segunda-feira, 22 de junho de 2020

AGORA VAI !


Comentado na praça a possibilidade da nomeação do Renato Feder como novo Ministro da Educação.  Feder é de uma família com tradição no meio empresarial (Elgin, Dismac, Multilaser). Atualmente é Secretário da Educação do Paraná.

Primeiro passo positivo: O pessoal dos sindicatos não gosta dele.

Junto com o seu sócio, Alexandre Ostrowiecki, escreveu o livro "Carregando o Elefante - Como transformar o Brasil no país mais rico do mundo " - o livro, em versão digital, está disponível na internet. Bom de ler.

"Alguma vez você já teve a sensação de que existe algo profundamente errado com o Brasil? Sob as camadas de corrupção, miséria e violência, estampadas nos jornais, já se perguntou se não existe uma solução para tudo isso? Já tentou imaginar o País se as coisas fossem diferentes? É essa avaliação que Alexandre e Renato fazem sobre as engrenagens que movimentam o Brasil. Carregando o Elefante é uma jornada para o entendimento dessas engrenagens, para compreender realmente como funciona o Brasil e quais são os verdadeiros problemas que devem ser resolvidos. Carregando o Elefante desafia cada leitor a mudar a sua forma de ver a política, a economia e o seu próprio papel na sociedade"

Caso alguém da cúpula do governo Bolsonaro leia três das frases que constam do início do livro, com certeza, o nome do Renato Feder será descartado.

"As palavras mais aterrorizantes que existem "eu sou do governo" e estou aqui para ajudar". (Ronald Reagan).

"O governo deve educar, informar e inspirar, mas não pode ter a palavra final sobre o que é melhor para mim". John Stuart Mill.

"Se puserem o governo federal para administrar o Saara, em cinco anos faltará areia." Milton Friedman

Viver é Perigoso

5 comentários:

Anônimo disse...

Outro dia a mídia estampou que para tentar sair da enorme crise atual Bolsonaro teria a intenção de montar um ministério de notáveis, ação tentada por Collor pouco antes da sua derrocada. Talvez a indicação desse moço seja o ponto de partida. Se não forem todos nomeados com algum apoio da sociedade como o Guedes o é pelo mercado, o problema continuará: o chefe. Exemplo foi o Moro. Deu carta branca e depois o minou. observador da cena

Edson Riera disse...

Observador de Cena

Tem razão. O Capitão sofre de um mal. Não pode olhar para a luz. Fica ofuscado e agressivo. Exceto pelo Posto Ipiranga, não suporta alguém com brilho próprio e capaz.

Abraço

Zelador

Anônimo disse...

Interessante isso, conheço uns que realmente odeiam pessoas com brilho proprio e capaz, são uns idiotas! Eu heim, é 45 ? ou 38, sei nao, kkkkl

Anônimo disse...

Se nomear o rapaz vai ser uma guinada na educação, mas já pensou se mantiver suas ideias como vai ficar a sua vida opondo-se a ala ideológica representada pelos filhos e o guru Olavo que até então mandavam e desmandavam no MEC? Nem o Velez aguentou.

Anônimo disse...

Não vai dar certo.
Não é torcer contra, mas sim o fato de que a ala olavista não aceitará e no final o Bozzo sempre prestigiará esta.
E sempre lembrando: O problema não é ideológico e sim criminal...Queiroz, mulher do Queiroz, advogado "satanista" do Queiroz, Adriano Matador, Milícias, advogado do Cabral, vizinhos milicianos matadores, Ministro da Educação fugitivo da justiça, etc.