quarta-feira, 11 de novembro de 2020

A PORTA DE ENTRADA DA POLÍTICA

Nas eleições municipais fica evidente a falsidade das afirmações genéricas de que todos os políticos são corruptos ou de que nenhum político está comprometido com o interesse público. O que a crença irresponsável nesses preconceitos revela, é antes de mais nada, um eleitor desinteressado pela cidade e pela política. Ou seja, um mau cidadão.

Não é fruto do acaso a falta, tantas vezes criticada, de bons nomes nas esferas políticas federal e estadual. A ausência de boas opções na eleições gerais é quase sempre resultado de escolhas irrefletidas no pleito municipal.

É decisivo que, com seu voto, o eleitor apoie pessoas honestas e competentes, com capacidade e disposição para realizar a boa política. No próximo dia 15, o eleitor definirá também como será a classe política dos próximos anos.

O pleito municipal tem dimensão de especial peso para a qualidade da democracia. As eleições municipais são a porta de entrada da carreira política. O pleito local é, portanto, a oportunidade por excelência para a tão necessária renovação da política, com gente competente e honesta, disposta a colocar suas melhores capacidades a serviço do interesse público.

As novas lideranças políticas, repetimos, nascem no âmbito local. E vale lembrar que elas não surgem por geração espontânea. O desabrochar de novos nomes - de mulheres e homens competentes, honestos e criativos, profundamente comprometidos com o bem público - se dá pelo voto. É nas eleições municipais, portanto, que o eleitor define as novas lideranças políticas.

A esfera local oferece uma oportunidade única. Nela, o eleitor tem maior proximidade com os candidatos. Assim, o voto é mais acessível. O  cidadão tem a oportunidade de descobrir e conhecer bons candidatos, alinhados ao que ele espera de uma boa gestão municipal e de uma boa política.

Extraído do O Estado de São Paulo

Viver é Perigoso

Nenhum comentário: