quinta-feira, 15 de outubro de 2020

JUÍZO MOÇADA !


A chamada imunidade de rebanho, que consiste em deixar que a população se infecte livremente para que desenvolva proteção de forma natural, é “uma falácia perigosa sem evidência científica”. 

Desta forma contundente se expressou um grupo de 80 cientistas numa carta aberta publicada na revista médica The Lancet, em resposta à proliferação de teorias que defendem essa estratégia contra o coronavírus. 

Os pesquisadores advertem que a ausência de medidas de controle aumentaria a mortalidade em toda a população, afetaria a economia de forma irreversível, prolongaria a epidemia e paralisaria todos os sistemas sanitários. 

A diretora científica da Organização Mundial da Saúde (OMS), Soumya Swaminathan, calcula que 1% da população mundial (77 milhões de pessoas) morreria com uma medida como a imunização coletiva natural.

O grupo de 80 cientistas internacionais que assinam a carta na The Lancet é composto por pesquisadores em saúde pública, epidemiologia, medicina, pediatria, sociologia, virologia, doenças infecciosas, sistemas sanitários, psicologia, psiquiatria, política de saúde e modelagem matemática. 

A carta será oficialmente lançada durante o 16º Congresso Mundial Sobre Saúde Pública.

El País

Viver é Perigoso

Um comentário:

Anônimo disse...

Caríssimo com o nosso relaxo e a sensação do "já passou" corremos sérios riscos de passar por uma segunda onda como na Europa. Nos Estados Unidos não parece ser uma segunda onda mais a uma continuação da 1ª. Usar a máscara é uma coisa tão simples e mesmo assim é só andar pelas ruas e ver a quantidade de gente sem. Descaso consigo e com o próximo.Rezemos