domingo, 12 de abril de 2020

PANORAMA VISTO DA PONTE


Em termos, sem dúvida nenhuma, que estamos melhor do que nos tempos de Lula e Dilma. Já com relação ao período Temer, nem tanto. Infelizmente.

O mérito maior do presidente Bolsonaro foi a montagem do seu ministério, exceto, talvez,  com relação a Educação e Relações Exteriores. 

São reais as dificuldades criadas ao Governo pelos políticos filhos do Presidente. Teremos que conviver com isso, desconsiderando as opiniões publicadas pelos infantes.

Mas hoje, olhando friamente, sentimos o Presidente da República fragilizado. E pior, por exclusiva responsabilidade própria. E acontecendo num momento crucial para o País.

Seus gestos e reações demonstram insegurança.

Quem se sente forte não precisa buscar contante e agressivo apoio nas Redes Sociais, nos discursos e nos contatos diretos com correligionários. Um comício mais ou menos no conhecido estilo "não me deixem só".

As crises de desconfiança e ciúme o tem levado a se desfazer de aliados de valor. Seu desconforto com questionamentos feitos pela imprensa é evidente, levando-o ao descontrole. Suas constantes mudanças de posicionamento, indica que são tomadas em decorrência de pesquisas rápidas feitas pela assessoria.

Descer a rampa do Planalto para brigar com governadores, com o Congresso, com prefeitos, com países parceiros comerciais, com a mídia e neste momento crucial do planeta, entrar em choque frontal com a Ciência e, pasmem, colidir com fatos concretos que vêm acontecendo no mundo. 

Está em paz com quem ?

Abalado com a pandemia, o País segue. É triste perceber que o pessoal, competente e sério, que compõe o ministério, já sentiu o drama. Fica a impressão que resolveram tocar o País independente da oratória do Presidente. 

Devem se reunir e com integral apoio dos ministros militares, tomar decisões e repetir o mantra: "deixa ele falar. É o jeito dele. Vamos afirmar que ele é o grande chefe, que as idéias são dele, relevar as provocações e trabalhar, trabalhar."

Idem, com os governadores, prefeitos e até, quando é chamado, pelo judiciário. 

Força Capitão. Assuma as rédeas

Sei lá...

Viver é Perigoso 
  

7 comentários:

Anônimo disse...

57 milhões votaram nele boa parte não ignorava como ele sempre foi. Piorou e que está tutelado parece que não resta mais dúvida. a história confirmará ou não mas o problema é com quem está a Bic.oremos

Anônimo disse...

Ta tudo bem e q o pt e os corruptos vagabundos se danem, vamos em frente, poderia ser muito pior.

Anônimo disse...

Que o Bolso parece ser bem intencionado e honesto (apesar da Val, do Queiroz, dos filhos e dos milicianos) acho que não temos dúvida. Sobre assumir as rédeas capitão deveria seguir Júlio César de Melo e Sousa o Malba Tahan: "O problema não é o que você não sabe, mas o que pensa que sabe só que não é verdade" ass. Cidadão Isolado

Anônimo disse...

Calma, tudo a seu tempo! O Doria "assumiu" Sampa e "sumiu", complicado!

Anônimo disse...

Bom, quanto à estar melhor que nos tempos dos corruptos Dilma e Lulla, é questionável. E não é só devido à pandemia (tem pibinho, desemprego, etc.).
E vejam só, usar o Temer como referência!
Agora, quanto a ser agressivo e um anta de meias, sempre foi. Desde quando planejava explodir bombas em quartéis e estações de tratamento de água, quando foi expulso do exército e considerado pelo comandante das forças armadas na época (General Leônidas) como um sujeitinho ganancioso e com uma fome desmedida por riqueza e poder!
Depois ficou 30 anos vivendo como político às custas do estado (nosso dinheiro), aparece do nada como o salvador da pátria! Aliás, fez sim, adulou torturador que pendurava mulheres no pau de arara e assistia rindo; empregou o filho Bananinha no gabinete do Roberto Jefferson , regime de 40 horas em Brasília e o "meu garoto" tinha 18 anos,morava e estudava no Rio.
Queiroz, Adriano e milicianos são frutos do Bolsonaro e não o contrário.
O enriquecimento da familícia Bolsonaro é surpreendente e na base de lavagem de "chocolates", laranjas e rachadinhas...
E ele vai salvar o Brasil da corrupção?
Haja paciência...

Anônimo disse...

É Zezinho, vamos trabalhar pra voltar estes nojentos pra levar o resto q sobrou deste pais de gente ignorante,nao merecemos a decência, respeito, valores, enfim, o povinho esta empregnado do mal, do resto, da miséria e jamais conseguirão viver num outro estágio de vida pois estao na escuridão do sub mundo acostumados a conviver com ratos! Eu não vejo outra alternativa, cansei, q se dane tudo. Kkkkkk é isso ai. VIVA AOS IGNORANTES

Anônimo disse...

Em um país onde o ministro da educação é um falastrão quase analfabeto e o chanceler acredita que a terra é plana...Realmente: VIVA A IGNORÂNCIA!