sexta-feira, 22 de maio de 2020

O MUNDO ESTÁ DESENGANADO


O maior estudo realizado até o momento com a hidroxicloroquina e cloroquina constatou que os pacientes que receberam os medicamentos à base das drogas tiveram um risco bem maior de morte em comparação aos que não receberam. 

As pessoas tratadas com as substâncias também apresentaram maior probabilidade de desenvolver arritmia cardíaca, que pode levar à morte súbita. O estudo, publicado nesta sexta-feira na revista médica The Lancet, foi liderado por Mandeep Mehra, professora e médica da Harvard Medical School.

O trabalho analisou 96.032 pacientes hospitalizados com coronavírus em todos os continentes e é a maior análise até hoje dos riscos e benefícios do tratamento de Covid-19 com 19 medicamentos que possuem substâncias antimalária. 

O estudo se baseia em uma análise retrospectiva dos prontuários médicos, e não em um estudo controlado no qual os pacientes são divididos aleatoriamente em grupos de tratamento – um método considerado o padrão ouro da medicina.

Viver é Perigoso

2 comentários:

Anônimo disse...

"Deboches e críticas tão pessoais mostram tremenda falta de empatia e amor ao próximo. E é o que mais me entristece..."
"E terceiro pq sabemos que quem coloca Deus na frente já está com a vitória garantida..."
Um colega anônimo postou outro dia sobre Bolsonaro.
Quem coloca Deus na frente definitivamente não faz uma reunião ministerial em plana pandemia em que a crise de saúde, a vida ou a morte de milhares sequer é mencionada ou tratada afim de minimiza-las.
Quem pode amar ao próximo como falado e dizer ofensas e palavrões como ele faz?
Definitivamente não coloque o Senhor Deus nesse meio.

Anônimo disse...

So uma pergunta! Quem nao fala palavrao? Ate padre fala, hipocritas!