domingo, 22 de março de 2020

POIS É...


Não restará outra alternativa. O Brasil terá que adiar as eleições municipais marcadas para outubro próximo. Todas as datas estabelecidas no calendário eleitoral, com certeza, não poderão ser cumpridas .

Sonhos adiados. Estabilidade garantidas.

Para aqueles que almejam mudanças: tristeza. Para aqueles que buscam a manutenção da situação: alívio.

Suspensão de obras eleitorais: acontecerão.

Reanálise das contas preparadas para outros pagarem...

Poderá acontecer o que já deveria ser uma realidade no País há séculos. Unificação das datas das eleições no País. Deverá ficar tudo para 2022. Presidente, Congresso, Câmaras Legislativas, governador e prefeito.

Se conseguirmos sobreviver (e conseguiremos) sobreviver a pandemia, também conseguiremos sobreviver a essa prorrogação de mandatos.

Em tempo, poderá pegar até a mudança de reitoria na nossa Escola.

No aguardo.

Viver é Perigoso 

4 comentários:

Anônimo disse...

Aécio diz que proporá PEC para prorrogação de mandatos. Está tentando reaparecer. Só por ele ter proposto já fico com o pé atrás. observador de cena

Anônimo disse...

E vamos pra galera...kkkkk tamem quero..

Anônimo disse...

Tiãozinho é sortudo demais!!! Leva vantagens até com a pandemia.
Ganha mais 2 anos de lambuja e em 2022 elege o garoto deputado e a garota prefeita, num tacada só, sem esforços e com um gasto de campanha único.
Se bem que para bastiãozinho dinheiro para campanha não é problema já está guardadinho e dá, no mínimo, até 2050.

Anônimo disse...

Fico com os 2 pés atrás no caso de prefeitos reeleitos. 10 anos no poder como no nosso caso. não dá!!!!!