quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019

SÓ BLUES



Viver é Perigoso

FAZ SENTIDO


Anônimo disse...

Zelador, o parque municipal tem melhorado muito a saúde da população. Por esta razão, em breve não teremos mais necessidade de pronto socorro em Itajubá. É a vida em Itajubá nestes últimos 6 anos.20 de fevereiro de 2019 17:57

Viver é Perigoso

RESUMO DA ÓPERA


Contrato 027/2019 - Apresentação artística do cantor Daniel no dia 19/9/2019

Obrigação da Contratante (Prefeitura Municipal de Itajubá):

a) Fornecer palco, som, luz, fechamento, seguranças, geradores com aprovação da produção;

b) Hospedagem para 36 pessoas;

c) 02 (dois) camarins físicos; 

d) 10 (dez) carregadores;

e) Fornecimento de energia elétrica 

f) Taxa do ECAD

g) acompanhar e fiscalizar a execução do contrato, assegurando-se da boa prestação do serviço e qualidade dos produtos fornecidos; 

h) assegurar-se de que os preços contratados estão compatíveis com aqueles praticados no mercado;

i) realizar os devidos pagamentos; 

j) proporcionar todas as facilidades necessárias ao bom andamento do presente contrato.

O valor total do presente Contrato será de R$ 146.000,00 (cento e quarenta e seis mil reais) incluso alimentação, transporte rodoviário (sendo uma carreta com toda estrutura de cenário e um ônibus) 03 vans para traslados locais e nota fiscal, conforme proposta anexada ao processo. A Contratante pagará à Contratada, pela prestação dos serviços artísticos previstos neste contrato, em cheque administrativo (R$ 146.000,00) no dia do evento.

Viver é Perigoso

CANTINHO DA SALA

Jean-Michel Basquiat - Rei dos Zulus (1984) - Museu de Arte Contemporânea Marselha
Viver é Perigoso

UM HOMEM DE BEM


Viver é Perigoso

O REI DOS TIROS NOS PÉS


A ação do Sr. Prefeito Municipal de eliminar a subvenção municipal (dinheiro do povo), já reduzida para R$ 160.000,00/mês destinada à nossa Santa Casa, que acarretou o encerramento do atendimento do Pronto Socorro, vem a ser um dos maiores absurdos ocorridos nesses 200 anos de Itajubá. Um tiro no pé !

A declaração do Sr. Prefeito, numa das rádios oficiais, sobre a razão de tal proceder, foi outro tiro no outro pé.

E esses ferimentos não se tratam em pronto-socorro.

Para sermos justos, o valor retirado da Santa Casa não será, pelo menos de imediato, ser direcionado para pagamento de shows de sertanejos. Como afirmou a autoridade, será repassado para o Hospital de Itajubá (ex-Escola), totalizando R$ 400.000,00/mês (dinheiro do povo).

Disse o Sr. Prefeito que ouviu, em toda a sua vida, lamentos sobre as dificuldades da Santa Casa. Esqueceu de falar sobre as dificuldades do Hospital, que teve que vender a nossa Escola de Medicina e carrega uma dívida nas costas, segundo o último balanço, de mais de R$ 100 milhões.

É a situação da saúde no Brasil. 

Sabemos lá a razão, mas desde antes de tomar posse no seu primeiro mandato (busque no blog), os administradores da cidade já arrumavam um jeito de afastar a Mahle da gestão da nossa Santa Casa. E tiveram sucesso.
Em 2013, o então influente secretário Adilson Primo, já falava nas rádios e jornais sobre o interesse da Administração em unificar o atendimento, logicamente, matando um dos maiores patrimônios da cidade.

Podemos falar sobre o assunto. Há uns 30 anos fomos levados para a Irmandade da Santa Casa pelo Senhor Benedito Pereira dos Santos. Na mesma reunião, foram admitidos os amigos Carlos Alberto Faria e o Engenheiro Junior (ex-Cabelauto). Assumi o compromisso e acompanhei por dois anos a Provedora Helena Pereira dos Santos. Voluntariamente, é claro. Muitos outros cidadãos estiveram juntos na Administração, atravessando sérias dificuldades.

Lá estive no Pronto Socorro e por uns dias na UTI. Pela graça de Deus, consegui sair. Lá vi meu Pai, Mãe e Segunda Mãe partirem. Lá vi minhas duas filhas chegarem.

Sei da história de heroicos cidadãos, médicos enfermeiro(a)s e religiosos, que dedicaram parte de seus viveres à nossa Casa Santa.

A nossa Santa Casa não merece passar por isso, com certeza, por birra, capricho e política.

Repense Sr. Prefeito. Deixe de lado as orientações dos seus conselheiros, que não têm a mínima ideia do que a Santa Casa significa para os itajubenses.

Apontem um único itajubense ou itajubense de coração, que apoie tal atitude. Ah! opinião de "aventureiros do Mississipi", como diz o meu amigo Carlinhos Lamoglia, não vale.

Viver é Perigoso 

TUCANO NA GAIOLA


Viver é Perigoso

QUANDO VOCÊ PENSA QUE JÁ VIU DE TUDO...



Viver é Perigoso