sexta-feira, 7 de fevereiro de 2020

MORDAÇA



O acesso a informações na Prefeitura de Itajubá, município do Sul de Minas, está extremamente difícil, segundo jornalistas locais. Entre as queixas estão: dificuldade para entrevistar secretários, diretores, coordenadores e outras fontes oficiais; recusa em participar de programas de rádio; cancelamento de entrevistas e discriminação de veículos e jornalistas.

O SJPMG entrou em contato com a Assessoria de Comunicação da Prefeitura na terça e na quarta-feira, 4 e 5/2, mas até a publicação desta matéria não obteve resposta sobre as queixas nem conseguiu uma entrevista. E-mail enviado para o endereço informado – imprensa@itajuba.mg.gov.br – também não foi respondido.

“A informação é um direito do cidadão e uma obrigação de quem exerce cargos públicos, é inadmissível que ela seja negada aos jornalistas, ou que seja sonegada por questões pessoais ou picuinha”, ressalta a presidenta do SJPMG, Alessandra Mello.

A queixa dos profissionais itajubenses foi publicada pela jornalista Luciana Mohallem. Ela observa que o jornalismo é uma instituição fundamental para a democracia, pois leva informação aos cidadãos, mas que essa missão não pode ser cumprida quando o poder público não colabora fornecendo informações.

O boicote a jornalistas e seus veículos pode ser uma forma de censura. Segundo Elaine Romão, da Rádio Itajubá, em menos de uma semana, três pautas foram derrubadas porque secretários da Prefeitura cancelaram entrevistas.

Cecília Rennó é outra profissional que se queixa da Prefeitura. Ela observa que o prejuízo não é apenas para o jornalista e seu veículo, é sobretudo para a população.

Profissionais de outras duas rádios também reclamaram da falta de atendimento da Prefeitura à imprensa; a informação de que representantes do governo não participariam mais de programas foi transmitida extraoficialmente.

O comportamento da atual administração de Itajubá não surpreendeu o diretor do jornal O Sul de Minas, Luiz Antônio Dias Santiago. Segundo ele, desde 2013 o jornal é discriminado e entrevistas são dadas apenas aos veículos alinhados ao governo. Ele lamenta o fato, pois impede seu jornal de “ouvir o outro lado”, um dos mandamentos do bom jornalismo.

Blog: O governo mais, parcialmente, fechado da história de Itajubá. O próprio "Viver é Perigoso", aguarda, há sei lá quantos anos, um pedido de audiência com o prefeito". Sem resposta.

Viver é Perigoso

6 comentários:

Anônimo disse...

15:30
Sou jornalista profissional e repórter em um jornal em Itajubá desde 2013. Estou há sete anos fazendo o meu trabalho, sem qualquer acesso a informações por parte da prefeitura. Nunca consegui uma entrevista com o prefeito, vice ou secretários. Eles só falam com veículos “amigos”. Entrevistas do prefeito somente com perguntas pré-aprovadas. Ele controla a maioria dos veículos de comunicação da cidade (é dono de uma rádio e financia um jornal) e ataca a imprensa livre sempre que pode.
O que é curioso é que somente agora, depois de sete anos de governo deste prefeito, é que alguns jornalistas se manifestaram. Vamos em frente!

Marco Antonio Gonçalves disse...

Zelador, este comentário acima é o que eu fiz no site do Sindicato dos Jornalistas. Agradeço ao comentarista anônimo que já postou e me poupou o trabalho de escrever do novo aqui. Assino embaixo do que eu mesmo escrevi. Abraço

Anônimo disse...

De imediato lembrei-me agora de um amigo, ex secretário e figura controvertida no meio, que algumas vezes me disse: "não dou entrevistas,não posso ser entrevistado, porque se eu for só direi a verdade"

Anônimo disse...

Coronéis do estilo daqueles do passado principalmente no nordeste, não gostam de prestar contas. Serem contrariados então jamais!Perguntas incômodas nunca! !Não estão preparados para os novos tempos!causídico analógico

Edson Riera disse...

Marco Antonio

Sou testemunho da sua luta. Não esmoreça.

Abraço

Zelador

Anônimo disse...

Quem não deve não teme. O que o pintinho tem a esconder ?
Será que há uma caixa preta cheia de desacertos por debaixo do tapete ?