domingo, 9 de junho de 2019

DEFINITIVAMENTE : É O CARA !


Um monstro em busca de vitórias.Mais um piquenique em Roland Garros. O 12º.

Viver é Perigoso

TOMOU O BARCO


Tomou o barco hoje na terrinha, a Dona Maria Júlia dos Reis Barros. Para todo o mundo, a doce, alegre e atenciosa Julinha. Uma moça bonita.

Nasceu em Cristina em 1930. Veio com a família para Itajubá em 1935. Aliás, família grande de oito filhos.

Em 1950, seu pai, Sr. João Casemiro dos Reis, abriu na Rua Silvestre Ferraz a loja Santa Helena. Talvez ninguém se lembre da loja Santa Helena, mas da Loja da Julinha sempre esteve presente na vida dos itajubenses.

Lembro-me perfeitamente das idas, acompanhando minha mãe, no início dos anos 50, das visitas a Loja da Julinha. De lá saiam as roupas para a criançada.

Julinha casou-se com o Moacir Eulálio de Barros, do Bairro da Avenida, que tomou o barco em 1982. São pais do Moacir e do José Eugênio.

Uma mulher de extremo valor.

Viver é Perigoso 

BOM PARA O CORAÇÃO


O cardiologista e Professor de Harvard, Peter Libby, defende o uso terapêutico da música de Johann Sebastian Bach.
"Nós médicos, temos o dever de curar tanto o espírito quanto o corpo. Devemos lembrar que o conforto vem não apenas de um bloco de receitas ou de um procedimento cardiovascular, mas também da própria capacidade de curar o coração, não apenas literalmente, mas também figuradamente. Podemos inspirar na grande arte, particularmente de Bach, para nos motivar"

Circulation Research

Viver é Perigoso

DÁ O PÉ, RICO !

Viver é Perigoso

CARTA QUE RECEBI


Itajubá, 8 de junho de 2019

Senhor Zelador:

Não estou entendendo!

A área total a ser aterrada não é uma propriedade particular ? 

Aliás tem até um vídeo, do prefeito Chico, circulando nas redes, onde ele relata um imbróglio referente aos compradores (vendedores) da área.

Sendo aprovada (vai ser!!) a autorização para o aterro, certamente quem vai aterrar serão os proprietários. Serão ?

Aí está minha dúvida: O que isto tem a ver com atração de novas empresas ? Estas empresas irão comprar lotes dessa área, a peso de ouro, sendo que inúmeras cidades oferecem áreas gratuitas e até galpões já construídos ?

Comentarista Atento

Blog sobre o tema:

Sherlock Holmes e Dr. Watson vão acampar... Montam a barraca e depois de uma boa refeição e uma garrafa de vinho deitam-se para dormir.
Algumas horas depois, Holmes acorda e cutuca seu fiel amigo:
- Meu caro Watson, olhe para cima e diga-me o que vê.
Watson responde:
- Vejo milhares e milhares de estrelas.
Holmes então pergunta:
- E o que isso significa?
Watson pondera por um minuto, depois enumera:
1) Astronomicamente, significa que há milhares e milhares de galáxias e, potencialmente, bilhões de planetas.
2) Astrologicamente, observo que Saturno está em Leão e teremos um dia de sorte.
3) Temporalmente, deduzo que são aproximadamente 03h15min, pela altura em que se encontra a Estrela Polar.
4) Teologicamente, posso ver que Deus é todo poderoso e somos pequenos e insignificantes.
5) Metereologicamente, suspeito que teremos um lindo dia amanhã.- Correto?
Holmes fica um minuto em silêncio, então responde:
- Meu caro Watson, significa apenas que alguém roubou nossa barraca!

Conclusão: 

A Vida é simples. Nós é que temos a mania de complicar...

Pois bem: é o que imaginamos. 
A enorme área da várzea que será aterrada é particular (com cheirinho de municipal, mas é particular). Para virar grana e mostrar resultado ao investimento que foi a sua estranha compra do Estado, precisa ser aterrada. 
Vai ser preciso  muita terra. 
A terra deverá ser retirada de morro(s) próximos, que face ao volume da movimentação virarão loteamentos residenciais, ao contrário da área aterrada que se transformará em loteamento para construção de galpões, transportadoras, etc.
O completo Plano Diretor em aprovação, creio eu, tem um cuidado especial permitindo o abate de certos e determinados morros, bem como, certas mudanças na ordenação de áreas (terrenos) de propriedade do município, localizados em áreas mais nobres da cidade.
Como a Prefeitura não terá recursos para ceder, como incentivo, áreas dos aterros para possíveis investidores industriais, negociará com os dedicados proprietários do aterro feito na várzea, permuta com áreas públicas, digamos assim, mais interessantes, possivelmente, até já definidas no Plano Diretor em aprovação.
Em tempo: Como o investimento será de monta, um ou dois investidores serão admitidos no grupo.

É elementar meu caro Watson

Viver é Perigoso