segunda-feira, 20 de maio de 2019

TOMOU O BARCO

Carminho Ricotta e sua esposa Denise
As redes sociais noticiam o falecimento do amigo Dr. Advogado Carmo Ricotta. Para os amigos, simplesmente Carminho.Um dos maiores atletas, corredor em provas curtas de velocidade (100 e 200 metros) imbatível por muitos anos nas pistas mineiras. Aliás, seu recorde mineiro dos 100 metros rasos permaneceu muitos anos intocável.
Ídolo dos estudantes itajubenses que lotavam as pistas da Praça de Esportes do Itajubá Tênis Clube, quando das provas dos torneios da primavera e inverno.
Não adiantada o oficiais do 4º Batalhão de Engenharia "importarem" atletas especialistas de Academia Militar das Agulhas Negras, não dava para ninguém. Lá estava o Carminho Ricotta na posição mais alta.

Deixou história.

Viver é Perigoso 

"NÓS" NO CENTRÃO


O Sul de Minas está bem representado no chamado CENTRÃO, em Brasília. Atuam no grupo os Deputados Federais, Bilac Pinto - DEM (de Santa Rita do Sapucaí) e conhecido mentor político, há séculos, do Prefeito de Itajubá, bem com o Deputado Dimas Fabiano - PP (de Varginha)

Você Bolsonarista de passeata (no próximo domingo tem uma programada), não se esqueça que os dois centraleiros (Bilac e Dimas) têm diversos assessores residindo na terrinha e às vezes, costumam dar uma tradicional de "joão sem braço", comparecendo nos momentos de rua e distribuindo generosos sorrisos. Uma oportunidade para a transmissão de recados, civilizados, é claro.

Segundo o Google, no Brasil no Brasil, centrão refere-se a conjunto de partidos políticos que não possuem uma orientação ideológica específica e tem como objetivo assegurar uma proximidade ao poder executivo de modo que este lhes garanta vantagens e lhes permita distribuir privilégios por meio de redes clientelistas. 

O Estado de S.Paulo aponta que os partidos do chamado “Centrão” estão dispostos a ditar a pauta no Congresso diante da desarticulação do governo e querem, inclusive, “reformar a reforma” da Previdência e apresentar uma proposta alternativa à do governo.

O jornal paulista lembra que o Centrão é visto como fiador da estabilidade em qualquer governo e já impôs uma série de derrotas a Bolsonaro pela falta de articulação do presidente. 

Uma das exigências do Centrão, que reúne cerca de 230 dos 513 deputados da Câmara, é a decisão de só aprovar a Medida Provisória da reforma administrativa se o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) sair da estrutura do Ministério da Justiça, fora da alçada do ministro Sérgio Moro. “Com governo desarticulado, Centrão tenta impor agenda”, informa a manchete do Estadão.

Aqui não violão !

Viver é Perigoso

NÃO DÁ MAIS PRÁ AGUENTAR !


Declaração feita hoje no Rio de Janeiro pelo político, há séculos e pai de um punhado de políticos citados. 

"O Brasil é um país maravilhoso que tem tudo para dar certo, mas o grande problema é a nossa classe política. 
'É nós' (sic), Witzel, 'é nós' (sic) Crivella, sou eu, Jair Bolsonaro, é o Parlamento em grande parte, é a Câmara Municipal, a Assembleia Legislativa. Nós temos que mudar isso. "

Declaração óbvia e ululante que vem sendo repetida há tempos pelos brasileiros. Como mudar ? Imposição de uma Reforma Política imediata, antes de avançar com qualquer outra. O ideal seria que acontecesse sem choques e atropelos. Seria utopia.

Creio que muitos dos brasileiros, por mais que tenhamos vivido uma existência próximos do altar sagrado da democracia, face à ausência de alternativa, estaríamos dispostos a nos sacrificar e aceitar, que por um breve e determinado período, acontecesse a instalação de um regime especial, para que a necessária reforma seja implantada. Naturalmente, por ser de interesse pessoal dos senhores políticos, jamais aconteceria.  

As outras reformas viriam em consequência.

De imediato:

Proibição de reeleição em todos os níveis.
Mandato de quatro anos para senadores.
Redução drástica do número de senadores, deputados e vereadores.
Fim do financiamento público de campanha.
Instituição do bi-partidarismo
Redução ao mínimo do números de assessores, gastos de representação, altos salários e privilégios. 
Fim do foro privilegiado
Convocação de eleições coincidentes em todo o território nacional.

Em tempo: Jamais imaginaria que um dia iria escrever, assinar e sugerir qualquer medida de exceção. Tenho que pensar no País dos meus netos. É a vida.

Viver é Perigoso

NA CAPELA DA PENITENCIÁRIA

Viver é Perigoso