quinta-feira, 28 de fevereiro de 2019

SOB A LUZ DE VELAS


"Revolto-me, portanto existo"

Alberto Camus

Viver é Perigoso

MELODIA



Viver é Perigoso

DE OLHO NO LANCE


O empresário Paulo Afonso Ferreira foi escolhido como presidente interino da Confederação Nacional da Indústria (CNI), nesta quinta-feira, em Brasília (DF). O nome dele foi aceito por unanimidade durante a reunião do Conselho de Representantes da entidade. 

Ele ocupa o comando da confederação enquanto durar o afastamento do então presidente, Robson Andrade, que foi alvo de uma ação da Polícia Federal que investiga desvios envolvendo empresas do Sistema S e o Ministério do Turismo. 

Paulo Afonso é formado pela Universidade de Brasília, tem 67 anos e foi presidente da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (FIEG). 

Blog: Mais uma vez explicando porque o assunto nos interessa: O projeto de construção do Laboratório de Alta -Extra - Tensão, na terrinha, está sob responsabilidade da CNI. Então ...

Viver é Perigoso

AGORA VAI ?


CPI DA SANTA CASA E HOSPITAL.


Primeira reunião para planejamento dos trabalhos. Como Presidente da CPI ficou o Vereador Dr. Kener, como Relator ficou o Vereador Renato e como Membros os Vereadores: Vladimir Bananeiro, Ricardo Zambrana e Cléber Davi.

Blog: A instituição de CPI´s por esse País afora, continua desacreditada. No interior e em cidades de pequeno e médio porte e administração como a da nossa terrinha, fica difícil. Pessoas têm que ser convocadas, documentos exigidos interesses e posicionamentos contrariados.

"Temos que sobreviver, entendem ?

A Comissão constituída, com todo respeito aos seus membros, excetuando o Zambrana e o Cleber, passa a ideia de que continuará atenta aos ventos inconstantes que sopram do Pinheirinho.

Veremos.

Viver é Perigoso 

CONTA GOTAS DE DESVIOS


1 - E-mails do banco Bordier & Cie, de Genebra, revelam que Paulo Preto encomendou um cartão de crédito para Aloysio Nunes. “A pedido do ‘cliente’, o cartão, que foi carregado com 10 mil euros.

2 - O presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo, Cauê Macris (PSDB), repassou R$ 266 mil de sua campanha a deputado estadual em 2018 para o posto de gasolina do qual é sócio, na cidade de Limeira, no interior paulista. Ao todo, o tucano recebeu R$ 751,3 mil na eleição, sendo que R$ 195 mil foram do fundo eleitoral, que é constituído por dinheiro público.

3 - O ex - padre Wagner Augusto Portugal, que durante anos foi braço direito do arcebispo do Rio de Janeiro, o cardeal dom Orani Tempesta, admitiu participar de esquema de corrupção na Saúde do governo Sérgio Cabral e se tornou delator premiado. Wagner Portugal, um dos colaboradores da Operação S.O.S., desdobramento da Lava Jato no Rio, confessou sua participação no desvio de R$ 52 milhões dos cofres estaduais envolvendo contratos da Secretaria de Estado de Saúde do Rio com a organização social católica Pró-Saúde em 2013.

4 - Executivos da construtora OAS contaram em depoimentos prestados em razão de acordo de delação premiada que pagaram R$ 125 milhões em propina e caixa dois para 21 políticos de 8 partidos. A delação os executivos foi homologada em julho do ano passado pelo ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal. O conteúdo da delação permanece em sigilo no STF. Os delatados:

Aécio Neves (PSDB-MG), Edison Lobão (MDB-MA), Eduardo Cunha (MDB-RJ), Eduardo Paes (DEM-RJ), Eunício Oliveira (MDB-CE), Fernando Pimentel (PT-MG), Flexa Ribeiro (PSDB-PA), Geddel Vieira Lima, Índio da Costa (PSD-RJ), Jacques Wagner (PT-BA), Sérgio Gabrielli, José Serra (PSDB-SP), Lindbergh Farias (PT-RJ), Marco Maia (PT-RS), Marcelo Nilo (PSB-BA), Nelson Pellegrino (PT-BA), Rodrigo Maia (DEM-RJ), Rosalba Ciarlini (PP-RN), Sérgio Cabral (MDB-RJ), Valdemar Costa Neto (PR-SP), Vital do Rêgo, ministro do Tribunal de Contas da União (TCU)

5 - O ex-executivo da OAS Alexandre Portela Barbosa relatou em sua delação, noticia O Globo, que a empreiteira usou contratos fictícios em sete países para gerar recursos ilícitos usados em pagamentos de propina e caixa dois. Foram usadas para esse fim unidades nos seguintes países: Chile, Costa Rica, Equador, Guatemala, Peru, Trindade e Tobago, e Ilhas Virgens Britânicas.

Por hoje é só.

Viver é Perigoso

CANTINHO DA SALA

A Lua - Tarsila do Amaral - 1928
O MoMA - Museu de Arte Moderna de Nova York, como deu em toda a imprensa, comprou a obra |"A Lua" da Tarsila do Amaral. A tela foi pintada em 1928, mesmo ano em foi produzida o "Abaporu", pertencente ao Malba de Buenos Aires.

O quadro pertencia a coleção "Fanny Feffer, filha do Sr, Leon Feffer, fundador da fábrica de papel e celulose Suzano.

Não foi divulgado, mas estima-se que a obra foi vendida por cerca de US$ 20 milhões.

Viver é Perigoso

TERNO E GRAVATA

Viver é Perigoso

LEMBRANDO DO GOLPE, COM ALEGRIA


Tá ruim, mas tá bom

Temos que, diariamente, dar graças pelo afastamento do desastre Dilma, que inclusive, ainda vagueia por aí passeando de bicicleta, de moleton, cercada por seguranças bancados pelo Estado e inevitavelmente, proferindo abobrinhas.

O IBGE informou hoje que a economia brasileira cresceu 1,1% em 2018 em relação ao ano anterior, A taxa é a mesma da que foi registrada em 2017.

Em valores correntes, o PIB alcançou no período R$ 6,8 trilhões. Já a renda per capita avançou, 0,3% (já descontada a inflação), para R$ 32.747.

O ritmo de atividade se manteve similar a 2017.

Sem ser pessimista de retrovisor, com Dilma e seus pessoal no poder estaríamos mais próximos da Venezuela.

Ave Temer !

Viver é Perigoso

INACREDITÁVEL !


Nos últimos anos, nada me chateou mais, em se tratando de coisas da terrinha, do que a retirada, pelo Sr. Prefeito Municipal, do já exíguo e quase sempre feito com atraso, do pagamento (isso mesmo, pagamento - é responsabilidade do município) de R$ 160 mil /mês para o Pronto-Socorro da nossa Santa Casa de Misericórdia.

Na última sexta-feira, conversei longamente com um amigo especialista na área. E coloque especialista nisso. 
Disse-lhe no final da conversa que decepcionado e consciente de que nada fará mudar a posição do Prefeito (o seu estilo próprio tem demonstrado que qualquer comentário diferente de suas decisões, faz com que ele recrudesça em seu posicionamento).

Caso perdido pelo menos até as próximas eleições.

Porém, com a leitura hoje da edição semanal do jornal Itajubá Notícias, com entrevista com o Dr. Fabio Montanari, Diretor Executivo do Hospital (ex-Escola) de Itajubá, fomos levados a voltar ao assunto, talvez, pela última vez.

Esclarecedora a entrevista. Confirma-se, que desde que entrou no governo (6 anos), zero de reajuste do pagamento municipal tanto para a Santa Casa Misericórdia, quanto para o Hospital. Por motivos diversos a situação é crítica.
Talvez o Executivo Municipal imagine que salários, insumos e serviços, permaneceram congelados nesse longo período. Para piorar, para a Santa Casa e Misericórdia, é claro,o pagamento mensal foi reduzido.

Incoerências á parte ( o competente Secretário da Saúde Municipal e o leal porta-voz do prefeito no Legislativo dizem que o não pagamento ao Pronto Socorro da Santa Casa foi devido a não prestação de serviços pela greve parcial ocorrida - justamente por atraso dos pagamentos pela prefeitura - já o Senhor Prefeito afirma que é por estratégia, etc, etc ), ou temos uma visão curta demais, talvez prejudicada pelo sentimento que nos une a Casa Santa, ou o Executivo Municipal tem uma visão futurística de longuíssimo prazo, que nós, simples mortais, não podemos alcançar.

Descartada a possibilidade de falta de recursos. Aí estamos assistindo um extraordinário e jamais visto gastos/ investimentos em lazer. Mais apropriados para tempos de "vacas gordas. 

Concluindo, para não falar mais nisso. O povo de Itajubá e das cidades circunvizinhas está sendo tremendamente castigado. O Hospital carregará nas costas a responsabilidade por não dar conta à contento do atendimento em termos de pronto-socorro. Desgastes diários. A Santa Casa está sendo prejudicada em muito.

E o pior para uns e melhor para outros: Passivo político sem precedentes assumido pelo Prefeito, seus candidatos, inclusive os seus deputados, federal e estadual, uma vez que toda a micro-região está sendo açoitada pela equivocada decisão. 

Em tempo, pelo que entendi na conversa e na leitura da entrevista, o desvio dos R$ 160 mil, da Santa Casa para o Hospital, de nada ou pouco adiantará para atenuar o sofrimento dos enfermos nas salas de espera.

Daqui a dois anos voltaremos, ou não, a falar do assunto.

Viver é Perigoso