quinta-feira, 2 de janeiro de 2020

É DISCO QUE EU GOSTO



Viver é Perigoso

CONVERSINHA MINEIRA



... Escuta uma coisa: como é que vai indo a política aqui na sua cidade?

– Sei dizer não senhor: eu não sou daqui.

– E há quanto tempo o senhor mora aqui?

– Vai para uns quinze anos. Isto é, não posso garantir com certeza: um pouco mais, um pouco menos.

– Já dava para saber como vai indo a situação, não acha?

– Ah, o senhor fala da situação? Dizem que vai bem.

– Para que Partido?

- Para todos os Partidos, parece.

– Eu gostaria de saber quem é que vai ganhar a eleição aqui.

– Eu também gostaria. Uns falam que é um, outros falam que outro. Nessa mexida…

– E o Prefeito?

– Que é que tem o Prefeito?

– Que tal o Prefeito daqui?

– O Prefeito? É tal e qual eles falam dele.

– Que é que falam dele?

– Dele? Uai, esse trem todo que falam de tudo quanto é Prefeito.

- Você, certamente, já tem candidato.

– Quem, eu? Estou esperando as plataformas.

– Mas tem ali o retrato de um candidato dependurado na parede, que história é essa?

– Aonde, ali? Uai, gente: penduraram isso aí…

Fernando Sabino

Viver é Perigoso

CANTINHO DA SALA

Edvard Munch - "Early Spring in Åsgårdstrand" - 1905.

Viver é Perigoso

O DEDO DO EMÍLIO


Escreveu Lauro Jardim no "O Globo".

O dedo de Emilio Odebrecht na carta mais importante de Lula.

A reportagem de capa da revista piauí que chega amanhã às bancas, "História de uma amizade — como Emílio Odebrecht se aproximou de Lula e o que aconteceu depois", escrita por Malu Gaspar, traz uma revelação sobre a célebre "Carta ao povo brasileiro": o texto com o qual Lula pretendeu acalmar o establishment econômico na eleição de 2002 teve o dedo do pai de Marcelo Odebrecht. 

Escreve Malu:

— Em meio a intenções genéricas, um item em particular indicava a digital da Odebrecht: a criação de uma secretaria de Comércio Exterior, ligada diretamente à Presidência da República, com a intenção de facilitar o financiamento a obras de infraestrutura e exportação de serviços. 

A capa de piauí é um trecho inédito do livro que a autora do excepcional "Tudo ou Nada — a verdadeira história do grupo X" está escrevendo sobre a Odebrecht e que será lançado em meados do ano pela Companhia das Letras.

Blog: Realmente, a Malu Gaspar, pelo seu livro "Tudo ou Nada", merece toda a expectativa criada pelo seu livro sobre a Odebrecht.

Viver é Perigoso

DUREZA !


Uma ex-diretora da Universidade Brasil, de Fernandópolis (SP), disse à Polícia Federal que alunos pagavam até R$ 80 mil por uma vaga na faculdade de Medicina, e R$ 100 mil quando a vaga fosse por meio do Financiamento Estudantil (Fies). 

A revelação foi feita por Juliana da Costa e Silva em delação na Operação Vagatomia. A Universidade Brasil entrou na mira da PF em setembro por venda de vagas no curso, irregularidades no exame de revalidação de diplomas e fraudes no Fies de até R$ 500 milhões.

Blog: O nome "Universidade Brasil" é sugestivo.

Viver é Perigoso

RELAÇÕES INSEGURAS

Viver é Perigoso

É A VIDA...

Rodrigo e a esposa, Sandra
Tomou o barco ontem em Belo Horizonte (01/1) o delegado de polícia Rodrigo Bossi, acometido por uma insidiosa doença. Ele era casado com Sandra e deixa um filho.

O delegado ficou bastante conhecido em Itajubá por ser responsável pela condução da "Operação Soledade", que investigou/investiga membros da Administração Municipal anterior e da atual.

A operação do Departamento de Investigação sobre Fraudes da Polícia Civil de Minas Gerais, comandado pelo Delegado Bossi, teve enorme repercussão na cidade, temperada que foi pelo período eleitoral. 

Bossi era o encarregado de investigações acerca de denúncias envolvendo administrações  em Minas e também foi o delegado que celebrou o acordo de delação premiada do publicitário Marcos Valério, em que ele conta como começou o mensalão.

Ainda nessa época, ele foi retirado do comando do Departamento de Investigação sobre Fraudes da PCMG, em uma movimentação considerada, por parte da imprensa, estranha.  

À época, muitos afirmaram que o seu afastamento do cargo e transferência para outro setor, era resultado de uma articulação entre o governo e a oposição, que criticava costumeiramente os trabalhos de Bossi. 

Rodrigo Bossi viveu alguns anos nos Estados Unidos, onde sua mãe tem residência permanente, tendo sido soldado na Primeira Guerra do Golfo.

Deve ter partido sem ver os frutos das suas investigações.

É a vida...

Viver é Perigoso