terça-feira, 1 de setembro de 2020

OLHO NO LANCE


Fernando Henrique Cardoso, mesmo sem ser filiado ao partido, tinha grande proximidade com os comunistas. Com a invasão da Hungria (1956) pela União Soviética, ele e outros companheiros romperam com o comunismo.

Perseguido pela revolução e ditadura imposta em 1964, exilou-se no Chile e na França. Voltou ao Brasil em 1978.

Foi suplente de senador em 1978, ocupou o cargo em 1983 e foi reeleito em 1986. Com o impeachment de Collor e posse de Itamar Franco, foi nomeado Ministro das Relações Exteriores e em 1993, Ministro da Fazenda.

No posto e assessorado por um time de primeira linha, chefiou a elaboração do Plano Real, que deu um jeito na situação econômica do País.

Caiu nas graças do povo como o salvador da pátria. Foi eleito como Presidente da República em 1994 e reeleito em 1998 (sempre no primeiro turno).

Concluindo: Qual a razão do Paulo Guedes aguentar as pressões e os destemperos do Bolsonaro ? Conseguir levar adiante a economia do País, contribuir com algumas reformas e promover a retomada, se tornando um novo salvador da pátria, sendo alçado como candidato, praticamente imbatível, à presidência da República.

Claro que a cúpula bolsonarista está assistindo, a contragosto, esse filme. Logo tratarão o Guedes como "comunista".

Viver é Perigoso     

Um comentário:

Anônimo disse...

E onde entra a venda de créditos do BB no valor de 3 bilhões por 300 milhões?

Para o BTG, banco do Guedes...