quarta-feira, 3 de julho de 2019

O BICHO VAI PEGAR


A deputada Federal Bia Kicis, ex-procuradora do DF, apresentou na Câmara nesta segunda-feira, 1/7, o Projeto de Lei 3.787/19, abordando honorários advocatícios oriundos de recursos ilícitos. 

A proposta altera a lei de lavagem de dinheiro para incluir no rol de seu art. 9º (das pessoas sujeitas ao mecanismo de controle) os prestadores de serviços de advocacia.

Se aprovada, passa a prever como receptação qualificada o recebimento de honorários advocatícios que se sabe ser proveniente de produto de crime, ou influir para que terceiro, de boa-fé, os receba. A pena proposta é de reclusão de um a quatro anos mais multa.

Com relação à fiança, o PL prevê que deverá haver a comprovação da origem lícita dos recursos, ativos e bens oferecidos em depósito para fins de fiança, sob pena de indeferimento.

Blog: Projeto de Lei de suma importância. Não deve ser aprovado nem a pau. Afinal, por exemplo: alguém condenado pela lava-jato estaria bancando os caríssimos advogados com recursos obtidos legalmente ? difícil.

Viver é Perigoso

MUITO BOM DE LER


"Administrar nada mais é do que motivar pessoas"

Lee Iacocca

Comprei e li no lançamento em 1985, em sua primeira edição no Brasil. Vez por outra me pego folheando e anotando alguma coisa do livro, "Iacocca - Uma Autobiografia ". Já lá vão 34 anos.

Tomou o barco ontem nos EUA o Sr. Lee Anthony Iacocca, nascido em 1924 e filho de um vendedor de cachorro-quente. Começou a trabalhar na Ford em agosto de 1946, como estagiário de engenharia.

Iacocca é considerado o pai do Mustang, cujo lançamento aconteceu no dia 9 de março de 1964. Preço: US$ 2.368,00. Em janeiro de 1965 tornou-se vice-presidente da Ford. No dia 10 de dezembro de 1970 chegou à presidência da Ford. Em 13 de julho de 1978 foi demitido da empresa.

Em sempre de 1979 foi para a Chrysler que estava no buraco. Em 5 anos fez a empresa lucrar.

Todos, da nossa geração, acompanharam a trajetória do Sr. Iacocca nos anos 60, 70 e 80. Foi capa de revistas e manchetes dos jornais no mundo. Uma estrela.

Marcou época.

Viver é Perigoso

NÃO GOSTO DE PIZZA


Interessante a imagem descrita pelo Marcos Nogueira - Folha de São Paulo.
"Há um cantinho no inferno em que o Diabo recebe hóspedes especiais para jantar. A luz é branca e forte. Na parede, uma TV exibe “Domingão do Faustão” ininterruptamente. Logo abaixo, um aparador com uma forma de alumínio amassada e riscada pelos longos anos de uso. Ela tem pedaços de pizza de sabores sortidos: frango com Catupiry, alho frito, mozarela e aquela que tem palmito e ervilha.

Nas mesas, folhas de papel encerado disfarçam a toalha puída. O quadro se completa com uma lata de azeite meio imunda, uma garrafa empoeirada de vinho e um prisma de papelão que anuncia as sobremesas —encomendadas numa fábrica do Jabaquara. 

A única diferença entre a Pizzaria do Inferno e suas congêneres paulistanas é: o Diabo não precisa comprar lenha para o forno..."

Viver é Perigoso

MANDA VER MINISTRO ! É O QUE MERECEM


Viver é Perigoso