sexta-feira, 20 de março de 2020

UM POUQUINHO DE TRANQUILIDADE



Segura aí Saulo !

Viver é Perigoso

3 comentários:

Anônimo disse...

“O MUNDO NÃO VAI ACABAR. E é esse o grande problema.
Se o COVID-19 fosse realmente o apocalipse, eu não estaria preocupado. Acenderia meu cigarro, serviria a minha dose de whisky e esperaria sentado. Mas não é.

Diante de nós, temos uma "gripezinha inconveniente", com um potencial letal relativamente baixo, mas com imensa capacidade de criar confusão.

Guardem os tacapes, caros amigos. Não será dessa vez que começará o The Walking Dead da vida real. O grande problema do vírus Xing Ling é que o seu contágio progride geometricamente e, então, superlota o sistema de saúde.

Para se ter ideia, o Brasil tem 40.600 leitos de UTI. Na média mundial, até que estamos muito bem. Melhores, inclusive, do que muitos países europeus. Mas...
Primeiro, 50% destes leitos, em média, estão ocupados por vítimas de acidentes de trânsito. Sem contar os demais doentes e vítimas de violência.
Segundo: Apenas 44%, 17.900 leitos, são do SUS, que atende 75% da população.

Ou seja, levando em consideração a média divulgada mundialmente, de 5% dos infectados precisarem de Terapia Intensiva, com 812.000 pacientes, já lotaríamos TODOS os leitos disponíveis (incluindo até os que já estão ocupados). Em um país com 200.000.000 de habitantes, isso é menos de 0,5% da população.

O isolamento, então, é ABSOLUTAMENTE NECESSÁRIO.
Não adianta reclamar, espernear, amaldiçoar os políticos, a vida ou a sorte. Se quiser xingar alguém, xingue Xi Jinping, o ditador Chinês que ignorou a epidemia por mais de 2 meses, permitindo que tomasse as atuais proporções.

O isolamento, porém, PARA o mundo. O que nos leva a outras consequências. O mercado financeiro está desesperado; o comércio não suporta uma paralisação; pequenas e médias empresas, sem giro, vão à bancarrota. Sem contar os trabalhadores autônomos e/ou informais, 47% da força de trabalho brasileira, que simplesmente deixam de receber.

E, pelo amor de Deus, que ninguém venha exaltar a CLT, como a garantidora dos "direitos dos trabalhadores" nos tempos de crise. Eu sei que em outros países, com leis trabalhistas mais flexíveis, os trabalhadores não recebem enquanto não trabalharem. Mas sei, também, que se este isolamento perdurar, nestes países, o trabalhador terá para onde voltar, depois que a crise acabar. O mesmo não acontecerá no Brasil. Com 2 ou 3 meses de paralisação, a burocracia, os custos e os tributos brasileiros QUEBRARÃO a maioria pequenas e médias empresas; justamente os negócios que mais empregam no país.

Portanto, como diria meu saudoso tio-avô: "O que não tem remédio, remediado está".
Sabemos qual é o inimigo e sabemos como enfrentá-lo. Quanto mais rápido agirmos, respeitarmos o isolamento e tomarmos medidas para evitar o contágio, mais rápido voltaremos à vida normal e menores serão as consequências.

Se falharmos, agora, o recomeço será muito pior do que o próprio "fim do mundo". “


"Não se evita uma guerra. Ela é apenas adiada para sua própria desvantagem."
(MAQUIAVEL, Nicolau)

Edson Riera disse...

Fim do Mundo

Imagino, mas não consigo quantificar o durante e o após. Qualquer otimismo fica longe.

Grato

Zelador

Anônimo disse...

Comércio da terrinha já fecha na segunda. Comentário "fim do mundo". De um entendido/esclarecido sanitária e economicamente. Parabéns! Está tudo nas nossas mãos. Por isso estou preocupado. Lembremos por exemplo da dengue. A erradicação não está/esteve sempre nas nossas mãos? Por que tantos casos por aqui? falta de esclarecimento não é! Ou mudamos o comportamento ou oremos.observador da cena