quarta-feira, 2 de dezembro de 2020

TREM BALA


Vez por outra a gente lê alguma coisa sobre o tristemente famoso "Trem Bala" da Dilma. Pois é, a empresa estatal criada na época (2012) para implementar o projeto fracassado, ainda existe e continua "prestando serviços" para o governo federal.

Atualmente, 125 pessoas trabalham na empresa. Ela funciona num escritório na área central de Brasília. Entenda: todos os cargos são de confiança.

Lembrando, o candidato Jair Bolsonaro, durante a campanha eleitoral, disse que a “estatal do trem-bala” seria uma das “50” empresas criadas pelos governos petistas que seriam extintas ou privatizadas se eleito. Tarcísio Gomes de Freitas, ministro da Infraestrutura, pasta responsável pela EPL, resolveu manter a empresa, que depende de dinheiro da União para funcionar e não tem perspectiva de atingir sua independência financeira.

Justificam com o argumento que a EPL é uma prestadora de serviço para o governo. Ela faz os estudos para as concessões de rodovias e presta apoio técnico nas concessões de ferrovias e terminais portuários. Também é responsável pelo Plano Nacional de Logística (PNL), que traz um diagnóstico da logística brasileira e prevê os empreendimentos necessários para melhorar a malha de infraestrutura.

No ano passado, a União enviou R$ 64,73 milhões à companhia, que tem um grau de dependência (percentual das despesas não cobertas com as receitas geradas pela empresa), de 98%.

E segue a vida...

Viver é Perigoso

Nenhum comentário: