quinta-feira, 9 de julho de 2020

PORTO VELHO


Realmente o mar não está para peixe. Pandemia, Presidente sem rumo, Gafanhotos, Ciclones e Flamengo conseguindo perder do Fluminense, na decisão por pênalti.

No tocante aos pênaltis, a questão pode ser resolvida mais facilmente, conforme a seguir:

Todos os Itajubenses conhecem a tradição do bairro do Porto Velho. A história do bairro está diretamente ligada ao Porto Velho Futebol Clube, equipe de futebol mais antiga de todo o Sul de Minas Gerais.
Segundo consta nos registros da própria FIFA, o Porto Velho é o único time do mundo que jamais perdeu um pênalti.
Todas as penalidades apontadas a seu favor (a primeira foi marcada pelo próprio fundador de Itajubá, Padre Lourenço da Costa, que apitou a partida inaugural de futebol na cidade) foram convertidas em gol.
O segredo do sucesso na conversão das penalidades vem passando de pai para filho, desde então.
Há algum tempo, no meio de uma agradável conversa, o atleta Zé Raimundo confessou a estratégia. É de uma simplicidade contagiante:

"O arqueiro, por ocasião da penalidade, se posta no centro do gol. Normalmente agacha-se um pouco, preparando-se para a defesa.
Pois bem, nessa posição, o nariz do goleiro fica exatamente no centro do gol. Imaginando-se como se fosse um alvo de parque de diversões, o nasal seria a mosca.
Os jogadores eram orientados para dar uma cacetada, com todas as suas forças, na mosca. Como nunca se ouviu falar que alguém acertasse a mosca com um chute, ele sempre se dirigia para os lados, portanto, desviando dos goleiros e se tornando indefensável."

O erro comum e esperado sempre foi a razão do sucesso.

Genial.

Viver é Perigoso

Nenhum comentário: