domingo, 5 de abril de 2020

FALOU E DISSE !


Incrível, como dois sem declarações do Bolsonaro, já deram uma melhorada no cenário. Mas escreveu a Dorrit Harazin, traçando um paralelo entre Trump e o nosso Presidente:

"...por força da necessidade e do gigantismo da crise, Donald Trump e Jair Bolsonaro optaram por terceirizar o problema, que acabou em mãos de quem não comunga das crenças e disparates dos dois presidentes. 
Trump e Bolsonaro acreditaram poder desresponsabilizar-se da marcha da pandemia içando a primeiro plano dois personagens que não poderiam ser mais diferentes entre si — o nova-iorquino Anthony Fauci, a maior autoridade americana em infectologia, e, aqui, o deputado formado em Ortopedia Luiz Henrique Mandetta, atual ministro da Saúde. 
Ambos conquistaram o respeito e a confiança de quem os ouve pela abordagem científica e realista do combate ao coronavírus. Ambos, também, começam a pagar por isso.
Esta semana o franzino e bem-humorado Dr. Fauci , que já serviu a vários ocupantes da Casa Branca e chegou aos 79 anos de idade com biografia estelar, passou a precisar de proteção extra de agentes de segurança. Tem recebido ameaças de morte em demasia por parte de seguidores de Donald Trump. 
Em Brasília, Mandetta cometeu o pecado capital de seu Ministério da Saúde ter ultrapassado o presidente em aprovação na condução do combate ao vírus. Não só ultrapassou, esmagou: 76% a 33%, segundo o último Datafolha.
Sobreviver nessa dislexia nacional não tem sido fácil nos dois países. 
Em Washington, Donald Trump consegue embaralhar uma frase que começa com “Isto não é uma crise financeira, é apenas um momento temporário no tempo” com o anúncio da injeção de US$ 1 trilhão na economia do país. 
Em Brasília o comportamento de Jair Bolsonaro é ainda mais errático, sempre que tem um microfone pela frente. 
Para não concluir de forma sorumbática, vale recorrer às memórias de um generoso humanista do século 20, o escritor Paul Goodman. “Esperança é o contrapeso para o nosso enorme sentido de vulnerabilidade”, escreveu em suas memórias. “É a nossa permanente negociação entre otimismo e desesperança, a contínua negação do cinismo, ingenuidade. Temos esperança justamente por termos consciência de que eventos tenebrosos são sempre possíveis e não raro prováveis. Mas as escolhas que fazemos podem impactar o seu desenlace”.

Dorrit Harazin

Viver é Perigoso

3 comentários:

Anônimo disse...

https://www1.folha.uol.com.br/poder/2020/04/59-sao-contra-renuncia-de-bolsonaro-aponta-pesquisa-nacional-do-datafolha.shtml?utm_source=whatsapp&utm_medium=social&utm_campaign=compwa

Anônimo disse...

Vai ser chamada de petista. Com a frase citada e de vez em quando o Trump não parece se expressar como a Dilma? o Boris já foi engolido pela crise. o americano tb. o tal de Orbán (Hungria) e o nosso serão os próximos.

Anônimo disse...

Calma, independente dos pts, dos vagabundos e da imprensa somos 60% do bem . Vai passar.