terça-feira, 27 de agosto de 2019

MOMENTOS MÁGICOS



Viver é Perigoso

É A VIDA...


Se o sujeito roubou, recebeu propinas, agrados e subornos, chantageou, foi investigado, se defendeu, foi condenado, não vem ao caso. Quando do recurso em alto tribunal os crimes não foi citados, considerados e nem interessaria a ninguém.

O importante é que aconteceu uma falha de tempo no processo detetada por caros especialistas. 

Tudo anulado e porteiras abertas para novos cancelamentos.

O importante é que aconteceu uma falha de tempo no processo detetada por caros especialistas.

Tudo anulado e porteiras abertas para novos cancelamentos.

Os bandidos passam a ser aqueles que cuidam da moralização do País. 

É a vida ... (claro, com bons advogados)

Viver é Perigoso

SOBRE SOBERANIA


Citando o inesquecível Professor de História, Júlio dos Santos em dois momentos marcantes.

Sempre me revoltou, talvez influenciado pelo grande mestre, o famoso Tratado de Tordesilhas, assinado por Portugal e Coroa de Castela (Espanha) em 1494. Como o nome diz, foi assinado em Tordesilhas, uma povoação castelhana, por D. João II de Portugal e D. Fernando II de Aragão. Os originais de cada idioma encontram-se depositados no Arquivo General das Indias (na Espanha ) e no Arquivo Nacional da Torre do Tombo (em Portugal). 

O tratado definia como linha de demarcação o meridiano de 370 léguas a oeste da ilha de Santo Antão no arquipélago de Cabo Verde para dividir as terras descobertas ou por descobrir. Os territórios a leste deste meridiano pertenceriam a Portugal e a oeste, a Castela (Espanha).

Daí é que nós do Brasil ficamos com Portugal.

Ainda com o Professor Júlio dos Santos e avançando na história:

Até conhecer o história toda, me soava simpática a Doutrina Monroe, anunciada pelo Presidente americano James Monroe, em mensagem ao Congresso em 1823.

"Julgarmos propícia esta ocasião para afirmar, como um princípio que afeta os direitos e interesses dos Estados Unidos, que os continentes americanos, em virtude da condição livre e independente que adquiriram e conservam, não podem mais ser considerados, no futuro, como suscetíveis de colonização por nenhuma potência europeia "

A frase que resume a doutrina é: "América para os americanos"

O seu pensamento consistia em três pontos: a não criação de novas colônias nas Américas; a não intervenção nos assuntos internos dos países americanos; a não intervenção dos Estados Unidos em conflitos relacionados aos países europeus como guerras entre estes países e suas colônias.

A Doutrina reafirmava a posição dos Estados Unidos contra o colonialismo europeu.

Mais adiante, os Estados Unidos acabaram por meter os bedelhos na soberania dos países americanos, principalmente da América Central. 

Já sem o Professor e amigo Júlio dos Santos, que na certa seria um crítico feroz, acompanhamos a criação da organização Foro de São Paulo, criada pelos esquerdistas liderados por Fidel Castro, tendo sua primeira reunião na cidade de São Paulo em 1990. O encontro foi promovido pelo PT com a participação de representantes dos países da América Latina e do Caribe. Depois de um boom com a presença do PT no governo brasileiro, organização, tudo indica, que pelo fracasso de suas propostas, a maciça corrupção e quase falência dos Estados administrados pela esquerda, caminha para o fim. Buscava implantar o domínio da esquerda.
No último foro realizado este ano na Venezuela quase não apareceu ninguém.

Resumindo: O melhor, em termos de soberania, é que cada um cuide da sua vida.

Viver é Perigoso 

VARADA N´ÁGUA


Pois é, sem referenciar o Bloco itajubense de sucesso no carnaval, mas em termos de opinião pública foi uma Varada N´Água o tal oba-oba ocorrido há pouco tempo na imprensa brasileira com a divulgação das absurdas gravações de conversas que teriam acontecidas entre Moro e Dallagnol.

A direção da Folha de São Paulo, do Uol, da Veja e outros meios que compraram e deram destaque as denúncias feitas por um jornalista americano casado com um deputado federal do Rio de Janeiro, na certa irão cair matando em cima dos seus funcionários que encamparam o projeto e esticaram as divulgações com o intuito de anular a Lava Jato.

Segundo pesquisa divulgada pela CNT, tão somente 15,5% dos brasileiros concordariam com a soltura de criminosos por causa das mensagens roubadas da Lava Jato. 68,3% seriam contra. 16,2% não saberiam.

Tornou-se um fiasco a tentativa de mobilizar a opinião pública. Pelo contrário.

Resta ainda, mais cedo ou mais tarde, ações do STF buscando uma punição e enfraquecimento da Lava Jato, por temor ou ciúme, da operação que mudou o Brasil. Para melhor, é claro.

Viver é Perigoso  

DA VERTICAL PARA A HORIZONTAL

Viver é Perigoso

EDITORIAL - CLARIN DA BOA VISTA


Tomamos conhecimento de comentários soltos sobre a tal CPI da Câmara de Vereadores sobre o sistema de saúde - atendimento de pronto-socorros.

A partir do momento em que a CPI foi politicamente alterada com objetivo claro e direto de mirar em pessoas e em respeitada entidade, provocando o afastamento de membros especialistas e independentes, passamos a desconhecer o assunto.

Nada, mas nada mesmo, desviará a atenção da burrice e truculência do Executivo local em romper com subvenção pública para ajuda na manutenção dos trabalhos de atendimento do Pronto-Socorro da nossa Santa Casa de Misericórdia. 

Algum assessor consciente ou algum deputado influente deve ter convencido o Executivo Municipal de tamanha destrambelhada. 

Como sair dessa ? 

Pelo visto foi tentar demonstrar, via uma CPI, que o gesto abrupto tomado contra a Santa Casa se deu por preocupações com o direcionamento dos gastos. 

Não podemos sequer ter o trabalho de ler o relatório da tal CPI. Não acreditamos na capacidade técnica na área contábil e tão pouco na ausência de independência nas conclusões.

Parece-nos um gesto político e interesseiro provocando desgaste na Santa Casa de Misericórdia de Itajubá, parte importantíssima da vida de Itajubá e da região.

Há de se compreender que muitos dos que aqui aportam na política local, diga-se de passagem, sem sensibilidade, sem conhecimento e sem envolvimento profundo com a nossa vida, nossa história, veem o episódio como um possível trampolim para outros saltos e mesmo para a sobrevivência. 

Não prevalecerão.

Erros e enganos ocorrem. Alertas são feitas e providências são tomadas. Mas tenham absoluta certeza: o Executivo, alvo de inúmeras denúncias e Operação Policial, com domínio numérico absoluto na Câmara, passará ao largo.

É a vida...

Viver é Perigoso