segunda-feira, 24 de agosto de 2020

FALOU E DISSE :


"Tenho respeito pelo Supremo Tribunal Federal (STF) como instituição da República e pilar da democracia. 
A Corte é, ou deveria ser, fonte de segurança jurídica e guardiã da Constituição. 
Alguns de seus ministros, promovidos à condição de celebridades midiáticas, ganharam gosto pela coisa. Falam demasiado, cantam seus votos antes do tempo e vão minando a confiança da sociedade na instituição. 
O ativismo judicial, a invasão da competência de outros Poderes e a inequívoca politização de algumas decisões compõem um quadro disfuncional perigoso.
As instituições brasileiras estão no limite, não têm gordura para queimar em termos de credibilidade... 

...É importante que a sociedade, com ordem e serenidade, se manifeste. O STF não é dono Brasil. Está a serviço do País e da Constituição."

Carlos Alberto Di Franco

Viver é Perigoso

Um comentário:

Anônimo disse...

Já li aqui a opinião sobre a ocupação de espaços políticos e jurídicos. Acontece nas ações dos três poderes sem dúvida. Levando a Constituição ao pé da letra, legislativo cria as leis e judiciário as interpreta e julga. Se um ( Congresso) não cumpre razoavelmente suas funções ou prerrogativas o outro poder o faz. É a realidade. Nas palavras do ministro Luiz Roberto Barroso : "A ideia de ativismo judicial está associada a uma participação mais ampla e intensa do Judiciário na concretização dos valores e fins constitucionais, com maior interferência no espaço de atuação dos outros dois Poderes. Em muitas situações, sequer há confronto, mas mera ocupação de espaços vazios.” Com relação a transformação dos ministros em estrelas da mídia concordo plenamente. Há até uma "brincadeira": a maioria não sabe hoje a escalação da seleção. Mas sabe os nomes dos ministros do supremo. Causídico Jurássico