quinta-feira, 8 de outubro de 2020

OUTROS TEMPOS


Vi hoje uma propaganda do vereador e buscando a reeleição, o médico Kener Maia. De imediato me lembrei de um seu desabafo proferido em um discurso no Plenário da Câmara Municipal e publicado no "Viver é Perigoso" no dia 25/9/2017, sob o título "Desalento para com a política atual".

O Vereador Kener estava começando na política. Interessante ler a postagem original e observar os comentários publicados e replicados na ocasião e atentar para mudanças acontecidas, ou não. 

Nesses dias tenho pensado com certa preocupação em uma lição que recebi de um amigo e incentivador da minha trajetória médica e política quando, vendo o descompromisso com o povo brasileiro, sem autoridade, desconte e enganado pelos políticos havidos de poder e mal-intencionados, falindo os cofres públicos, corrompendo a saúde, educação, o bem estar social, desacreditando sistematicamente a representatividade que lhes foi dada pelos votos sob o efeito de promessas enganosas e ações eleitoreiras, esses tais votos que elegem pessoas que entram na política, não para lutar pelo povo mas por si mesmo enriquecendo-se com os desvios do dinheiro público.

Bem diferente o que meu amigo me ministrou: 

"Até o início da década de 1960, embora com certas restrições, o plenário das câmaras era o local onde os políticos debatiam educadamente e respeitosamente o futuro desejado do povo que os elegeu: em saúde, educação, moradia e bem estar social. Estas reuniões se realizavam sem ofensas mutuas. Por isso, de uma maneira geral, havia um respeito muito grande pelo político, considerando como “Doutor” e ele se orgulhava”. 

Que diferença hoje em dia!

Senhores, fiz esse preambulo para fim de registrar os fatos que tem ocorrido nas reuniões da Câmara Municipal de Itajubá que as vezes chegam a ser deploráveis em defesa ou ataque de um projeto a ser votado, que agrada uns e contrariam outros. Temos que conscientizar que somos eleitos pelo povo e fazermos o que for melhor para eles, amparando seus clamores.

Confesso que não tinha ambições políticas, visto que a minha profissão, inspirada por Deus para servi-lo, tomava todo o meu tempo, meu amor e minha atenção pelo próximo e, honestamente não imagina que a política era deste modo: cheio de egoísmo, ambição, soberba, inveja, ciúmes, descomprometimento em servir a quem realmente deve ser servido, mas servindo-se em detrimento ao pobre eleitor que não cansa de confiar.

Todavia, senhores, eu continuarei lutando por aquele que me elegeu, vencendo todos os obstáculos e as más consciências que estão tornando em um Inferno o Paraiso que Deus criou. 

Bem, depois de dito isto, mostrando meu sentimento por tanta discórdia reinante em nosso meio, quando deveria ser harmonia e paz, entendo que Itajubá cresceu muito, portanto, precisamos que se ponha um paradeiro a tantos conflitos entre nós e entre o povo.

Kener Maia

Viver é Perigoso

3 comentários:

Anônimo disse...

Palavras bonitas e prontamente esquecidas depois da posse. Se aliou ao poder dominante.Agora em época de pedir votos vai vir com essa conversa de novo. Infelizmente nós votamos mais pelo relacionamento pessoal e favores do que pela ação política e de fiscalização atributos fundamentais da vereança raramente seguidos. Se não mudarmos esses comportamentos nas cidades nunca mudaremos o Brasil.

Anônimo disse...

O voto é quantidade não qualidade; se não mudar isso nunca teremos bons politicos no poder. Qquer um se candidata e qquer um pode levar não ha um sistema, requisitos, cursos, nada, dai aparece de tudo.

Anônimo disse...

Kener entrou e vai sair da Câmara (se não for reeleito) como se não tivesse passado por ela. Sua presença foi inócua. Disse sim em todas as vezes que foi pedido pelo prefeito. Não discutiu assuntos, empregou familiar como assessor, disse amém sempre. Seu pai fez um acordo com o prefeito na época da eleição e ele cumpriu até o final. Vereador que não deixou marcas. Esquecível.