sexta-feira, 7 de fevereiro de 2020

MILHARES DE ARTISTAS


Pois é, coincidindo com o aniversário de 40 anos do PT, cerca de 1900 artistas, intelectuais e políticos do Brasil e de diversos países (?) lançaram nesta sexta-feira um manifesto contra o cerceamento de instituições culturais, científicas e educacionais, além da imprensa, pelo Governo Jair Bolsonaro.

De fora, numa olhada na lista, o tradicional em listas desse tipo, Sting. Os intelectuais Chomsky e Mia Couto.

Do Brasil, os tradicionalíssimos Chico Buarque, Caetano Veloso, Paulo Coelho, Sebastião Salgado, Jean Willys (sim ele mesmo, intelectual do BBB), Arnaldo Antunes e outros.

Entre os dez primeiros da lista, Juninho Pernambucano, antigo meio-de-campo do Vasco. Também lá, de certa forma como novidade, o escritor amazonense Milton Hatoun.

Estreando e estrelando, a diretora de cinema Petra Costa.

Muitos deserdados do São Rouanet, padroeiro dos artistas brasileiros. 

Pelo sobrenome, valorizam a listagem o Sr. Michel Connif ( se for parente do maestro americano) e a Sra. Janete Moro, por motivos óbvios. Também figura o Sr. Paulo Probo. Esse, inquestionável.

Ah ! o que querem ?

Convocam a comunidade internacional a se manifestar publicamente contra a censura no país e pressionar o governo brasileiro para que ele siga a Declaração Universal de direitos humanos, e com isso respeite a liberdade de expressão, de pensamento e de religião.

Segundo o manifesto, o momento é grave, e é hora de dizer não à escalada autoritária no Brasil.

O manifesto deve desviar a atenção do mundo voltada hoje para a coronavirus .

Blog: Esse pessoal precisa é tomar conhecimento, no interior de Minas, o que vem a ser autoritarismo.

Viver é Perigoso

Um comentário:

Anônimo disse...

Pois é, e aqui a coisa funciona nesmo kkkkk