domingo, 1 de março de 2020

GENTE NOSSA

Infectologista Esper Kallas lidera comissão que elabora protocolos de atendimento e planeja testes com remédios já existentes Foto: Felipe Rau/Estadão

Deu hoje no jornal O Estado de São Paulo  

Especialistas brasileiros e representantes dos dois ministérios compartilharão dados na Rede Vírus MCTIC, criada oficialmente na semana passada, que mira a doença vinda da China e a influenza (gripe comum) e outras viroses emergentes. Os objetivos são integrar pesquisas e definir prioridades. Será feita uma teleconferência esta semana com cientistas de EUA, Canadá, Índia, Austrália e Reino Unido. Vão participar da rede a Academia Brasileira de Ciências, a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), a Sociedade Brasileira de Virologia e universidades federais. 

O infectologista Esper Kallas, da Faculdade de Medicina da USP, lidera a comissão de crise do Hospital das Clínicas, que há um mês planeja como enfrentar o novo vírus. O esforço se divide em três frentes: criar protocolos de atendimento a pacientes, estudar a disseminação do vírus em ambiente hospitalar e contato com laboratórios estrangeiros para usar remédios já empregados para outros fins que possam ter novo uso. 

Diz Kallas : "Talvez o remédio de tratamento esteja na farmácia. Mas não basta testar isso aleatoriamente. É preciso estudo criterioso" 

O projeto tem o apoio de universidades americanas, como as de Miami e da Califórnia.

Viver é Perigoso

Um comentário:

Anônimo disse...

"Tecnologia que sequenciou coronavírus em 48 horas permitirá monitorar epidemia em tempo real.
Agência FAPESP – Apenas dois dias após o primeiro caso de coronavírus da América Latina ter sido confirmado na capital paulista, pesquisadores do Instituto Adolfo Lutz e das universidades de São Paulo (USP) e de Oxford (Reino Unido) publicaram a sequência completa do genoma viral, que recebeu o nome de SARS-Cov-2"
Há anos as ciências médicas de São Paulo estão na frente. Gente competente auxiliada com recursos. Exemplo para o Brasil todo. Principalmente agora em que a ciência tem sido atacada e desprezada pelo (des) governo central.