domingo, 1 de dezembro de 2019

PATRULHA DA ESQUERDA


Entre 29 de julho e 2 de agosto do próximo ano será realizada a 18ª Feira Literária de Parati. Os patrulheiros de esquerda enrustidos nas redações de jornais e revistas e alguns até participantes de partidos políticos, estão em pânico. Não se conformam.

Afinal, para eles, o desastre se chama Elizabeth Bishop. A autora escolhida para ser homenageada (a primeira estrangeira) no evento.

Como sabem, Elizabeth Bishop, nascida em Worcester em 1911, foi uma autora americana considerada uma das mais importantes poetisas do século XX. Registrando que ela tomou o barco em 1979.

Vindo passear no Brasil em 1951, ficou por estas bandas até o início dos anos 70, quando retornou aos EUA.  No período teve uma longa relação amorosa com Lota de Macedo Soares, vivendo no Rio de Janeiro, Petrópolis e em Ouro Preto. 

Lembrando, Maria Carlota Costallat de Macedo Soares, simplesmente Lota Soares, foi uma arquiteta-paisagista e urbanista brasileira, uma das responsáveis pelo projeto do Parque do Flamengo, o maior aterro do mundo, localizado no Rio de Janeiro. Lota nasceu em Paris em 1910 e tomou o barco, por iniciativa própria em 1967.

Elizabeth chegou no País no último governo Vargas, documentou o suicídio do presidente, viu a ascensão de JK e a queda de Jango Goulart Endossava as opiniões udenistas da sua amiga Lota, paisagista e amiga de Carlos Lacerda. 

No pior dos pecados cometidos pela Elizabeth Bishop foi manifestar apoio a deposição do presidente João Goulart em 1964, chegando ao comentário, "revolução rápida e bonita".

Escreveu muito para a revista The New Yorker. Fazia muitas conferências, e durante uns poucos anos ensinou na Universidade de Washington, antes de se mudar para Harvard por sete anos. Ensinou ainda na New York University, antes de terminar seus dias de ensino no Massachusetts Institute of Technology.

Enquanto vivia no Brasil, em 1956, recebeu o Prêmio Pulitzer de Poesia. Receberia mais tarde o National Book Award e o prêmio National Book Critics Circle Award. Em 1976, foi a primeira mulher a receber o Prêmio Literário Internacional Neustadt.

A esquerda festiva é contra a indicação do nome da Elizabeth Bishop para ser homenageada.

É a vida...

Viver é Perigoso

PORQUE HOJE É DOMINGO



Viver é Perigoso

OS INJUSTIÇADOS


Dilfenio Romero, de 66 anos, trabalhou quase 40 na empresa Canal de Isabel II (que abastece a região de Madri com água) e há 24 criou a Burrolândia, a Associação Amigos do Burro, no município de Três Cantos na Espanha.

Passeia por seus domínios rodeado de burros, cavalos, cabras, cães e outros animais, com uma bengala na mão. Aos domingos, os visitantes humanos, entre zurros, dão cenouras e alface aos asnos — mais de 50 exemplares de diversas raças presentes na Espanha. 

Por que os humanos usam burro como sinônimo de bobo ? É um mito : “Os burros são tremendamente inteligentes”

O burro é mais inteligente que o cavalo, e com folga. Se você tem sete cavalos e coloca um burro no grupo, na semana seguinte todos os cavalos seguem o burro. Quando não havia topógrafos nem engenheiros de estradas, mandavam um burro. Por onde ele passava, construíam a melhor estrada. São tremendamente inteligentes.

Viver é Perigoso 

ACREDITE SE QUISER


João Heleno, Roni, Gatinho, Fabiano, Zé Maria, Marreco, Sylvio Riera, Binha, Cesário, meninada do Sr. Guilherme Cardoso e o amigo conhecido ontem numa comemoração de aniversário, o Marcelo

Com o devido respeito e registrando a amizade que nos une. 

Outro dia alguém escreveu que botafoguense dá um excelente marido. Se ama, não abandona,é sempre fiel ao seu time, que há séculos anda despencando pela tabela, imaginem com a esposa.

Segundo Nelson Rodrigues, torcedor do Fluminenses, torcedor do Botafogo é diferente: 

" ... ele compra o seu ingresso como quem adquire o direito, que lhe é sagrado e inalienável, de sofrer. Eis a verdade: - ele não vai a campo ver futebol. O futebol é um detalhe secundário e, mesmo desprezível. Ele quer, acima de tudo, desgrenhar-se, esganiçar-se e rugir contra o técnico e contra os jogadores.
No dia que retirarem do torcedor alvinegro o inefável direito de sofrer e, sobretudo,o direito ainda mais inefável de descompor o seu técnico, ele ficará inconsolável, como um ser que perde, subitamente, a sua função e o seu destino.
Tudo na vida é uma questão de hábito. E o cidadão que padece todos os dias, acaba-se afeiçoando ao próprio martírio ou mais do que isso: - o martírio torna-se insubstituível como um vício funesto.
É o caso da torcida alvinegra sofre e já não pode viver de outra forma."

São numericamente poucos e todos tendo herdado a paixão do pai. 

Ontem aconteceu um fato digno de registro. Sentados confortavelmente numa sala, abastecidos de cerveja gelada e salgadinhos vindos do paraíso, estando em 5, a conversa, como não poderia deixar de ser, voltou-se para as inúmeras e recentes conquistas do Flamengo. 

Conversa vai e vem, resolvemos identificar o clube de preferência de cada um. Pasmem ! Sob o mesmo teto, da rodinha de 5, nada mais do que 3 eram botafoguenses. Fato inédito e digno de constar dos anais de recordes da terrinha.

É a vida promovendo surpresas.

Viver é Perigoso

O FATO É QUE...

Viver é Perigoso