sábado, 16 de novembro de 2019

CHURRASCO DE SÁBADO


Todos sabem que a Proclamação da República se deu numa sexta-feira, 15 de novembro. No dia seguinte, num sábado ensolarado na Quinta da Boa Vista, no Rio de Janeiro, certamente sem farda e com bermudões largos, encarando um belo churrasco, os golpistas, no bom sentido, Deodoro, Floriano, Benjamin Constant, Quintino Bocaiúva, Rui Barbosa, Campos Sales, todos membros da Maçonaria, discutiam animadamente sobre os símbolos a serem adotados na República.

Depois de uma lasca de picanha, Deodoro questionou, chamando atenção de todos:

Bom gente, e agora ? como vamos tocar isso ?

Floriano argumentou: Precisamos criar os símbolos da República.

Como todos eram muito ligados ao movimento positivista do filósofo francês Augusto Comte, trataram de aprovar a bandeira nacional com o dístico Amor, Ordem e Progresso.

A coisa ia bem, até que uns militares, cariocas, é claro, presentes, implicaram com o "amor" (parece coisa de veado,teriam dito). Daí só ficou o "ordem e progresso". 

No mesmo sábado, num botequim da Praça XV, o francês Gastão de Orléans, chamado pelos amigos de Conde d´Eu, caso com a Princesa Isabel, herdeira do trono, vendo fugir a possibilidade de, futuramente, dar as cartas no reino, lamentava:

- Foi golpe. Foi Golpe...

Viver é Perigoso 

CANTINHO DA SALA

 Joan Miró - Femme devant la lune - 1935.
Viver é Perigoso

TIRANOS TAMBÉM FORAM CRIANÇAS

Adolf
Stalin
Franco
Mao

Viver é Perigoso

TUDO PODRE

Viver é Perigoso