domingo, 26 de janeiro de 2020

DEBATE DO MOMENTO


Vereadores de Itajubá estão discutindo a proibição do emprego de animais em "bagageiras" para o transporte de carga.

Lembrando:

Uma bela manhã (anos 50) estava ao lado do Vô Jayme na Padaria Boa Vista, fundada por ele, quando o avisam que alguém o procurava. Sem levantar do banquinho onde pegava o sol da manhã de inverno, ele atendeu ao Senhor gordo.

Sim, disse com a secura que o caracterizava. O sujeito, lembro-me bem, era um gordote paulista meio careca, com ares de vendedor de seguro (hoje eu sei, na ocasião não sabia).

Disse o Gordote: O Senhor que é o dono da Padaria ? Pode ser respondeu Dom Jayme que era um raro conhecedor de pessoas.

Gordote: Fiquei sabendo que o Senhor tem muitos animais (cavalos, etc) que utiliza nas carrocinhas para entregar pão nas casas (antigamente era assim).

Sim disse o Vô Jayme.

Gordote: Fiquei sabendo que entre os seus animais, o Sr. tem uma mulinha já velha, que não trabalha mais.

Sim, disse o Vô Jayme. Ela já trabalhou muito e agora eu a aposentei. Ela não trabalha mais, só come e dorme e descansa.

Gordote: Sou dono do Circo Russo que está instalado no Morro Chic (onde hoje é a Rodoviária) e quero fazer uma proposta para comprar a mulinha ( de nome Rolinha).

Foi interrompido pelo Vô Jayme - ela já está velhinha, fraca, por que o Sr. se interessaria em comprá-la ?

Esfregando as mãos peludas, disse com satisfação o Gordote: Pretendo compra-la e matá-la para dar de comer aos leões do circo.

Levantando e acendendo um cigarro Beverly, já com os dedos todos amarelados, o Vô disse para o Gordote:

O Senhor tem família ? Sim, respondeu o "bolão azedo", com ar de felicidade. Ainda tem Mãe ? Sim Senhor. É viva e mora em São Paulo, com 70 anos e muita saúde.

Como um toureiro espanhol, dando a última estocada, Dom Jayme Riera, catalão de raiz, arrematou, dando as costas para o Gordote.

A rolinha só tem 16 anos e a sua Mãe tem cinco vezes mais. O Senhor ainda não pensou em dá-la para os seus leões ?

O gordote enfiou o rabo entre as pernas e deu o fora.

Naquele momento, para mim, meu Avô era o Rei do Mundo.

Viver é Perigoso

Nenhum comentário: