segunda-feira, 25 de março de 2019

FALOU E DISSE


Escreveu Carlos Alberto Di Franco, no "Estadão" 

"...Nós jornalistas, temos um papel importante. Devemos dar a notícia com toda a clareza. Precisamos fugir do jornalismo declaratório. Nossa missão é confrontar a declaração do governante com a realidade dos fatos. Não se pode permitir que as assessorias de comunicação dos políticos definam o que deve ou não ser coberto. O jornalismo de registro, pobre, simplificador, repercute o Brasil oficial, mas oculta a verdadeira dimensão do País real. Precisamos fugir do espetáculo e fazer a opção pela informação. Sá assim, com equilíbrio e didatismo, conseguiremos separar a notícia do lixo declaratório. 
Transparência nos negócios públicos, ética, boa gestão e competência são as principais demandas da sociedade. Memória e voto consciente compõem a melhor receita para satisfazê-las.
Devemos bater forte na porno-política. Ela está na raiz da espiral de violência que sequestra a esperança dos jovens e ameaça a nossa democracia. 
Jornalismo é a busca do essencial, sem adereços, qualificativos ou adornos. O jornalismo transformador é substantivo. Sua força não está na militância ideológica ou partidária, mas no vigor persuasivo da verdade factual e na integridade da sua opinião.
Façamos reportagem. Informação é arma da cidadania. "

Carlos Alberto Di Franco

Viver é Perigoso

CANTINHO DA SALA

Jarro de flores - 1958 - Guignard
Só lembrando, o BC dispõe de um acervo de 533 trabalhos de grandes artistas modernistas brasileiros. O acervo está em exposição na Galeria de Arte do Banco Central, aberta à visitação de terça a sexta-feira, das 10h às 18h, e no sábado, das 14h às 18h, no 8º andar do Edifício Sede, em Brasília.

Recentemente, o Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand (MASP) e o Banco Central (BC) assinaram um contrato de comodato de 21 obras da coleção da autarquia. O Comodato MASP BC prevê a cessão por dez anos, a partir de 2019, de pinturas de nomes importantes do modernismo brasileiro, como Ismael Nery e Tarsila do Amaral, que preenchem lacunas históricas do museu.

Tarsila será tema de uma das principais exposições do MASP em 2019, ano em que o museu terá sua programação pautada pelo tema Histórias das mulheres, histórias feministas. As obras Trabalhadores (1938), Porto I (1953), Autorretrato com vestido laranja (1921) devem fazer parte da mostra. Pelo comodato, o MASP recebe ainda Estudo (Nu), feito em 1922 pela pintora.

De Ismael Nery, o museu receberá Desejo de amor (1932) e Perfil e alma (sem data). 

Outro destaque do comodato, assinado em dezembro, é o paulista Alfredo Volpi, com um conjunto excepcional de onze pinturas: Bandeiras e mastros (sem data), Composição concreta (sem data), Bandeiras (sem data), Bandeiras brancas e verdes (sem data), Cataventos (sem data), Motivo de casas (1955), Quatro bandeiras brancas (1971), Velas (sem data) e Fachada em azul e verde (sem data).

A lista é complementada pelas telas Jarro de flores (1958), de Alberto da Veiga Guignard, A despedida (1930), de Antonio Gomide, duas intituladas Marinha (uma de 1951 a outra sem data), de José Pancetti, e pelas pinturas Cabeça de mulher (1963) e Mulata em fundo verde (1973), de Emiliano Di Cavalcanti.

Como todos sabem, o MASP funciona de quarta-feira a domingo, das 10h às 18h, e às terças-feiras, das 10h às 20h, na av. Paulista, 1578, Bela Vista, São Paulo.

Viver é Perigoso

OLHA O BRASIL AÍ GENTE !


Sem nenhuma intenção de ofender o pessoal das Escolas de Samba, longe disso. Mas o momento político/militar em Brasília, deve ser parecido com as articulações existentes nos morros (imaginação) às vésperas da escolha do samba enredo para o desfile de carnaval. Tira um verso daqui, uma linha dali, uma outra nota de lá, assinam a composição uma duzia de sambistas e vamos que vamos.

Ou seria como uma reunião para escolher o orador da formatura da quarta-série do ginásio ?

Viver é Perigoso

EX - PRESIDENTE LULIA


Sim, o nome do homem é Michel Lulia. 

Depois de séculos fiquei sabendo o nome completo do ex-presidente. Michel Miguel Elias Temer Lulia. No início da carreira de advogado provavelmente era chamado de Dr. Lulia.

Segundo a Lava-Jato, o Dr. Lulia já tem 40 anos de quadrilha. Adquiriu estabilidade e não pode ser mais preso. O Desembargador Antonio Gorgeta Athié, do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, mandou soltá-lo, bem como os seus parceiros. 

Aliás, segundo o "Estadão", o Dr. Athié ficou afastado do cargo durante sete anos, por ter sido alvo de uma ação do Superior Tribunal de Justiça sob acusação de estelionato e formação de quadrilha, em 2004. 

Viver é Perigoso

TROUXAS DA ESQUERDA

Battisti e os trouxas brasileiros
Em sua admissão de culpa à Justiça Italiana, Cesare Battisti afirmou que mentiu sobre sua participação nos assassinatos e assaltos pelos quais foi condenado na Itália para poder ser recebido por líderes de esquerda nos vários países pelos quais passou, tendo enganado inclusive o ex-presidente brasileiro Luís Inácio Lula da Silva.

Ex-integrante do grupo terrorista Proletários Armados pelo Comunismo (PAC), Battisti admitiu ter participado diretamente de quatro homicídios, sendo que foi o executor material em dois deles e também, de uma maré de roubos e furtos para autofinanciamento.

O italiano também afirmou que já sabia que as coisas mudariam para ele com a eleição de Jair Bolsonaro.

Viver é Perigoso

JUZPIZZA

Viver é Perigoso

APRESENTAÇÃO DAS CONTAS


Talvez, com grande possibilidade de estar correto, depois da reforma do calçadão e da Praça Theodomiro Santiago, o feito mais custoso da Administração Municipal, contando com o mandato anterior, claro, foi o pacotão de festejos dos 200 anos da Primeira Missa de Itajubá.

Considerando as obras contratadas (aluguel de caminhões e máquinas) para melhoria dos acessos e área dos shows, o total deve beirar os R$ 2 milhões.

Pelos comentários, tudo correu bem.

Hoje, acontece a primeira reunião da Câmara Municipal pós festa. Naturalíssimo a ocorrência de pedido de esclarecimento sobre os gastos. Claro, que os vereadores que usufruíram o calorzinho gostoso dos camarotes se sentiram constrangidos de assinar a solicitação de informações. A gente até entende.

Alguns, ainda com os corações disparados pela emoção, durante o pouco frequentado horário do grande expediente, poderão tecer eloquentes elogios ao Senhor Prefeito pela organização da festa e para não ficar muito chato estenderão os louvores  à equipe organizadora.

Num rasgo de entusiasmo, corre-se o risco de ver algum dos vereadores apresentar uma moção de congratulação ao Prefeito pela realização dos festejos.

Ah ! como sempre, devem assinar o pedido de informações (que evidentemente, não serão fornecidas) os Independentes, Santi, Marcelo Krauss, Ricardo Zambrana e Jorjão.

O futuro dirá se a Administração será mais lembrada pela festão ou pelo fechamento depois de 121 anos de funcionamento,  da Casa de Misericórdia de Itajubá.

Viver é Perigoso