terça-feira, 17 de novembro de 2020

FOI-SE O MARTELO


Nunca conheci pessoalmente um comunista declarado. E olhe que já andei muito por aí. Nem os membros do Partido Comunista do Brasil eu levo muito em conta. Para falar a verdade, quando adolescente, na Boa Vista, é claro, conheci um senhor apontado como comunista. Trabalhava na fábrica de tecidos Codorna e era diretor do sindicato dos tecelões.

Depois da deposição do Jango em 1964, aconteceu o fechamento de sindicato, prisões de líderes e até tortura. Por estas bandas, a pouca ideologia que poderia existir esfarelou-se com demissões e medo.

Em 1969, o simpático e calado "comunista" da Boa Vista (pode não ser uma solução mas é uma rima), foi preso e judiado. Anonimamente denunciado por ter recebido em sua casinha de Vila, nas proximidades da Igreja São José, um envelope (sem sinal do remetente) com uma cópia mimeografada do "manual do guerrilheiro", escrito pelo Marighella. 

Os vizinhos atônitos indagavam: como um senhor viúvo, aposentado, solitário, que confessa e comunga diariamente, pode ser comunista ?

Pois é...

Mais recentemente, cumprimentava-o na rua, tentava puxar conversa sobre o passado, mas ele jamais permitiu que o assunto fosse estendido. Sempre em silêncio, tomou o barco.

Hoje, segundo os bolsonaristas, os comunas estão por toda a parte. Segundo noticiam na internet, o País encontra-se dividido entre eles os vermelhos. 

Para desanuviar um pouco, seria bom que o pessoal desse uma lida no livro publicado em 2014 - "Foi-se o Martelo" - Ben Lewis Editora Record.

Piadas e comentários sobre o comunismo juntadas nos 80 anos do regime na Europa. Durante o período dessas ditaduras, partidários e opositores lutaram uma batalha extraordinária e sem precedentes, pela risada.

Piadas tipo:

- Por que, apesar de toda a escassez, o papel higiênico na Alemanha Oriental (dominada pelos russos) sempre teve folha dupla ? 

Porque os alemães-orientais precisavam mandar uma cópia de tudo o que faziam para Moscou.

Viver é Perigoso

Nenhum comentário: