sábado, 13 de abril de 2019

BACALHAU

À Valenciana

Deu no Paladar:

As normas brasileiras exigem que o nome da espécie, obrigatoriamente, deve constar da embalagem. São cinco as espécies de bacalhau, sendo quatro vindas das águas frias do Mar do Norte, mais precisamente, da Noruega:

Gadus Morhua
O mais nobre, de posta alta que se desmancha em lascas. É untuoso e suculento. Também pode ser chamado de bacalhau do Porto.

Ling
Carne macia, que se desfaz em lascas. Vai bem cozido ou apenas selado na chapa.

Saithe
O de sabor mais intenso. Bom para saladas, brandade e outros preparos desfiados. Também rende um bom ceviche, basta dessalgar e marinar.

Zarbo
Tem textura mais rija e "esfarelenta". Menos valorizado, é melhor desfiado. 

 E um tipo do Oceano Pacífico:

Gadus Macrocephalus
Menor e menos nobre que o do Atlântico. Bem mais fibroso, sua carne só pode ser desfiada.

Brasil e Portugal são os maiores consumidores do mundo. 95% da produção norueguesa de bacalhau é exportada. No ano passado, o Brasil recebeu 18 mil toneladas de bacalhau, o equivalente a 20% da produção da Noruega.

O bacalhau passa os seus primeiros anos no Ártico e quando adulto (dos 2 aos 4 anos), nada durante o inverno até as águas rasas da costa norueguesa para se reproduzir. Tudo se aproveita do peixe. A cabeça, é seca e exportada para países como a Nigéria, onde é usada em caldas. A língua e os músculos da garganta são consumidos como petiscos fritos. O fígado serve para extrair óleo. As ovas são consumidas salgadas (caviar) e curadas (bottarga).

Os portugueses são donos do maior receituário de bacalhau seco e salgado do mundo.

Pois é...

Viver é Perigoso  

JUÍZO MOÇADA !


Deu hoje na Coluna da Mônica Bergamo - Folha de São Paulo 

Prefeitura Mogi das Cruzes é investigada por gastar R$ 545 mil com show de Anitta e MC Kevinho.

Inquérito apura se houve enriquecimento ilícito ou dano ao patrimônio com o uso de dinheiro público para esses shows “em detrimento de serviços essenciais à população”.

Anitta e Kevinho foram contratados, respectivamente, por R$ 195 mil e R$ 110 mil para se apresentarem na Expo Mogi 2019, evento que ocorrerá em agosto e em setembro e celebrará o aniversário da cidade.

A prefeitura de Mogi diz que tudo ocorreu legalmente e que os recursos usados são da secretaria de Cultura. “Não há prejuízo para a execução de serviços essenciais”, afirma. 

A gestão aponta que os gastos são semelhantes aos de eventos anteriores e que os shows movimentam o turismo e a economia.

Viver é Perigoso