ENQUANTO ISSO...


DECRETO Nº. 7.651/2020 Fixa tarifa do Transporte Coletivo Urbano e dá outras providências.

I - R$ 4,00 (quatro reais), para as linhas urbanas do sistema, porém quando pagamento realizado por meio de bilhete eletrônico - TRANSCARD será R$ 3,90 (três reais e noventa centavos);

II – R$ 4,50 (quatro reais e cinquenta centavos), para as linhas rurais do sistema, porém quando pagamento realizado por meio de bilhete eletrônico - TRANSCARD será R$ 4,40 (quatro reais e quarenta centavos); 

Parágrafo único. A tarifa referente a passes escolares será cobrada à razão de 50% (cinquenta por cento) do valor definido nos incisos acima.

PMI

Viver é Perigoso