domingo, 5 de janeiro de 2020

VENTOS DE GUERRA


Daqui a 10 meses. Pelo calendário, o primeiro turno das eleições municipais acontecerá em 4 de outubro. 

Pelas conversas, a chapa da situação para a eleição de outubro já estaria definida. Sem nenhuma surpresa a dupla Christian Gonçalves e Dr. Nilo Baracho tem a benção do atual prefeito, impedido (já tem uma reeleição nas costas) de participar diretamente. Claro, que indiretamente será o cabeça de chapa. 

Nada definido pelas bandas da oposição. A tendência é seguir com o Dr. Ricardo Mello.

Certamente a atual administração incentivará e promoverá a participação de outra chapa, que apresentará um discurso meio morno, tão somente para dividir o eleitorado. Sempre agem assim e tem funcionado.

A estrutura de campanha (pesquisas/marketing/apoios/etc) da chapa da situação será impressionante. Custos financeiros que desorientam os possíveis candidatos oposicionistas nem passam pela cabeça dos detentores do poder. Limites legais ? Esqueçam.

A definição antecipada do candidato a vice foi interessante. Mata no berço a enormidade de interessados que sonhavam com o cargo. Vereadores, secretários e próximos, ficaram a ver navios. Interessante é que param de rodear e procuram outra saída. Como, com a redução do número de vereadores e o desempenho pífio neste mandato, a reeleição para a Câmara passou a ser um sonho distante. Quem sabe uma beira no possível novo secretariado Christian/Baracho ?

Caso a chapa da situação vença as eleições, uma coisa é certa e podem cobrar no ano que vem: Em poucos meses de mandato deverão ter no atual prefeito e patrono eleitoral um inimigo mortal.

Ou seguem como "postes", o que de forma alguma é do perfil do Christian/ Baracho - bem preparados - mantendo nomes/parcerias/ arrumações, ou buscam vida própria com equipe diferenciada e colocando em prática as correções inevitáveis.

Vida própria política, dos que o cercam, é termo inexistente no google do atual gestor. É questão de estilo.

Viver é Perigoso 

CORRUPTÔMETRO


Está para ser sancionado pelo Prefeito Bruno Covas - São Paulo, o projeto que cria a Política Municipal de Prevenção da Corrupção.

Levou a isso, a suspeita de acerto entre os fornecedores de uniformes da rede municipal de educação.

Entre outras determinações, o projeto determina a comparação automática de preços praticados no setor público com a área privada. A tecnologia disponível já permite disparar um alerta ante qualquer diferença acima dos 30% (???) nos valores de aquisição dos produtos.

Blog: A existência do projeto já confirma que "rolos" existem. Não entendi o limite de 30%. O preço de venda de produtos/serviços  praticados não deveria ser mais próximo (para maior ou menor) dos que os praticados no setor privado ?

Viver é Perigoso 

GLOBO DE OURO


O Globo de Ouro, premiação entregue pela Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood (HFPA), abre a temporada de prêmios – que termina com o Oscar, em fevereiro.

A cerimônia que abre, neste domingo, a temporada de premiações de Hollywood será transmitida no canal a cabo TNT a partir das 21h, no horário de Brasília, e terá tradução simultânea. 

O troféu está entre os mais cobiçados prêmios do cinema norte-americano, e é um indicador importante das possibilidades dos filmes e atores perto do Oscar. 

A Netflix, a gigante do streaming, que começou a produzir originais há apena seis anos, participa com 34 indicações entre cinema e TV.

Apenas nas categorias de cinema, a Netflix obteve 17 indicações, com três dos cinco filmes indicados para melhor drama e uma para melhor comédia. 

A Netflix também liderou as indicações de séries, com 17, contra 15 de seu atual rival HBO.

O filme “História de Um Casamento” recebeu seis indicações, enquanto “O Irlandês”,  de Martin Scorsese, recebeu cinco. “Os Dois Papas”, dirigido por Fernando Meirelles, obteve quatro.

Nos encontraremos lá.

Viver é Perigoso

JUÍZO MOÇADA !


Bênção A pedido do ex-presidente Lula, o PT está criando núcleos evangélicos nos estados para tentar acessar essa fatia do eleitorado fiel a Jair Bolsonaro.

Assim que deixou a prisão em Curitiba, o petista disse a aliados que o partido precisava “aprender com os pastores”. Segundo relatos, Lula disse que “eles falam bem e o que as pessoas querem ouvir”.

Painel - Folha

Viver é Perigoso

ÓBVIO ULULANTE !


O Ministro da Justiça, Sérgio Moro, é a personalidade pública em que os brasileiros mais confiam entre 12 figuras do cenário político avaliadas em levantamento do Datafolha.

O Datafolha ouviu 2.948 pessoas em 176 municípios de todas as regiões do país nos dias 5 e 6 de dezembro.

Viver é Perigoso

MUI AMIGO

Viver é Perigoso

UM SENHOR ESTADO


O jornal "O Estado de São Paulo" completou ontem 145 anos, tendo a sua edição inaugural publicada no dia 4 de janeiro de 1875, numa segunda-feira, com o nome de "A Província de São Paulo", que seguiu até 31/12/1899.

Comprovadamente um jornal corajoso e com princípios assumidos. Nada a discutir sobre o jornal. O ""Estadão é o Estadão e pronto".

A mais antiga de todas as seções, conhecida como "Notas e Informações", sempre localizada na página 3, mantem a tradicional postura do jornal de unir, em seus editoriais, conservadorismo político e liberalismo econômico, sendo uma das colunas mais emblemáticas de O Estado de S. Paulo, identificado com o pensamento "conservador" ou "neoliberal" no Brasil.

Existência de lutas.

Em 1924, o Estado foi impedido de circular pela primeira vez, entre os dias 28 de julho e 17 de agosto. A censura veio primeiramente do lado dos revoltosos, quando ocuparam a cidade, e depois do governo federal, após expulsar os rebeldes. Julio Mesquita foi preso e enviado ao Rio de Janeiro.

O chamado Grupo Estado assumiu em 1932 a liderança da revolução constitucionalista e, com sua derrota, boa parte da diretoria foi enviada ao exílio -  Júlio e Francisco foram para Portugal e lá permaneceram até novembro de 1933.

Anos depois, com a eclosão do Estado Novo (1937/1946), o jornal manteve a oposição ao regime e, em março de 1940, foi invadido pelo Dops por supostamente armazenar armas. O jornal foi inicialmente fechado e logo depois confiscado pela ditadura, sendo administrado pelo DIP (Departamento de Imprensa e Propaganda) até 6 de dezembro de 1945, quando foi devolvido pelo STF a seus legítimos proprietários após a deposição de Getúlio. (Os números publicados a partir da intervenção são desconsiderados na história do diário).

Durante a República Nova (1946–1964) o "Estadão" alinhou-se à UDN de Carlos Lacerda e fez oposição a todos os governos, em especial o de João Goulart. Em 1964, o Estado apoiou o golpe militar - descrito como "contragolpe" por Ruy Mesquita - e a eleição indireta de Castelo Branco. 

Em 13 de dezembro de 1968, a edição do Estado foi apreendida em razão da recusa de Mesquita Filho de excluir da seção "Notas e Informações" o editorial "Instituições em Frangalhos", em que denunciava o fim de qualquer aparência de normalidade democrática. A partir do dia 15/12/68, o jornal passou a contar com censores da Polícia Federal em sua redação, ao contrário dos outros grandes jornais brasileiros, que aceitaram se autocensurar.

Em 1969, o jornal ganhou visibilidade mundial ao denunciar a censura prévia com a publicação de trechos de Os Lusíadas, de Luís Camões, no lugar de matérias proibidas pelos censores. Outros poetas, como Gonçalves Dias, Castro Alves, Manuel Bandeira e Cecília Meireles também tiveram obras suas publicadas no lugar de matérias censuradas. 

Entre 29 de março de 1973 e 3 de janeiro de 1975, o Estado teve 1136 textos cortados — em 655 ocasiões, versos de Os Lusíadas foram colocados no lugar das matérias cortadas. Muitos jornalistas do Estado foram perseguidos, presos e torturados.

A partir de 6 de janeiro de 1969, a censura continuou, mas a distância — os cortes eram ordenados por telefone ou por escrito. Ordens ignoradas eram punidas com a apreensão da edição na saída do prédio. Em 3 de dezembro de 1975, acabou oficialmente a censura ao jornal, com a ascensão de Ernesto Geisel ao poder.

Viver é Perigoso