terça-feira, 9 de julho de 2019

SOB A LUZ DE VELAS



"Quem não se movimenta, não sente as correntes que o prendem."

Rosa Luxemburgo

Viver é Perigoso

CENAS INESQUECÍVEIS - PULP FICTION



Viver é Perigoso

PHOTOGRAPHIA NA PAREDE

Sharon Stone
Viver é Perigoso

FESTA OU PROCURANDO SERVIÇO ?


Um grupo de 40 advogados se reuniu ontem com o americano Glenn Greenwald, do site The Intercept Brasil, para se colocar à disposição dele e de outros jornalistas que estão participando da divulgação das mensagens de Sergio Moro com procuradores que atuaram na Operação Lava Jato.

A ideia é criar um Comitê pela Liberdade de Imprensa que atue na defesa de repórteres ameaçados, neste e em outros casos que possam gerar represálias do Estado.

Entre os profissionais presentes estavam Nilo Batista, que advoga para Glenn, os juristas Geraldo Prado, Aury Lopes e Juarez Tavares, Carol Proner, da ABDJ, Dora Cavalcanti e Marina Dias, do IDDD, Juliano Breda, da OAB, Luciano Bandeira, da OAB-RJ, Marco Aurélio de Carvalho, do grupo Prerrogativas, Eleonora Nassif, Roberto Podval, Maíra Fernandes, a desembargadora aposentada Kenarik Boujikian e Vitor Marques, do SASP.

Advogados como Alberto Toron e Antonio Carlos de Almeida Castro enviaram mensagens.

O encontro foi organizado na casa da advogada Estela Aranha, em segredo, para não colocar Glenn e a equipe em risco. O jornalista Leandro Demori, do The Intercept Brasil, também estava presente.

Blog: Faltando serviço para esse pessoal. 

Viver é Perigoso

O CAMINHO DO DINHEIRO


Arquivos da transportadora de valores usada pela Odebrecht para executar pagamentos ilícitos a políticos e agentes públicos na cidade de São Paulo indicam ao menos R$ 14 milhões em entregas de dinheiro vinculadas a codinomes criados pela empreiteira que ainda não foram esclarecidos pelos delatores mais de dois anos após o acordo de colaboração premiada celebrado com o Ministério Público Federal.

Ao todo, a reportagem identificou pagamentos vinculados a 22 codinomes ainda obscuros, como “Avesso”, “Babaçu”, “Crente”, “Dr. Silvana” e “Leleco”. O maior valor supostamente pago está atrelado ao codinome “Príncipe”.

Estadão

Blog: Tem muito neguinho na moita por aí.

Viver é Perigoso

BOM DESCANSO, MINISTRO

Viver é Perigoso