sexta-feira, 13 de dezembro de 2019

POIS É...


72 anos de vida observando razoavelmente os acontecimentos permite a gente saber alguma coisa. Mas às vezes acontecimentos e pessoas escapam do nosso conhecimento e no caso, foi uma falha lamentável.

Comentário anônimo feito hoje no post "Os Vigaristas" que tratava do calote cubano no BNDES.

Anônimo disse... (fora do contexto)

Ricardo Galvão, ex-diretor do Inpe e nascido na terrinha foi escolhido um dos maiores cientistas do mundo justamente por ir contra o que pensa seu presidente querido. não merece destaque nesse seu blog não?

13 de dezembro de 2019 16:45

O Zelador respondeu:

Confesso a minha ignorância. Não atentei para o fato e não sabia que o Sr. Ricardo Galvão era da terrinha. Vou procurar me informar.

Sobre o assunto:

Como todos, acompanhamos pela imprensa o usual pero do  Bolsonaro no caso das denúncias sobre o desmatamento da Amazônia. Acompanhamos as reações, bem como, a notícia sobre a exoneração do presidente do Inpe.   

Após ao "pai dos burros", Google, anotamos:

Ricardo Magnus Osório Galvão, nascido em Itajubá em 21 de dezembro de 1947 de 1947, é físico engenheiro formado em 1969 pela Universidade Federal Fluminense em 1969. Mestre pela Unicamp e doutor pelo MIT em 1976.

Professor da USP, onde é pesquisador do Laboratório de Física de Plasmas na área de fusão nuclear e é pesquisador do Laboratório de Física de Plasmas da USP, onde realiza pesquisas na área de fusão nuclear. O Dr. Ricardo Galvão é membro da Academia Brasileira de Ciências. 

Em 2016 ele assumiu a direção do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. 

No dia 19 de julho de 2019, o presidente Bolsonaro criticou publicamente Ricardo Galvão durante uma entrevista coletiva com a imprensa internacional.Em agosto o governo exonerou o Dr. Ricardo Galvão, que deixou o cargo, como não poderia deixar de ser, desabafando duramente. Disse ele:

"A primeira coisa que eu posso dizer é que o sr. Jair Bolsonaro precisa entender que um presidente da República não pode falar em público, principalmente em uma entrevista coletiva para a imprensa, como se estivesse em uma conversa de botequim."


Recentemente foi divulgado que o Dr. Galvão foi um dos dez especialistas escolhidos pela revista "Nature", referência da área, para o "Nature's 10", premiação anual para os destaques na ciência.

É a vida...

Viver é Perigoso

OS VIGARISTAS


O presidente do BNDES, Gustavo Montezano anunciou previsão de calote de Cuba relacionado às obras do Porto de Mariel.

 "A gente deve tomar um calote de Cuba de US 561 milhões." 

Quer dizer, mais ou menos uns R$ 2,5 bilhões. Na verdade não é muito. Equivalente ao dinheiro público para a campanha de prefeitos e vereadores. Resumindo: adubo para o laranjal.

Lembrando: O Lula queria bancar estradas em Cuba. Marcelo Odebrecht (sorridente na foto) argumentou que seria pouco e sugeriu logo a construção do Porto de Mariel.

Pressionado pelo Lula, Dilma e pelo então Ministro Fernando Pimentel (ele mesmo), o BNDES abriu os cofres para Cuba/Odebrecht.

Não irão pagar nunca. O cara de pau do Marcelo Odebrecht disse em entrevista recente que a suspensão da parceria com Cuba  no Programa Mais Médicos, onde o Brasil pagava milhões para o governo cubano (uma pequena porcentagem ficava para os médicos), prejudicou o cumprimento do compromisso.

Cadeia para esses envolvidos é pouco.

Viver é Perigoso