terça-feira, 9 de junho de 2020

VENTOS DE GUERRA


A implantação do Segundo Turno nas eleições foi uma boa. Pena que na terrinha não tenha. Mas creio que imperando o bom senso, a questão pode ser equacionada.

Não considerando a chapa da situação, que certamente significará uma sequência, com perdas, do último e do atual governo, deveremos ter três candidatos com posições e pensamentos bem próximos.

Ricardo Mello, Roberto Bob e Ricardo Zambrana. Todos da área da saúde. Em condições normais não faz muito sentido eles se digladiarem. Os pre-projetos, baseados em conversas trocadas, seguem praticamente juntos. 

Interessante: As três candidaturas próprias serão muito elogiada pela atual situação. Em alguns casos, até incentivadas. Não duvidem.

Entende-se que todos possam ter a meta (sonho) de dirigir a cidade. 

Mas porque não pensar numa estratégia eleitoral. Após todos os esforços no sentido de candidatura única, por que não seguir em campanhas próprias com o compromisso de considerar a realização de uma séria pesquisa eleitoral, duas semanas antes do pleito, ou melhor, antes da definição dos nomes nas urnas eleitorais.

O mais bem posicionado, desde que 10 pontos percentuais acima do outros dois, seguirá avante com o apoio ostensivo dos outros dois, que publicamente, abririam mão das candidaturas.

Em termos partidários, em princípio, nenhuma dificuldade, desde que, (lamentavelmente), contando com o aval dos deputados/senador dominantes no município.  

Aparentemente uma utopia, mas de uma grandeza impar. Merece ser conversado.

Viver é Perigoso    

2 comentários:

Anônimo disse...

Fala se nas conversas miúdas que a campanha de um desses 3 será totalmente financiada por Sebastiãozinho. Quem fala isso está ficando louco? De jeito nenhum, é matemático e quem entende minimamente de estratégia eleitoral, percebe isso claramente.
Explico:
Quem está no poder tem uma quantidade de votos que ninguém mexe, por outro lado tem muita dificuldade em reverter votos de quem quer mudança e vota em qualquer um (no bom sentido), buscando renovação. Se tivermos só 2 candidatos e evidentemente uma polarização os atuais mandatários correm o risco de perder a eleição.
Então o caminho mais racional e seguro é trabalhar (injetar muito dinheiro) em outros candidatos para se dividir ao máximo esse eleitorado que quer renovação.
Como temos apenas um turno, o importante é ser o mais votado, não importa com quantos votos.
Já se fala até nos cargos que esse candidato azarão terá no novo (velho) governo.
Simples assim.

Anônimo disse...

Tá de sacanagem Zelador?
Acho que o COVID tá andando pelas bandas da Boa Vista.