quinta-feira, 23 de janeiro de 2020

EQUILIBRANDO-SE NA CORDA BAMBA



O presidente Bolsonaro admitiu nesta quinta-feira que poderá recriar o Ministério da Segurança. Segundo ele, há setores da sociedade (?) que defendem a estrutura, assim como o presidente da Câmara, Rodrigo Maia. Hoje, a área está integrada ao Ministério da Justiça, comandado por Sergio Moro.

Lógico e óbvio de que trata de um esvaziamento das responsabilidades do Ministro Moro, que numa dessas aí, pede o boné e vai para casa.

O que o Bolsonaro deve saber é que seu governo, praticamente, é sustentado por dois cabos: Guedes e Bolsonaro.

A saída do Moro seria aplaudida de pé pela bandidagem atingida pela Lava Jato, por advogados milionários, por parte do STF e claro, pelos órfãos do Lula.

Uma improvável saída do Paulo Guedes significaria, no momento, "quem sair por último apague a luz".

E tem mais Sr. Bolsonaro, milhões de brasileiros irão rever o seu apoio.

É a vida...

Viver é Perigoso   

2 comentários:

Anônimo disse...

Zelador, "sustentado por dois cabos: Guedes e MORO." Falando francamente ciúme, interesses eleitorais futuros, vaidade são umas m.... O presidente faz uma reunião com secretários de segurança dos estados e não chama o ministro da segurança pública? Fritura clara! Diz uma coisa depois de eleito e agora volta a trás. Apoiado pelo general baixinho. "Essa é a vida" da política brasileira. Horror! observador da cena

Anônimo disse...

Bom, nao é pt! Ta bão! Kkkk