terça-feira, 15 de outubro de 2019

POIS É...


Sinceramente não entendi os sorrisos de felicidade (?) dos representante do Sul de Minas mostrados na fotografia. Lá estão o Bilaquinho, agora também Secretário de Governo e o Dalmo de Ouro Fino.

Prá cá não saiu nada.
 
"O governador de Minas Gerais, Romeu Zema, e o secretário de Estado de Infraestrutura e Mobilidade, Marco Aurélio Barcelos, lançaram ontem, segunda-feira (14/10), na Cidade Administrativa, em Belo Horizonte, o Catálogo de Obras, portfólio destinado a orientar a alocação de recursos provenientes de emendas parlamentares e permitir a conclusão de obras prioritárias no estado. A iniciativa faz parte do esforço da atual gestão em promover a retomada do desenvolvimento econômico e social de Minas Gerais, buscando convergência com os parlamentares mineiros.
A publicação apresenta 65 obras nas áreas de Infraestrutura Viária, Saúde, Educação, Infraestrutura Urbana e Segurança Pública, e totaliza mais de R$ 740 milhões em investimentos. O material foi apresentado a deputados estaduais mineiros."

Blog: Mais um indício que tem faltado nos últimos 7 ou 8 anos, força política, para ações externas,
na terrinha. E pior, as obras paralisadas por estas bandas não soam prioritárias para o governo e seus aliados.

Estamos pelados e perdidos no deserto com as mãos nos bolsos.

Viver é Perigoso 

LIBEROU GERAL


TJMG analisa pedidos de habeas corpus que podem anular sentenças do 'mensalão mineiro.

Será retomado nesta terça-feira (15) o julgamento dos pedidos de habeas corpus (HCs) feitos pelas defesas do ex-senador Clésio Soares de Andrade e do jornalista Eduardo Pereira Guedes Neto (ex-secretário adjunto de comunicação social do governo Eduardo Azeredo), que foram condenados, respectivamente, a 5 e 17 anos de prisão por envolvimento no esquema de corrupção conhecido como "Mensalão Mineiro". De acordo com o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), se aceitos, os HCs podem culminar também na anulação de outras sentenças envolvendo o caso.

Viver é Perigoso

INTERVENHAM NO STF E RESTAUREM A MORALIDADE


Os "caras" do STF passaram a defender a tese mais radical e garantista: a de que uma pessoa só pode ser encarcerada depois do trânsito em julgado de seu processo —ou seja, depois que ele passar não apenas pelo STJ, mas também, quando for o caso, pelo STF.

Resumindo, o criminoso só será encarcerado após ser recebido por São Pedro.

Viver é Perigoso

THE END


Viver é Perigoso