quarta-feira, 19 de junho de 2019

AINDA BEM QUE CONTINUA DANDO DESERTA


Ata de Classificação e Habilitação da Concorrência Pública 002/2019

Objeto:
Alienação de imóveis situados á : 

RUA TIAGO CARNEIRO SANTIAGO, BAIRRO CENTRO; RUA JOÃO BATISTA RICCI ( RUA A), LOTEAMENTO REAN, BAIRRO VARGINHA; AVENIDA DOUTOR ANTÔNIO BRAGA FILHO, BAIRRO VARGINHA; LOTE Nº 34 -RUA ÁLVARO AUGUSTO SALOMON - LOTEAMENTO NOSSA SENHORA DO CARMO, BAIRRO VARGINHA, LOTE Nº 36 - RUA ÁLVARO AUGUSTO SALOMON, LOTEAMENTO NOSSA SENHORA DO CARMO, BAIRRO VARGINHA. 

Aos dezenove dias do mês de junho de dois mil e dezenove, às 14h00min na Sala de Reuniões da Secretaria Municipal de Planejamento, reuniu-se a Comissão Permanente de Licitações

A Comissão faz constar que a presente licitação foi declarada DESERTA.

Blog: Não custa nada para a Administração Municipal justificar a venda dos imóveis públicos. Negativo se for para cumprir rombos de caixa por falta de planejamento.

Viver é Perigoso

RETRATO DO BRASIL


De passagem, assisti um trecho da participação voluntária do Ministro Sergio Moro na sessão da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado Federal.

Lamentavelmente, coincidiu com as participações do Renan Calheiros e do Jaques Wagner.

Estranho e revoltante presenciar duas figuras carimbadas do baixo mundo da política questionando o Juiz que comandou a maior operação contra a corrupção acontecida no planeta, e a confirmar no futuro, acontecida em todo o sistema solar.

Ambos carregam caminhões de denúncias de corrupção nas costas. Continuamos acreditando ser questão de tempo.

Aparentemente, os senhores políticos se mostraram assustados. Estão desacostumados a lidar com quem não precisa mentir e nem ter cuidado com declarações feitas em palanques no passado.

Simples: É é. Não é não é. Foi foi, não foi não foi.

Pelo menos enquanto assisti (foi pouco e foi muito), não foi  alegada a inocência de nenhum dos condenados. Apenas comentários sobre supostos inconvenientes (?) durante conversas gravadas ilegalmente, é claro, entre autoridades responsáveis pela Lava Jato.

Conclusão: Ainda tem muita gente solta e com foro privilegiado..

Viver é Perigoso   

CHICO 75



Francisco Buarque de Hollanda é carioca de 1944. Já lá vão 75 anos completados hoje, 19 de julho.

Seu primeiro sucesso, A Banda, é de 1966, pegando a nossa geração no auge dos 18 anos. Admiração e respeito pelo romantismo de Carolina, Rita e o ativismo político em Apesar de Você e Cálice.

Inesquecível a sua fase como o compositor do morro Julinho da Adelaide, pseudônimo para driblar a censura prévia. Os militares ficaram possessos com o "Apesar de Você", quando (estavam certos) achavam que o "você" era o Presidente Médici. 

Em "Jorge Maravilha", Chico cantava: “você não gosta de mim, mas sua filha gosta”, o que gerou a especulação de que Amália Lucy, fã declarada dele e filha de outro presidente militar, o general Geisel, tinha sido a homenageada da canção. Chico sempre negou. 

Em 1946 a família Buarque de Hollanda mudou-se para São Paulo. De 1953 a 1960 a família morou na Itália. A casa sempre foi frequentada por intelectuais e políticos, quase sempre de esquerda. 

Chico continuou ligado à esquerda como a maioria da classe artística e lá permaneceu mesmo com as falcatruas acontecendo no governo em "tenebrosas transações". Optou por longas temporadas em Paris.

As composições perderam-se no tempo, seguindo apenas nas paradas de sucesso de assovios dos românticos beirando os setenta. 

Escritor de sucesso e ganhador de três "Jabutis". Estorvo, Budapeste e Leite Derramado. (um dia ainda lerei um deles, assim como, pelo menos um do Paulo Coelho).

O Brasil brasileiro embirrou-se com o grande Chico, não por se manter alheio a situação do País nos últimos 20 anos, mas por defender e tornar-se apologista de um governo nefasto.

Como compositor merece toda a admiração.

Viver é Perigoso

SITUAÇÃO DO MERCADO


Claro, que se trata do Mercado Municipal de Itajubá.

Publicado no Facebook o Oficio datado de 17/6/2019, da empresa Minas Construções e Restaurações (assinada pelo Diretor Geral Miguel Assad), dirigida à Associação dos Permissionários do Mercado Municipal de Itajubá, comunicando que as obras de reforma estavam paralisadas devido a falta de pagamento pela Prefeitura Municipal.

Usaram o caminho certo para acelerar o recebimento. A Administração local preocupa-se demais com a possibilidade de um possível desgaste de imagem.

Só lembrando:

A importante e necessária reforma seria bancada por uma emenda aprovada pelo Deputado Dimas Fabiano junto ao Ministério da Integração Nacional no valor de R$ 1,1 milhão, com R$ 100.000,00 do total, bancado pela Prefeitura como contra-partida.


Posteriormente, a PMI concluiu licitação e assinou contrato com a empresa mencionada para a execução da reforma no valor de R$1.212.012,00.



Informações publicadas na imprensa local, menciona um custo total próximo de R$ 2 milhões na reforma,  ficando R$ 223.000,00 de responsabilidade da Prefeitura e cerca de R$ 800.000,00 de responsabilidade dos permissionários do mercado.

O contrato com a empresa foi firmado com a Prefeitura. Fica a dúvida que, como costume, jamais será esclarecida: 

Quem estaria faltando com o compromisso ? O Ministério da Integração Nacional, os Senhores permissionários ou a Prefeitura ? O recurso do Ministério é repassado para a PMI. O recurso dos permissionários, imagino, que seria destinado direto a empresa encarregada da reforma.

Veremos...ou não.

Viver é Perigoso 

PHOTOGRAPHIA NA PAREDE




Considerada a fotografia mais importante da música popular brasileira. Obtida pelo fotógrafo Paulo Scheuenstuhl em junho de 1967. Já lá vão 52 anos. Reunião acontecida na cobertura do Vinícius de Moraes, na Rua Diamantina, no Jardim Botânico.

Da esquerda para a direita, na fila de trás: Lenita Plocynska (roteirista, casada com Luizinho Eça), Edu Lobo, Tom Jobim, Torquato Neto, Caetano Veloso, José Carlos Capinam, Paulinho da Viola, Sidney Miller, Zé Kéti, uma mulher não identificada (com um cachorrinho ao colo) e Eumir Deodato. 

Na fila do meio: Olivia Hime, Helena Gastal (então namorada de Nelson Motta e atualmente figurinista da Rede Globo), Luiz Eça, João Araújo, Dori Caymmi, Chico Buarque, a cantora Tuca, Maria Helena de Toledo (casada com Luíz Bonfá) e outra mulher não identificada.

Na frente, Francis Hime, Nelson Motta, Jandira Negrão de Lima (filha do então governador Negrão de Lima), Vinicius de Moraes, Dircinha Batista, Luiz Bonfá e Braguinha.

(dados Joaquim Ferreira dos Santos)

Viver é Perigoso 

DEVIDAMENTE LASCADOS


"O sistema político faliu. Não serve mais"

Senador Tasso Jereissati

"O sistema político brasileiro, por razões estruturais e operacionais de suas instituições, é um dos mais complexos, fragmentados, caros e ineficientes do mundo. Ademais, o Parlamento convive diuturnamente com episódios de corrupção, vulnerabilidade aos lobbies e captura pelo Executivo.

O sistema político brasileiro é formado, basicamente, por sete instituições, que comportam:

1. O regime político (Democrático); 

2. A forma de governo (República); 

3. O sistema de governo (Presidencialismo); 

4. A forma de Organização do Estado (Federação); 

5. O Poder Legislativo (bicameral- Câmara e Senado);

6. Os sistemas eleitorais (proporcional e majoritário);

7. O sistema partidário (pluri ou multipartidário).

Quando um sistema político está em profundo descredito e perde legitimidade – e não consegue mais encaminhar soluções aceitáveis – sua estabilidade fica ameaçada, com crise de governabilidade e risco de ruptura institucional.

E este é, precisamente, o caso do sistema político brasileiro e de suas instituições: pesquisas apontam queda na confiança da população brasileira em praticamente todas as instituições avaliadas. Essas instituições precisam, urgentemente, se atualizar e revisar suas práticas, sob pena de perderem completamente a capacidade de geração de oportunidades e de apontar caminhos para o futuro.

Caberá ao Congresso, possivelmente o menos representativo desde a redemocratização, pela avalanche de votos brancos, nulos e abstenções – a missão, por pressão popular, de promover as mudanças sob pena de completa deslegitimação do parlamento. 

Apesar de sua escassa viabilidade jurídica, até mesmo uma “constituinte exclusiva” poderá vir a ser necessária para essa finalidade."

Congresso em Foco

Viver é Perigoso

CANANIZAÇÃO

Viver é Perigoso