quarta-feira, 1 de julho de 2020

MEC DECIDIU NÃO DECIDIR NADA


Tudo bem que não tem Ministro, mas a divulgação feita pelo Ministério da Educação das diretrizes para o retorno às aulas presenciais nas instituições federais de ensino é "cheia de novidades e definições"

O Ministério não estabeleceu um calendário com as datas para a volta dos alunos da rede federal.

O Ministério recomenda às instituições de ensino a criação de comissões locais para definição de protocolos próprios de acordo com a realidade de seus estados e municípios.

O Ministério também propõe medidas como "considerar o trabalho remoto aos servidores e colaboradores do grupo de risco", priorizar o uso de tecnologias "para a realização de reuniões e eventos à distância", "optar por ambientes bem ventilados" em casos de necessários encontros presenciais, e "organizar a rotina de limpeza do ambiente de trabalho e dos equipamentos de proteção individual".

O Ministério ainda recomenda medidas individuais, como uso de máscaras cobrindo boca e nariz, lavagem das mãos com água e sabão e higienização com álcool em gel 70%, evitar cumprimentos com beijos e abraços, respeitar distância de 1,5 m entre mais de uma pessoa, manter cabelos presos e evitar o uso de relógios, brincos e anéis, e não compartilhar objetos de uso pessoal, como copos e talheres, materiais de escritório e livros.

Estamos lascados !

Viver é Perigoso 

2 comentários:

Anônimo disse...

ABSURDO JURÍDICO
O ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal), absolveu, de forma sumária, uma mulher que roubou um pedaço de picanha e outras mercadorias de valor irrelevante (135,00) no Rio de Janeiro. A sentença foi proferida na terça (30).
No mesmo dia, a ministra Rosa Weber negou habeas corpus a um jovem que roubou dois xampus, de R$ 10 cada, de um estabelecimento em SP.
Convenhamos, são ações que precisam chegar ao Supremo? Corte Suprema deveria ser só para discutir constituição e casos de relevância nacional. Casos como esses e até desavenças em condomínios batem no Supremo. Atravancam o sistema e são razões da sua lentidão.Justiça lenta e cara não é justiça. Um dos absurdos do nosso Brasil!!!!!observador de cena

Edson Riera disse...

Observador de Cena

Está todo mundo louco. Oba !

Zelador