terça-feira, 10 de dezembro de 2019

SOB A LUZ DE VELAS


Viver é Perigoso

MOMENTOS MÁGICOS



Viver é Perigoso

NETFLIX ESPECIAL


Para quem viveu musicalmente o final dos anos 60, anos 70, 80, 90, e admira músicas de qualidade, seus interpretes e histórias.

O documentário na Netflix, "Nosso Ritimo", retratando a carreira de Clive Davis, nascido em 1932 e um dos maiores produtores musicais do planeta. Muita música e revelações.

Clive foi presidente da Columbia Records, fundador e presidente da Arista Records, presidente da J Records, diretor da RCA e também presidente da BMG. Só !

Ele contratou muitos artistas que alcançaram o status de estrelas. Janis Joplin, Santana, Bruce Springsteen, Chicago, Billy Joel, Kenny G, Blood, Sweat & Tears, Aerosmith, Pink Floyd, Barry Manilow, Donovan, The Birds, Simon & Garfunkel, Lynn Anderson, Grateful Dead, Aretha Franklin, Patty Smith, Air Supply, Alicia Keys, The Kinks, Dionne Warwick, Alan Jackson.

Davis tomou conhecimento da filha de Cissy Houston, Whitney Houston, depois de ver o Houstons se apresentar em uma boate de Nova York. Impressionado com o que ouviu, Davis a contratou. Whitney se tornou uma das artistas mais vendidos na história da música, sob a orientação de Davis na Arista. 

Para quem gosta, imperdível.

Viver é Perigoso





NÃO ESCAPA UM !




A Polícia Federal pediu a prisão temporária de Fabio Luis Lula da Silva , o Lulinha , filho do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva, na representação que apresentou à juíza Gabriela Hardt para a deflagração da 69ª fase da Operação Lava Jato. 
O pedido, no entanto, foi negado pela magistrada. 
A investigação apura pagamentos da Oi para empresas ligadas a Lulinha e seus sócios que somaram R$ 132 milhões. Segundo as apurações, parte desses recursos pode ter sido usada para a compra do sítio de Atibaia, pivô de uma das duas condenações já impostas ao ex-presidente na Lava-Jato.

Viver é Perigoso

ALEIVOSIAS


Como diziam na Boa Vista, é claro, esse  "é o Beatle", sempre se apresentando com três excelentes coadjuvantes.

É a vida...

Viver é Perigoso 

MOÇA BONITA


Renata, Mais tarde passo para confirmar "aquele abraço". Deixe um pedaço de bolo ao alcance.

Viver é Perigoso

A HORA É AGORA


Fazer justiça é também corrigir injustiças.

O Governo do Estado de Minas, através da Lei de doação 23.483, de 6/12/2019, passou oficialmente para o Município de Itajubá o ITC – Itajubá Tênis Clube . O imóvel com área de 18.293 m2.

Lembrando e postando insistentemente : 

Numa justíssima homenagem, no dia 11 de dezembro de 1969 foi publicada no "Minas Gerais" a Lei Estadual 5.380 de 4/12/1969, dando a denominação de “Gymnasium Prof. Henrique Marques da Silva - “SURICA” , à quadra coberta do Itajubá Tênis Clube, da Cidade de Itajubá.

Homem de excepcional valor que dirigiu e praticamente implantou e alavancou o esporte em Itajubá. Grande educador e por muitos anos Professor de Educação Física do Colégio de Itajubá. Personagem inesquecível. 

Em tempo, pai da Neide Ferrini, que antecipadamente nos deixou, e da Moça Bonita e Anna Lydia Martins.

No dia 5 de fevereiro de 1970, Itajubá perde em um acidente trágico o seu competente e admirado Prefeito Tigre Maia. A cidade ficou abalada com a perda. No dia 21/5/1970 foi publicada a Lei Municipal nº 883 dando a denominação de "Tigre Maia" à quadra coberta do Itajubá Tênis Clube, da cidade de Itajubá. 

Não tenho conhecimento dos detalhes que levaram a mudança. Não sei também da legalidade de Lei Municipal prevalecer sobre a Lei Estadual.

A bela família do nosso Professor optou por não comentar o acontecido. Já deve terem se chateado demais. 

Talvez, tentando alguma forma de reparo, no dia 9 de dezembro de 1976 o então Prefeito Rosemburgo Romano propôs que fosse dado o nome de Prof. Henrique Silva a uma das ruas do loteamento N.S. do Carmo. Para mim, debalde a boa vontade do Dr. Rosemburgo, não foi o suficiente.

Por várias vezes conversei com os administradores da cidade sobre o assunto. Mostram certa surpresa e...desconversam. Ruim.

Como ex - aluno e devedor de lições, gostaria que o Professor Surica ficasse melhor gravado na história de Itajubá. 

Ainda é tempo. A oportunidade se faz.

Viver é Perigoso

FALOU E DISSE !


“a igualdade não é um direito, é o resultado do que o cidadão aprendeu”, que “é inútil querer que as pessoas tenham igualdade nos resultados quando não são iguais nos méritos” e que “não há como ser igual nos méritos se o sujeito que sabe menos não teve oportunidades iguais de aprender as coisas que foram aprendidas pelo sujeito que sabe mais”. 
Conclusão: “ainda não foi inventada no mundo uma maneira mais eficaz de concentrar renda, preservar a pobreza e promover a desigualdade do que negar ao povo jovem uma educação decente”.

J.R. Guzzo - Citado pelo Fernão Lara Mesquita

Viver é Perigoso 

AQUI JAZ !


Dorme nas gavetas do Congresso o projeto apresentado há séculos pelo então presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos, estabelecendo que a base para o repasse dos municípios para a Câmara Municipal a ser exclusivamente a receita própria.

Hoje, o limite legal dos gastos dos municípios (no caso de Itajubá) com as Câmaras é de 7% (sete por cento) com base na receita própria e transferências constitucionais da União. 

Quer dizer: receitas constitucionais vem a ser tudo o que entra no caixa do município.
 
O cálculo para as despesas legislativas, como salários de vereadores e de funcionários, teria de ser de acordo com a capacidade do município de gerar receita (Iptu, Ibti, Iss, taxas e contribuições). 

Viver é Perigoso 

SOMBRA E ÁGUA FRESCA


Segue na Câmara Municipal de Itajubá a Proposta de Emenda à Lei Orgânica nº 82, passando os dias de recesso de 30 para 55. Quer dizer, mais dias férias.

Como não poderia deixar de ser, o pau come feio da internet. 

O donos da infeliz ideia são os vereadores Melo, Joel, Zé Maria, Zé Pequeno, Wilson, e Vladimir, para surpresa de ninguém. 

Surpreendente foi a presença na lista, também, do preparado vereador e empresário de sucesso, Cleber David.

O Cleber pode ter concluído, por conhecer a casa por dentro, que seria melhor para a comunidade que esse pessoal fique mais tempo longe de reuniões e do plenário. 

Faz sentido.

Como sempre, os lúcidos vereadores independentes, Marcelo Krauss, Zambrana e Santi, cientes que são representantes do povo e não do Executivo, se postaram veementemente contrários.

A turma das ferias prolongadas dirá: Ah, mas estamos agindo dentro do prescrito pela Lei Federal. Sem dúvida, mas nada os obriga a estender o prazo. Trinta dias de férias é o normal para os brasileiros felizardos com emprego. 

Mais uma lembrança para as eleições municipais do próximo, quando sem dúvida, todos eles batalharão para conseguir mais 4 anos de mandato e de sacrifício pelo povo.

A votação disso será na próxima segunda-feira.

Viver é Perigoso

AMIGOS (NEM TÃO) SECRETOS

Viver é Perigoso